PUBLICIDADE
Topo

DVD de "Monstros S.A. 3D" trará curta de "Toy Story"; leia entrevista com diretor

Mark Walsh, animador e diretor do curta-metragem "Festa-Sauro Rex", nos estúdios da Pixar em Emeryville, Califórnia - Deborah Coleman/Pixar
Mark Walsh, animador e diretor do curta-metragem "Festa-Sauro Rex", nos estúdios da Pixar em Emeryville, Califórnia Imagem: Deborah Coleman/Pixar

Natalia Engler

Do UOL, em São Paulo

16/12/2012 07h00Atualizada em 09/01/2013 15h20

"Monstros S.A." vai voltar aos cinemas brasileiros em versão 3D que estreia em 8 de fevereiro, mas quando retornar também às lojas, trará de carona os personagens de outra amada animação da Pixar: no curta “Festa-Sauro Rex”, que acompanhará o DVD e Blu-ray de “Monstros S.A.” (lançamento em 10 de abril), o desengonçado tiranossauro Rex de “Toy Story” ganha a oportunidade de ser o dono da festa e apagar a imagem de estraga-prazeres quando é levado para o banho pela garotinha Bonnie.

“Festa-Sauro Rex” tem direção de Mark Walsh, um veterano da animação, que está na Pixar há 15 anos, e faz sua estreia na direção depois de fazer parte das equipes de “Ratatouille” (2007), “Os Incríveis” (2004), “Procurando Nemo” (2003), “Monstros S.A.” (2001), “Toy Story 2” (1999) e “Vida de Inseto” (1998).

Durante conversa por telefone com o UOL, ele explicou porque escolheu Rex como protagonista, disse que dirigir uma animação é muito mais difícil do que glamouroso e revelou em qual animação da Pixar gostaria de ter trabalhado, mas não trabalhou.

UOL - Você participou da produção de “Toy Story 2” como animador, mas em “Festa-Sauro Rex” você é o diretor. Como foi pegar personagens tão amados e criar uma nova história para eles?
Mark Walsh -
Foi muito divertido, porque personagens como o Rex geralmente não ganham seu próprio holofote, mas também são muito doces e engraçados. Rex é um nerd. Eu também fui um nerd quando estava crescendo. Então quis escrever uma história sobre alguém tentando escapar disso, tentando não ser um nerd.

VEJA CENA DO CURTA "FESTA-SAURO REX"

De onde veio a ideia para a história?
A história é baseada na minha infância e é sobre eu tentando ser mais popular do que eu era. E Rex é meu personagem preferido, é um personagem que todo mundo já ama. E acho que as pessoas se identificam com o fato dele ser um nerd, porque é uma coisa que nós todos temos: fingir que somos mais legais do que de fato somos.

Você acha que ainda existem outras tramas para serem exploradas no universo de “Toy Story”?
Acredito que é um universo muito rico. Toda vez que vejo um brinquedo, tento imaginar como seria uma história sobre ele. Também acho que temos personagens muito ricos. Há muitos brinquedos que poderíamos explorar mais. Mas agora estamos desenvolvendo outros projetos e curtas-metragens são o espaço onde podemos explorar esses personagens.

Qual é seu personagem preferido de “Toy Story”, além de Rex?
Gosto do Buzz, todo mundo ama o Buzz Lightyear. Também tem alguns personagens incríveis no terceiro filme. Eu gosto muito do unicórnio [Botão de Ouro], achei muito engraçado, também gosto muito de Dolly [a boneca]. [A cowgirl] Jessie também é uma das minhas preferidas, acho que ainda podemos fazer muita coisa com ela.

De todas as animações digitais da Pixar, tem algum filme ou personagem em que você gostaria de ter trabalhado?
Eu gostaria de ter trabalhado em “Wall-E”. Eu adoro filmes mudos, amo o charme de contar uma história sem diálogos. Existe uma verdadeira alegria nisso. E de tudo que fizemos aqui no estúdio, “Wall-E” é a mais pura versão disso.

Dirigir foi muito diferente de trabalhar no departamento de animação?
Eu tenho dirigido comerciais para a Pixar há algum tempo, mas o trabalho de animação em si é muito solitário. Você trabalha sozinho, conversa com você mesmo e às vezes tem reuniões com o diretor e outras pessoas da equipe. Como diretor, boa parte do trabalho é lidar com outras pessoas –falar com elas, colocar limites, discutir ideias, sem deixa-las perder entusiasmo pelo projeto. É como o anfitrião de uma festa –você quer deixar todo mundo animado, mas também quer encorajá-los a trazer comida e bebidas.

Você gostaria de dirigir um longa de animação?
Um dia. Dirigir é muito difícil. Parece muito glamouroso e todo mundo quer fazer, mas é muito difícil e é preciso muita experiência. No momento, estou tentando juntar essa experiência.

A primeira versão deste texto informava erroneamente que o curta estaria presente no DVD e Blu-Ray de "Procurando Nemo 3D".