"Doce Vingança" recria clima de tortura e brutalidade de filme trash de 1978

LUIZ VITA
Do Cineweb

Se existe uma unanimidade entre os críticos americanos, ela atende pelo nome de "I Spit on Your Grave", filme de 1978 classificado pelo crítico Roger Ebert, do jornal The Chicago Sun-Times, como o pior já feito na história do cinema. E ele foi generoso, pois deixou de lado toda a tosca filmografia de Ed Wood. Esse cult dos filmes trash foi revisitado e atualizado no ano passado pelo diretor  Steven Monroe, que manteve o nome original, lançado agora no Brasil como "Doce Vingança".

Com roteiro de Meir Zarchi, diretor do filme original, "Doce Vingança" segue passo a passo o plano de vingança executado por Jennifer (Sarah Butler), uma escritora iniciante agredida e violentada por um grupo de homens numa cabana de férias, numa região florestal isolada. A jovem e bela escritora, que buscava um lugar tranquilo para escrever um romance, acaba vítima de seu próprio projeto.

A chegada de Jennifer ao pequeno vilarejo atrai a atenção de Johnny (Jeff Branson), funcionário de um posto de gasolina, e mais três amigos, que decidem dar um susto na patricinha da cidade grande, invadindo sua cabana no meio da noite. Mas o plano inicial foge do controle e acaba se transformando numa cena de humilhação, agressão física e estupro.

TRAILER DO FILME ''DOCE VINGANÇA''

Sem possibilidade de ajuda, Jennifer vê o tempo passar e sabe que sua morte é apenas uma questão de tempo, já que ela se transformou numa testemunha perigosa de toda a brutalidade. E as cenas, sempre fortes, são mostradas em tempo real, minuto a minuto.

A única possibilidade de fuga é encontrada à beira de um rio, no qual ela se joga e desaparece nas águas, para desespero dos agressores, que temem que ela sobreviva. Durante vários dias, eles reviram o local em busca do corpo, mas nada encontram. Com o passar do tempo, acabam relaxando, acreditando que ela está morta.

Como todos deste lado da tela já sabem (e esperam), seu retorno é questão de tempo. Ela vai atrás dos agressores, um a um, para concretizar a vingança do título, que pode ser doce para ela, mas é amarga para quem a sofre e para quem a presencia no cinema. Jennifer não dá a outra face, pelo contrário, segue a lei de Talião e cobra, olho por olho e dente por dente, todo o mal que lhe fizeram.

Para o espectador, vingança mais doce ainda é saber que o filme, que custou US$ 1,5 milhão, foi um estrondoso fracasso, ficando em 54º lugar na bilheteria americana no fim de semana de lançamento, arrecadando míseros US$ 32.000.

Últimas de Cinema



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos