Chile, México e Espanha são premiados no festival de cinema gay de Lisboa


  • Divulgação

     Cartaz do filme "Joven y Alocada"

    Cartaz do filme "Joven y Alocada"

O festival de temática homossexual Queer Lisboa terminou neste sábado (28) com prêmios para o longa-metragem chileno "Joven y Alocada" e para os documentários "Quebranto", do México, e "Born Naked", da Espanha.

O júri premiou o filme chileno dirigido por Marialy Rivas com uma menção especial e agraciou com a melhor atuação feminina sua atriz, Alicia Rodríguez.

"Quebranto", de Roberto Fiesco, foi considerado melhor documentário, enquanto "Born Naked", da estreante nascida há 26 anos e residente em Madri Andrea Esteban, ganhou o prêmio do público.

O festival concedeu, no entanto, o prêmio principal para "A Fold in My Blanket", de Zaza Rusadze, ao se tratar de "uma coreografia sobre a memória, sobre a intimidade relacionada com a história política de um país".

A diretora chilena Rivas ganhou por seu filme os elogios do júri pelo "apressado retrato de uma adolescente contemporânea, e através dela, de toda uma geração".

Essa adolescente que leva uma vida rebelde apesar de sua estrita educação evangelista foi interpretada por Alicia Rodríguez (Santiago do Chile, 1992), premiada por seu "frescor" e pela capacidade de representar um personagem que "não é mais do que uma menina, mas que também não é ainda uma mulher".

Após vencer em 2012 o prêmio de melhor roteiro de drama no famoso festival de Sundance (EUA), esta é a segunda distinção internacional de "Joven y Alocada" (2011).

O Queer Lisboa durou oito dias nos quais foram exibidos longas, curtas e documentários procedentes de vários países, entre eles Espanha e Brasil.

A presente edição contou com uma nova seção a concurso, In My Shorts, que exibiu 12 filmes de escolas europeias.

Últimas de Cinema



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos