PUBLICIDADE
Topo

Com sala parcialmente cheia em Berlim, "Tropa de Elite 2" arranca aplausos demorados na abertura da mostra Panorama

José Padilha (à direita) apresenta o filme "Tropa de Elite 2" no Festival de Berlim ao lado dos atores Wagner Moura e Maria Ribeiro (11/02/2011) - Johannes Eisele/AFP
José Padilha (à direita) apresenta o filme "Tropa de Elite 2" no Festival de Berlim ao lado dos atores Wagner Moura e Maria Ribeiro (11/02/2011) Imagem: Johannes Eisele/AFP

ALESSANDRO GIANNINI

Enviado especial a Berlim

11/02/2011 18h10

"Tropa de Elite 2" abriu a mostra Panorama Special na noite desta sexta (11), no Friedrichstadt Palast. Com a plateia de cerca de 1,8 mil lugares do cinema ocupada em 70%, José Padilha, Wagner Moura e a atriz Maria Ribeiro foram recebidos com muitos aplausos - tanto no início, quando Zé Padilha subiu ao palco sozinho, quanto no fim, quando o diretor chamou Moura e Ribeiro para agradecer os aplausos. O filme terá mais três sessões ao longo do festival

Havia muitos brasileiros residentes em Berlim, jornalistas estrangeiros e visitantes oficiais como o presidente da RioFilme, Sergio Sá Leitão, e o titular da Ancine, Manoel Rangel - envolvidos direta e indiretamente com a produção. Ao fim da sessão, os aplausos duraram pelo menos três minutos e foram efusivos.

O filme transcorreu sem muitas manifestações. Nos momentos de humor, como quando o coronel Nascimento (Wagner Moura) fala que sua mulher (Maria Ribeiro) se casou com seu inimigo político, Diogo Fraga (Irandhir Santos), o público riu. Mas diferentemente do que muitas vezes acontece no Brasil, quando o mesmo Nascimento dá uma surra em um deputado corrupto, responsável por um atentado que atinge sua família diretamente, o público não aplaudiu, nem assobiou. Ao contrário, ficou atento.