PUBLICIDADE
Topo

Christoph Waltz diz não julgar personagens por serem "heróis ou vilões"

Novas imagens de "Django Livre", novo longa de Quentin Tarantino foram divulgadas (29/10/12). O ator Christoph Waltz está no elenco - Divulgação/Sony Pictures
Novas imagens de "Django Livre", novo longa de Quentin Tarantino foram divulgadas (29/10/12). O ator Christoph Waltz está no elenco Imagem: Divulgação/Sony Pictures

Do UOL, no Rio

10/01/2013 17h22

Em entrevista ao site da revista "Rolling Stone Brasil", Christoph Waltz disse que prefere não julgar os personagens que interpreta. Em "Django Livre", novo filme de Quentin Tarantino, o ator interpreta o dentista King Schultz, um mercenário que caça facínoras. Por sua atuação ele acaba de ser indicado ao Oscar de melhor ator coadjuvante (em 2010, ele venceu o mesmo prêmio por "Bastardos Inglórios", também de Tarantino).

"O mocinho é o herói só porque ele é bom? E o cara mau é o vilão só porque o consideramos ruim? Eu não acho que funciona desse jeito com o Quentin. Acho que é bem mais complexo. Assim como é na realidade, no mundo real. Então, interpretar um personagem é mais ou menos a mesma coisa: você não o julga. Porque isso não lhe ajuda em nada", disse Waltz, que em "Bastardo Inglórios" viveu o vilão (um oficial nazista) Hans Landa.

Waltz, que é austríaco, afirmou ainda que na infância era fã dos filmes de faroeste, principalmente dos livros de Karl May, que chegou a escrever histórias baseadas no gênero cinematográfico. "Havia faroestes na televisão o tempo todo. E nós brincávamos de caubóis e índios. Os caubóis eram sempre os mocinhos, e os índios, os bandidos. Sabe como é, para nós isso era algo que estava a milhares de quilômetros de distância", contou o ator dando risadas.

Sobre a parceira com Jamie Foxx no filme, Waltz disse que eles se tornaram amigos durante as filmagens de "Django Livre". "O que fizemos foi criar uma amizade: a gente se entendeu e nem precisamos fazer muito mais do que isso. Apenas contamos e confiamos um no outro", explicou ele, que garantiu ter se preocupado ao ser convidado para trabalhar novamente com Tarantino.