PUBLICIDADE
Topo

Ser escolhido entre 50 foi surpresa boa, diz brasileiro premiado em Berlim

Cineasta Daniel Ribeiro, diretor de "Hoje eu Quero Voltar Sozinho" - Reprodução/Facebook
Cineasta Daniel Ribeiro, diretor de "Hoje eu Quero Voltar Sozinho" Imagem: Reprodução/Facebook

Gabriel Mestieri

Do UOL, em São Paulo

14/02/2014 17h19

O cineasta brasileiro Daniel Ribeiro, diretor de "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho", filme que venceu o prêmio da Firepresci (Federação da Crítica Internacional) na seção Panorama do Festival de Berlim, disse que não esperava que seu longa fosse o escolhido pela crítica. "A gente está muito feliz, acabamos de sair da cerimônia, não imaginávamos essa possibilidade. Foi surpresa muito boa ser escolhido entre 50 filmes", afirmou ao UOL, por telefone.

Ribeiro afirmou que foi sem expectativa a Berlim por "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho" ser seu primeiro longa-metragem.

De acordo com o diretor, o prêmio ajuda na campanha de divulgação do filme, fazendo com que fique conhecido e tenha a possibilidade de ser comercializado em mais países. "Os distribuidores gostam muito desse prêmio da crítica", disse.

Segundo Ribeiro, o filme já negociou a distribuição em oito países durante o festival, entre eles Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido e França.

Neste sábado (15) será anunciado o vencedor do Urso de Ouro da edição 2014 do festival. Por estar na mostra Panorama, o longa de Ribeiro não concorre a esse prêmio, mas ainda pode ser escolhido como melhor filme da Panorama pelo público, numa cerimônia que acontece no domingo (16).

O longa "Praia do Futuro", do cearense Karim Aïnouz ("O Céu de Suely"), está na competição oficial e concorre ao Urso de Ouro.

  • Divulgação

    Cena de "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho"

"Hoje Eu Quero Voltar Sozinho" narra a história de Leonardo, um jovem cego de 15 anos, interpretado por Guilherme Lobo, que procura ser independente em uma sociedade superprotetora. O jovem estudante do Ensino Médio se apaixona por Gabriel ( ao mesmo tempo em que desperta sentimentos em Giovana.

Em entrevista ao UOL antes do início do festival, Ribeiro, de 31 anos, disse que o trunfo de seu filme é que os meninos se descobrem gay de uma forma não sexual. "Os adolescentes gays querem ser associados ao amor e ao afeto. Percebo que quando esses jovens contam aos pais ou no trabalho que são gays, as pessoas já imaginam o sexo. A parte romântica é esquecida. O filme é uma maneira de jovens dizerem aos pais: 'olha, é isso o que eu sinto'".

O filme chega ao Brasil no dia 28 de março, com estreia prevista para São Paulo e Rio de Janeiro, mas Daniel disse que ele e sua equipe estão trabalhando para expandir o lançamento a várias cidades brasileiras, já que tanta gente já se identificou com os dilemas do longa.