UOL Entretenimento Cinema
 
24/10/2008 - 18h25

Wagner Moura e Letícia Sabatella vivem conto medieval em novo filme de Guel Arraes

ANA ELISA FARIA
Da Redação

Após o sucesso do personagem capitão Nascimento em "Tropa de Elite", de José Padilha, Wagner Moura volta ao cinema como protagonista, ao lado de Letícia Sabatella, de "Romance", novo longa-metragem do diretor pernambucano Guel Arraes. Embora tenha estréia prevista para 14 de novembro, o filme foi exibido no último Festival do Rio e agora está na programação da 32ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo.

Divulgação
Wagner Moura e Letícia Sabatella interpretam Pedro e Ana em "Romance", novo longa do diretor pernambucano Guel Arraes
ASSISTA AO TRAILER DO FILME

O ponto de partida do roteiro, escrito em dupla com Jorge Furtado ("Saneamento Básico, O Filme" e "Meu Tio Matou um Cara") , é a história medieval de Tristão e Isolda. Wagner Moura vive Pedro, diretor e ator de teatro que conhece a atriz Ana (Letícia Sabatella) e, ao encenarem juntos a peça, se apaixonam e passam a viver, também, um amor fora dos tablados.

Guel Arraes contou, com exclusividade ao UOL Cinema, que queria filmar uma história de amor atual. "A gente (ele e Jorge Furtado) tinha em mente falar de um amor contemporâneo e pensamos em narrar um amor entre atores. Ao imaginarmos a peça que estariam montando, surgiu a idéia de 'Tristão e Isolda', já que foi a história que deu a base para o conceito de amor romântico no ocidente.

Pedro é um homem cético que acredita na teoria de que o amor recíproco é sempre infeliz. Ana, no entanto, pensa de forma oposta, até o dia em que essas diferenças batem na porta do casal. "Essa questão do amor idealizado vem cheia de preconceitos e nós queríamos tirar isso, provocando os casais para além de um romance fantasioso", pontuou Guel.

Andréa Beltrão interpreta Fernanda, uma produtora de caráter duvidoso que impulsiona a carreira de Ana para a televisão. A personagem de Andréa enfoca outro tema do filme: os bastidores do mundo televisivo. "É uma crônica sobre os vícios de produção, é, de certa forma, um massacre à visão glamourizada da coisa", afirmou a atriz durante entrevista coletiva. No decorrer da trama, Fernanda se envolve com Orlando/José de Arimatéia (Vladimir Brichta), um ator picareta e sedutor.

Guel Arraes se utiliza da metalinguagem para falar da vida dos atores. Cerca de 50% do filme foi gravado dentro do teatro Dulcina, no Rio de Janeiro. "Foi o primeiro teatro em que trabalhei, ele estava vazio e aproveitamos para fazer os ensaios. Essa vivência diária ali nos deu uma cara de trupe. A Letícia e o Wagner ganharam uma intimidade de atores de teatro".

Apesar da história se passar, basicamente, entre Rio e São Paulo, o diretor não fugiu do sertão, assim como em "O Auto da Compadecida" e "Lisbela e o Prisioneiro". Com filmagens na Paraíba, Guel Arraes transportou o conto medieval para uma linguagem sertaneja, explicitamente inspirada no escritor mineiro João Guimarães Rosa. O humor caricato costumeiro de seus filmes deu espaço às reflexões sobre relacionamentos, apresentando um tom diferente, porém, sem abandonar totalmente sua marca poética.


ROMANCE (ROMANCE), de Guel Arraes (105'). BRASIL. Falado em português. Indicado para: 14 anos.

ESPAÇO UNIBANÇO POMPÉIA 1 24/10/2008 - 14:00 - Sessão: 711 (Sexta)

iG CINE 25/10/2008 - 18:00 - Sessão: 750 (Sábado)

Compartilhe:

    Siga UOL Cinema

    Sites e Revistas

    Arquivo

    Hospedagem: UOL Host