Filmes e séries

Ator, músico e diretor: Você vai ouvir falar muito de Donald Glover

Divulgação
Donald Glover: Simultaneamente, o salvador das comédias na TV e o rapper que trouxe o funk psicodélico de volta Imagem: Divulgação

Tiago Dias

Do UOL, em São Paulo

17/01/2018 04h00

Donald Glover passou a maior parte de 2017 segurando prêmios. Criador, produtor, diretor e protagonista da série “Atlanta”, o americano ganhou o Globo de Ouro de melhor ator e série de comédia ou musical. Meses depois, saiu do Emmy com mais um prêmio de atuação e como o primeiro afro-americano a vencer na categoria de melhor direção.

Mas Glover não é apenas um rostinho “bonito e perfeito para a comédia”, como o jornal “The Guardian” fez questão de ressaltar. Ele encerrou o ano com mais algumas indicações, mas dessa vez no maior prêmio da música mundial.

Glover concorre nas principais categorias do Grammy, ao lado de Jay Z, Bruno Mars e Kendrick Lamar, graças a um dos discos mais celebrados de 2017 (lançado nos 45 do segundo tempo de 2016).

“Awaken, My Love”, uma viagem experimental e uma carta de amor para o funk psicodélico dos anos 1970, conquistou cinco indicações, incluindo a principal categoria de álbum do ano. Mas nem adianta procurar por seu nome entre os indicados.

Separando bem a energia e as viagens criativas, sua faceta musical atende por Childish Gambino, curiosa alcunha que apareceu pela primeira vez na parada da Billboard por conta da climática e hipnotizante balada “Redbone”, trilha sonora da série “Insecure” e do filme “Corra!”

Canção dolorida, cantada toda em um falsete corajoso, ela concorre ao Grammy de gravação do ano, performance e música R&B, o que o coloca em uma posição inédita no showbiz: Simultaneamente, ele é o novo nome da comédia americana e o novo Prince.

Divulgação
Glover como Childish Gambino no "The Tonight Show" Imagem: Divulgação

Infância sem TV e música

Tão estranho e sedutor quanto suas criações é sua própria história. O americano de 34 anos nasceu em pleno berço dos Testemunhas de Jeová. Em casa, TV e aparelho de som eram proibidos por sua mãe entender que essas distrações nada mais eram do que a porta de entrada para o Satanás acabar com a família.

“Se você perguntasse a alguém [na época], eles diriam: 'Ah, sim, Donald é legal'. Mas eu me sentia sozinho”, contou Glover em entrevista ao “Guardian”, quando “Atlanta” ainda era apenas uma promessa na TV americana. “[Isso] transpareceu no meu trabalho. As pessoas se perguntam por que minhas peças, poemas, músicas ou tudo o que estava fazendo era tão triste."

Isso pode explicar um pouco o humor agridoce e surreal da própria série, exibida lá fora pela Fox e disponível no Brasil pela Netflix. Glover é Earnest  Marks, um jovem pé rapado, esperto, mas displicente, que vê na ascensão do primo Paper Boi (Brian Tyree Henry) na cena do rap em Atlanta, em Geórgia, como a grande chance para começar a angariar uma grana.

As piadas vêm de forma sutil e muitas vezes fantasiosa. No mundo de “Atlanta”, por exemplo, Justin Bieber é negro e é completamente plausível um carro invisível atropelar pessoas na porta da balada. Mas os problemas reais das ruas não apenas existem como são mostradas de forma crua.

O mesmo tom absurdo está no disco “Awaken, My  Love”, que Glover diz ter feito para sentir novamente o medo e a atração sexual que os grupos dos anos 1970 como Funkadelic e Paliament o provocaram quando finalmente ele se livrou do ninho cristão.

Glover entrou na TV através da comediante Tina Fey, que viu ali no rapaz de 23 anos que fazia esquetes no YouTube o tom certo para sua série “30 Rock”.

Dali, ele pulou para frente das câmeras no papel do adorável Troy Barnes, em “Community”, mas causou uma polêmica com os fãs da série ao recusar aparecer na quinta temporada. A razão era justamente poder jogar no mundo suas próprias ideias na TV e na música.

Conquistado esse espaço, ele retoma agora em outros projetos ainda maiores. Ele será a versão jovem do mercenário Lando Calrissian, amigo (e futuro rival) de Han Solo, no spin-off “Solo: Uma História Star Wars”, e vai dar expressão, voz e movimento a Simba, no aguardado live-action de “O Rei Leão”, previsto para 2019.

Além disso, ele trabalha ao lado do irmão Stephen (produtor e também criador de “Atlanta”) para a adaptação animada de “Deadpool” para TV (com essa dupla o humor cáustico do personagem já está garantido).

Enquanto os novos projetos não saem, ele se prepara para estrear a segunda temporada de “Atlanta” e subir ao palco do Grammy no próximo dia 29, onde vai cantar ao vivo algumas músicas de “Awake, My Love”. Seu alter-ego, Childish Gambino, também prepara um novo disco, que pode ser seu último.

“Eu acho que tem razão para se fazer as coisas”, disse este ano. “Ser punk sempre soou algo bom e sempre olhamos para ‘Atlanta’ como uma série punk e eu sinto que a direção que eu for seguir com Childish Gambino não será mais punk”, explicou.

ONDE VOCÊ JÁ VIU DONALD GLOVER...

"30 Rock"
A entrada de Glover na TV se deu através de Tina Fey, que o colocou como roteirista da siticom. Com apenas 23 anos, ele ganhou três vezes o prêmio do Sindicato dos Roteiristas pelo trabalho na série.

"Community"
Glover tornou-se conhecido por um público mais amplo com o lançamento da série da série de comédia da NBC em 17 de setembro de 2009 como o personagem Troy Barnes. No entanto, recusou a participar de toda a quinta temporada. "Estou feliz que as coisas terminem porque isso as força a progredir. Não era como se estivesse fugindo, só acabei com aquilo”, disse à época.

 Vivian Zink/NBC/NBCU Photo Bank via Getty Images
Imagem: Vivian Zink/NBC/NBCU Photo Bank via Getty Images


"Perdido em Marte"
Na pele de astrofísico nada convencional Rich  Purnell, Glover aparece apenas em algumas cenas da filme de Ridley Scott, mas rouba a atenção e dá o alívio cômico no dramático resgate do personagem de Matt  Damon, preso em Marte.



"Homem-Aranha: De Volta ao Lar"
Os fãs ficaram em polvorosa com a presença de Glover no elenco do “reboot”. Isso porque já corria na internet uma campanha para que o ator interpretasse Miles  Morales, o primeiro Homem Aranha negro dos quadrinhos. No filme, ele interpreta o tio de Morales em uma participação especial.

Divulgação
Imagem: Divulgação

… E ONDE VOCÊ VAI VÊ-LO NOS PRÓXIMOS MESES

Grammy
Como Childish Gambino, Glover concorre em duas das categorias principais: Álbum (“Awaken, My Love”) e gravação dp ano (“Redbone”). A canção, uma balada funkeada e dolorida também concorre à melhor performance e melhor música R&B. Ele se apresenta ao vivo na cerimônia no próximo dia 28.



"Atlanta": Segunda Temporada
Conhecido como a série para se esperar o inesperado, “Atlanta” estreia a segunda temporada em março com 11 episódios onde a ideia é passar dos limites desse conceito. A sinopse apenas diz que os personagens agora vão explorar um “tempo perigoso e incerto” em Atlanta. O que sabemos é que Paper Boi vai se sentir desafiado por outro artista (interpretado por RJ Walker) no mundo do rap.



"Solo"
Glover dará vida a versão jovem do mercenário Lando Calrissian, amigo (e futuro rival) de Han Solo, no spin-off “Solo: Uma História Star Wars”. Em Londres desde o ano passado, onde grava o filme, ele afirmou que o papel é um sonho. “Lembro de entrar no set nas primeiras vezes e o diretor pedir: ‘quero seguir você entrando no Millennium  Falcon’. E eu virei: ‘Acho que nunca vi ninguém de fora entrando na nave’. E ele: ‘sim, ninguém gravou essa cena’”, contou, animado.

Divulgação
Elenco do filme sobre Han Solo posa reunido na primeira foto oficial do longa Imagem: Divulgação


"Deadpool"
O mais politicamente incorreto herói da Marvel vai ganhar uma versão animada para a TV e adivinha quem está por trás da série? Donald e seu irmão Stephan têm trabalhado no roteiro da série para a estreia ainda em 2018. Produtor executivo da Marvel, Jeph Loeb resumiu: “O quão divertido isso pode ser?” Nós concordamos.

Divulgação
Imagem: Divulgação


O último álbum
Durante sua performance (musical) no ano passado no Governor’s Ball Music Festival, Glover anunciou que vai aposentar o Childish Gambino, não sem antes gravar um último disco para 2018. “Eu acho que tem razão para se fazer as coisas”, disse. “Ser punk sempre soou algo bom e sempre olhamos para ‘Atlanta’ como uma série punk e eu sinto que a direção que eu for seguir com Childish Gambino não será mais punk”, explicou.

"O Rei Leão"
O anúncio feito pela Disney do elenco da versão live-action da animação "O Rei Leão" causou arrepios entre os fãs da animação. Glover será o protagonista Simba e seu par romântico, Nala, será interpretado por Beyoncé. James Earl Jones, Alfre Woodard, Chiwetel Ejiofor e Seth Rogen também estarão no elenco do longa, dirigido por Jon Favreau.

Divulgação
Imagem: Divulgação

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
UOL Cinema - Imagens
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
Reuters
UOL Cinema - Imagens
Cinema
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo