UOL Entretenimento Cinema
 
31/07/2007 - 20h32

Daniela Escobar teve receio de fazer filme baseado em obra de José Sarney

Da Redação
Com a estréia marcada para esta sexta-feira (3), "O Dono Mar" é o primeiro longa de Daniela Escobar e estréia seis anos após o fim das filmagens. A produção é baseada na obra homônima de José Sarney. Daniela, que interpreta Camborina, disse no Bate-papo UOL que "torceu o nariz" quando soube que o roteiro era baseado no livro do ex-presidente e só aceitou depois de ler a obra.

O longa mergulha no universo de lendas e mitos dos pescadores do Maranhão e tem no elenco Jackyson Costa, Samara Felippo, Daniela Escobar, Regiane Alves, Alexandre Paternost, Sérgio Marone, Odilon Wagner, Isadora Ribeiro e Pepita Rodrigues.

Ela que começou a carreira no teatro e depois estreou na televisão, afirmou que decidiu ser atriz dentro de uma sala de cinema e estuda propostas para voltar às telonas e às telinhas.



Leia a seguir a íntegra do Bate-papo que contou com a participação de 1376 internautas.

(02:09:45) Daniela Escobar: Sobre o filme "O Dono do Mar": A estréia será nesta sexta-feira em SP. Este filme foi a minha primeira experiência no cinema. O cinema é a minha fonte de inspiração para tudo. Gravamos há seis anos, demorou para ser estreado porque enfrentamos problemas como conseguir salas, brigamos com os gigantes do cinema. Ele tem uma 1h40 de duração e o cenário é lindo.

(02:04:53) Sandro: Boa tarde! Qual a temática do filme?
(02:11:23) Daniela Escobar: Sandro, é um filme regional, conta a história de um pescador em São Luis do Maranhão desde pequeno até morrer. A vida de um homem com todos os problemas que enfrentou e a sua vida no mar onde tem uma realidade fantástica com as lendas do Maranhão. Tem coisas absurdas e as pessoas vão dar muitas risadas, tem muita realidade com fantasia. O pescador mora em uma aldeiazinha e tem uma vida super simples.

(02:12:02) Daniela Escobar: Sobre a vila de pescadores: Nós passamos dias e dias morando com eles. Eu sou do outro lado do país, RS. Mergulhamos na vida deles para fazer um laboratório.(02:14:46)

Geovanna/UOL:

Daniela Escobar em cena do filme "O Dono do Mar"


(02:04:59) Guga: E ai Daniela como foi o enfoque principal q vc teve para fazer este filme?
(02:13:29) Daniela Escobar:
Guga, eu sou a mulher do pescador. Ela vive 50 a 60 anos naquela aldeiazinha onde tem de oito a dez filhos que nascem e morrem. Eles sempre perdem os filhos e o filme mostra a dureza disso.

(02:05:20) Ane. Mocellin: Oi, Dani, aqui e a Ane de Porto Alegre, gostaria de saber de vai ter pré-estréia aqui em Porto?
(02:13:50) Daniela Escobar:
Ane. Mocellin, ontem foi a pré-estréia em SP e amanhã será no Rio.

(02:05:22) Sandro: O que você acha falta para o cinema brasileiro começar a ter mais platéia, uma vez que os filmes estão cada vez melhores?
(02:16:22) Daniela Escobar:
Sandro, falta dinheiro basicamente. Investidores grandes tanto para pós-produção como na divulgação. Os filmes americanos gastam o dobro a produção na divulgação no mundo inteiro e às vezes nem são tão bons assim. Este filme foi feito com muito amor e com muito pouco dinheiro. Existe uma dificuldade de conseguir espaço nas salas, pois os donos de cinema são apenas empresários. O produtor de filmes brasileiro encontra muitas dificuldades para conseguir espaço, às vezes encontra duas ou três salas das 500 que existem.

(02:05:44) escravo da Daniela: qual a sua expectativa para a estréia do filme? e qual a sua participação no mesmo?
(02:16:37) Daniela Escobar:
escravo da Daniela, espero que as pessoas gostem e divulguem.

Geovanna/UOL:

Daniela Escobar em cena do filme "O Dono do Mar"


(02:08:12) jeyce -PE: oi dani sou de Recife, admiro muito seu trabalho, gostaria de saber se vc sentiu muita diferença da novela pro cinema? e quais seus planos, pretende fazer mais novela ou cinema?
(02:17:10) Daniela Escobar:
jeyce -PE, pretendo fazer de tudo e muito mais. A diferença é que o cinema é mais arte, se faz tudo com mais tempo e mais cuidado. Por isso é mais gostoso.

(02:17:46) Daniela Escobar: Sobre como comecei: Foi no teatro, onde aprendi tudo. Mas a minha paixão é o cinema.

(02:15:16) adri: Daniela, tudo bem? Foi difícil compor a Camborina?
(02:20:00) Daniela Escobar:
adri, o cenário é uma aldeiazinha com cazinhas de pau-a-pique, de barro, onde convivemos com as pessoas de lá, observando. Me esforcei ao máximo para fazer o sotaque de lá para chegar o mais próximo possível daquela realidade. Eu acho mais agradável buscar alguma coisa que não está perto. E às vezes isso choca, como encontrar uma casa de chão de terra, mas com crianças alegres e felizes. As camas eram de rede, parecia que eu estava na Amazônia.

(02:15:37) gato_sozinho: vc pretende continuar fazendo filmes?
(02:20:30) Daniela Escobar:
gato_sozinho, se Deus quiser. Eu tenho mais quatro propostas de cinema. São bem novas por isso não posso adiantar nada.

(02:17:40) escravo da Daniela: vc tem algum ritual antes de começar uma filmagem?
(02:20:41) Daniela Escobar:
escravo da Daniela, não, só concentração.

(02:18:06) Ane. Mocellin:Dani, qual foi tua principal dificuldade neste filme? O fã-clube Simplesmente Daniela Escobar manda beijos.
(02:21:32) Daniela Escobar:
Ane. Mocellin, beijos para vocês. A minha única dificuldade foi tentar conciliar com o meu filho que estava bem pequenininho. Eu não me desgrudo dele. Mas não tive nenhuma dificuldade para gravar.

(02:18:38) Sandro: Por morar na periferia, vejo que quando vou à locadora um tremenda resistência com filmes brasileiros, não sei se com as outras classes é assim também, no entanto, Você não acha que deveria ter um maior incentivo nas escolas para os filmes nacionais e até mesmo uma disciplina que ensinasse a história e o valor da cultura nacional?
(02:23:25) Daniela Escobar:
Sandro, acho sim. Você está totalmente correto. Falamos muito sobre isso na coletiva de imprensa da pré-estréia do filme. Se houver interesse em divulgar o cinema nacional do país com certeza as pessoas vão se interessar. Se as pessoas conhecerem a cultura de seu próprio povo elas vão se valorizar. Depois de comida, saúde, roupa e escola ninguém sabe o que as pessoas querem. Então se isso acontecesse nas escolas o país iria se levantar e se orgulhar de si mesmo.

Geovanna/UOL:

Daniela Escobar fala sobre o filme "O Dono do Mar", que estréia nesta sexta


(02:20:44) ANDRE RJ: Por ser uma obra de José sarney ex presidente, vc nao acha que pode haver uma rejeição?
(02:24:46) Daniela Escobar:
Andre RJ, é muito possível. Quando eu soube que era um livro do José Sarney eu disse que estavam malucos de fazer isso, inclusive falei isso para ele ontem. Eu recomendo que leiam o livro, a história é belíssima, muito bem escrito. Ele como autor é muito melhor do que foi como presidente.

(02:21:45) adri: Você está muito linda, Daniela. Você é muito vaidosa?
(02:25:19) Daniela Escobar:
adri, não sou vaidosa, acho até que deveria ser mais.

(02:25:45) Daniela Escobar: Sobre o programa Superbonita: Eu sinto muita saudade deste programa. Eu pegava muitas dicas.

(02:22:06) Sandro: Qual é o diretor que você sonha em trabalhar com ele?
(02:26:51) Daniela Escobar:
Sandro, o Valter Carvalho, a Sandra Wernek, o Clint W., o Spielberg... Mas é difícil falar porque não vou lembrar de todos.

(02:27:17) Daniela Escobar: Sobre atuar nua: : Eu não gosto de fazer, tem muitas atrizes que fazem naturalmente. Mas eu não consigo fazer, é a única coisa.

(02:25:15) jeyce -PE: dani o que vc mais aprendeu com esse filme?
(02:30:10) Daniela Escobar:
jeyce-PE, aprendi que tem muita gente precisando de coisas básicas. Eu vi muita gente bonita sem escola, gente que poderia estar estudando e não tem nada. Eu convivi com pessoas reais, na qual o Sarney se inspirou para fazer. O que eu mais estranhei de tudo foi que eles não se chocaram com nada. Todos tinham TVs dentro de casa. Alguns me conheciam, outros não. A maior dificuldade foi lidar com o seu igual, sabendo que ele deveria ter as mesmas chances que você e não têm.

Geovanna/UOL:

Daniela Escobar diz como foi filmar "O Dono do Mar" no litoral maranhense (crédito: Eduardo Piagentini/UOL)


(02:25:17) escravo da Daniela: na televisão qual foi o trabalho que mais te marcou positivamente?
(02:30:51) Daniela Escobar:
escravo da Daniela, foi "Aquarela do Brasil" em que eu fiz uma judia romena em 1942. Eu me vi fazendo cinema na televisão e isto marcou.

(02:27:54) Sandro: O que é mais difícil, o drama ou a comédia na sua opinião?
(02:31:36) Daniela Escobar:
Sandro, eu acho difícil fazer comédia porque não acho graça na desgraça alheia, na falta. Se faltou, não acho graça. Eu fiz comédia em América e as pessoas amaram.

(02:31:03) escravo da Daniela: vc parece ser muito bem humorada, vc acha que leveza e bom humor são qualidades importantes para uma atriz?
(02:32:07) Daniela Escobar:
escravo da Daniela, tem que ter bom humor e leveza na vida senão as coisas passam e você não percebe.

(02:33:50) Daniela Escobar: Sobre o Sarney: Ele visitou as filmagem e foi na pré-estréia. Transformar o livro de 300 páginas em duas horas é muito complicado. Para as pessoas de São Luis do Maranhão é fácil porque eles já sabem como é. Mas as outras pessoas não, ninguém sabe, por exemplo, o que é pioco.

(02:31:50) ANDRE RJ: "O Cheiro do Ralo" foi um filme barato mas interessante, seu filme esta nesses padrões?
(02:34:48) Daniela Escobar:
Andre RJ, eu não conheço o filme "Cheiro do Ralo" e nem quanto custou e também não sei quanto custou o "Dono do Mar".

(02:33:19) carola: Daniela, vc fala bastante dos contrastes que você viveu ao rodar o longa. Vc acha que o filme pode quebrar os "tabus" de outras pessoas com relação à região?
(02:35:57) Daniela Escobar:
carola, vocês verão imagens muito lindas. Era lodo, não é fácil enfiar o pé no lodo e achar bonito, principalmente sabendo quando se tem que fazer isso até o final de sua vida. Uma mulher de 50 anos aqui em SP é linda, lá era uma mulher de 40 ou 50 com dez filhos, grisalha. Isto tem a ver com qualidade de vida.

Geovanna/UOL:

Daniela Escobar conta foi foi rodar o longa "O Dono do Mar" (crédito: Eduardo Piagentini/UOL)

(02:34:48) Ane. Mocellin: Dani, qual a importância dos fãs na tua carreira? você acha que o cinema brasileiro já cresceu o suficiente?
(02:37:06) Daniela Escobar:
Ane. Mocellin, acho que o cinema brasileiro tem muito que crescer. Os meus fãs são pessoas que me dão retorno de meu trabalho. Eu recebo e-mails, por exemplo, da Romênia, da Rússia, da Itália e claro do Brasil. E faço cinema com prazer para os meus fãs, são eles que eu quero agradar.

(02:38:38) Daniela Escobar: Sobre estudar: Eu estou em um momento de estudo, eu preciso disso. Gosto de estudar e aprender coisas novas. Métodos de interpretação diferentes.

(02:36:00) carola: é a primeira vez que vc faz um papel que envelhece como a Camborina? vc se imagina velhinha como ela?
(02:39:31) Daniela Escobar:
carola, é uma mulher de 50 anos mal-tratada pelo meio em que ela vivia. No Clone eu fiz uma mulher de uns 40 mais ou menos e tive que fazer caracterização de rejuvenescimento.

(02:36:59) Cão Psiq...kkk...: O Brasil, é tão rico de folclore e de heróis históricos reais. Pq eles são tão pouco vistos no cinema, q vc acha que deve melhorar para isso acontecer?
(02:40:15) Daniela Escobar:
Cão Psiq...kkk..., dinheiro no cinema para ter mais produções. Assim os cineastas irão contar as suas histórias. Os quatro filmes que fiz tinham histórias regionais e diferentes uma das outras.

Geovanna/UOL:

Clique aqui e assista ao trailer do filme "O Dono do Mar"

(02:38:44) jeyce -PE: Dani, o filme demorou um tempo para estrear no cinema, vc acha que essa demora gera alguma dificuldade? qual?
(02:41:52) Daniela Escobar:
jeyce -PE, para um filme que foi rodado há três anos atrás eu não tenho mais aquela carinha. Foi o meu primeiro filme e foi um momento fantástico para toda a equipe e o elenco cuja maioria estava começando também, fora a direção e a produção.

(02:43:01) Daniela Escobar: Sobre a estréia: Eu passei por mentirosa várias vezes porque quando eu ia estrear novelas eu falava que estava gravando um filme e o filme não saía.

(02:41:48) marina: oi Daniela, tudo bem? vc levantou a questão da produção, que é muito dificultada pela falta de grana. Vc pensa em, quem sabe um dia, se voltar para esse lado da produção e vivenciar essas dificuldades na pele??
(02:44:41) Daniela Escobar:
marina, eu já pensei em produzir um filme, mas não consigo me imaginar lidando com dinheiro. Produzindo mesmo eu nunca me imaginei. Sobre a gravação: Eu consigo ver o filme como um todo, se a luz está boa, a câmera etc.

(02:42:07) leandro: que outros atores estão no filme?
(02:45:53) Daniela Escobar:
leandro, Sérgio Marone, Samara Felipp, Pepita Rodrigues, Jackyson Costa, Odilon Wagner... É um elenco maravilhoso. Até o meu filho com três aninhos está lá em uma cena.

(02:45:07) kaká: Por ser um livro de um político houve maior colaboração nos recursos necessários à produção do filme?
(02:46:28) Daniela Escobar:
kaká, eu não tenho a menor idéia sobre a captação.

(02:47:36) Daniela Escobar: Sobre a personagem: Ela foi enfeitiçada por uma rezadeira e quando ela vai casar diz que não é mais virgem. E por isso diz que não pode ir com ele, mas ele a aceita. Eu não vou contar o resto...

(02:46:23) Ane. Mocellin: Dani, tu ja fez varios papeis, e ja me disse que a Bella Landau foi seu melhor papel. Que tipo de personagem tu gostaria de fazer?
(02:49:11) Daniela Escobar:
Ane. Mocellin, eu gosto de personagens que não foram feitos, que não tenho nenhuma referência. Assim eu posso dar vida a personagem. Porque se eu vi o personagem em outra atriz vou ficar tentada para fazer igual. Eu estudo o personagem nos livros, leio vários assuntos sobre os personagens da época.

Geovanna/UOL:

Daniela Escobar como a personagem Camborina no filme "O Dono do Mar"

(02:47:36) Fã 1: Dani, o que é mais cansativo?... gravar um filme ou uma novela ?... onde existe mais divergências: filmes ou novelas?
(02:50:15) Daniela Escobar:
Fã 1, sem dúvida em uma novela. Nós gravamos no mínimo dez horas por dia e temos que conviver durante um ano. Em um filme são três meses e não dá tempo de haver divergências. Em qualquer lugar que ficamos muitas horas juntos sempre vai dar algum probleminha.

(02:48:05) Gabriela: Daniela vc acha que o seu papel de destaque em "O Clone" foi um dos que mais ajudaram no seu sucesso?
(02:51:59) Daniela Escobar:
Gabriela, eu atribuo o sucesso a qualidade do trabalho. Tem muitas pessoas fizeram sucesso sem ser pela TV. Acho que o sucesso é muito relativo. Os elogios são méritos do esforço. Tem muita gente boa que não teve a mesma chance e por isso não chegou ao sucesso.

(02:49:37) milinha ssa: quando vc faz uma personagme super chata qual é sua reação quando pega o roteiro?
(02:52:31) Daniela Escobar:
milinha ssa, eu leio e me inspiro nas pessoas chatas que já convivi para me inspirar nelas.

(02:50:58) FRANCISCO:Daniela, o fato de voce ser linda, pelo menos é o que eu acho, e o fato de ser famosa te atrapalham na vida pessoal?
(02:53:25) Daniela Escobar:
Francisco, eu acho que o meu sucesso é pela minha atuação e não pelos meus olhos. Não tenho preconceito nem comigo nem com a beleza. Eu sou eu e não tenho muito que fazer, não perco uma hora do meu dia pensando nisso.

(02:53:04) luis: vc teve a oportunidade de fazer teatro ou novela fora do país?
(02:54:21) Daniela Escobar:
luis, nunca, nem pensei e nem procurei. Se eu não tivesse filho e fosse solteira e recebesse uma proposta tentadora sem dúvida eu iria.

(02:53:14) escravo da Daniela: vc tem algum projeto para teatro em andamento ou em vista?
(02:54:55) Daniela Escobar:
escravo da Daniela, de teatro não.

(02:57:06) Daniela Escobar: Sobre o que gostei de fazer na TV: Foi ser apresentadora, é uma coisa que eu gostaria de repetir. Em Superbonita eu era uma personagem de uma série longa, fiquei seis anos fazendo. A equipe era tão bacana e vinha tudo prontinho, por isso eu não tinha muito que dizer, só dava alguns palpites. Eu aprendi muito sobre beleza.

(02:56:33) Caraguá: Daniela! Como você avalia a Daniela de "A Madona do Cedro" para a Daniela de "América"?
(02:58:47) Daniela Escobar:
Caraguá, os anos se fazem presentes... Naquela época eu estava começando, foi o meu primeiro trabalho em que tive um personagem com nome. Agora eu tenho experiência e isso conta. Hoje entendo meu meio e sei o que todos estão fazendo. Naquela época eu era curiosa para aprender o que estavam fazendo, queria conhecer tudo. Hoje eu sei e entendo tudo do meu meio.

(03:01:30) Daniela Escobar: Sobre a diferença do teatro para a TV: No teatro você faz tudo maior, a linguagem corporal é outra. Na TV a câmera pega só o seu rosto então não faz diferença como estão os seus braços. Então tem que fazer tudo menor. E no teatro tem que saber como colocar a sua voz para chegar na última fileira sem incomodar a primeira, berrando. Já no ponto de vista de atuação é a mesma coisa. A maneira como o veículo vai captar é diferente. Não se mente nem na TV e nem no teatro.

(02:58:20) marina: daniela, como o filme foi rodado há seis anos, vc vê muita diferença na sua atuação de lá pra cá, mudaria alguma coisa na forma como interpretou Camborina?
(03:02:22) Daniela Escobar:
marina, com certeza eu mudaria. Hoje eu sou outra pessoa, não me sinto igual. Como pessoa, cidadã, eu me chocaria de novo se fosse para lá agora.

(02:59:51) monica: Com quantos anos voce começou a atuar? Em que ponto se considera mais madura hoje?
(03:04:05) Daniela Escobar:
monica, eu comecei com 19 anos fazendo teatro no RJ. Eu me considero mais madura porque eu capto mais rápido a personagem, eu já li muito. Pegar Shakespeare aos 15 anos não se entende nada e aos 35 entende tudo. Eu muito Anne F., muita biografia e o que a escola mandava eu ler. Com isso tem o que dar ao personagem, tenho ferramentas para construir o personagem.

(03:04:28) Daniela Escobar: Espero que gostem do "Dono do Mar" e se divirtam. Obrigado.

(03:04:33) Geovanna/UOL: O Bate-papo UOL agradece a presença de Daniela Escobar e de todos os internautas. Até o próximo!

Compartilhe:

    Siga UOL Cinema

    Sites e Revistas

    Arquivo

    Hospedagem: UOL Host