Filmes e séries

Chefão da Pixar ficará afastado por seis meses por comportamento inadequado

Divulgação
John Lasseter revolucionou a Disney Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

21/11/2017 18h58

John Lasseter, diretor de criação da Pixar, Walt Disney Animation Studios e DisneyToon Studios, afirmou que vai tirar "seis meses sabáticos" após comportamento inadequado relatado por seus colegas de trabalho.

Um empregado antigo da Pixar afirmou que Lasseter é conhecido por "agarrar, beijar e fazer comentários sobre os atributos físicos das pessoas", relatou o site "The Hollywood Reporter", que entrevistou diversas fontes próximas à empresa.

Muitos confirmaram que o diretor de criação também exagerava na bebida alcoólica durante eventos sociais da Pixar. Nenhuma fonte revelou o nome por medo de demissão e que a sua carreira fosse manchada.

A atriz Rashida Jones -- conhecida por "Parks and Recreation" e "Eu Te Amo, Cara" -- e seu parceiro criativo Will McCormack deixaram o projeto "Toy Story 4", no qual ainda são creditados como roteiristas, após Lasseter realizar um "avanço indesejado", salientou uma das fontes.

O chefão pediu desculpas por "qualquer um que já recebeu um abraço não desejado ou qualquer gesto que tenha ultrapassado o limite de qualquer forma".

"Nunca é fácil enfrentar seus erros, mas é a única maneira de aprender com eles", disse Lasseter em um memorando enviado à equipe neste terça-feira (21). "Como resultado, tenho pensado muito no líder que sou hoje em comparação com o mentor e campeão que quero ser. Foi trazido à minha atenção que eu fiz alguns de vocês se sentirem desrespeitados ou desconfortáveis. Essa nunca foi minha intenção".

"Coletivamente, vocês significam tudo para mim, e eu me desculpo profundamente se eu os decepcionei. Eu especialmente quero pedir desculpas a qualquer um que já recebeu um abraço não desejado ou qualquer gesto que ultrapasse a o limite de qualquer forma. Não importa quão benigna seja minha intenção, todos têm o direito de estabelecer seus próprios limites e tê-los respeitados", acrescentou o Lasseter.

O afastamento será para "cuidar melhor de mim, de recarregar e ser inspirado, e por fim voltar com as ideias e perspectivas que preciso para ser o líder que vocês merecem".

Revolução nas animações

Lesseter promoveu uma revolução na indústria cinematográfica. Um dos fundadores da Pixar, ele dirigiu "Toy Story", "Toy Story 2", "Vida de Inseto", "Carros" e "Carros 2". Após a Disney comprar a empresa de animação, Lesseter virou o diretor de criação tanto da Pixar quanto da Walt Disney Animation Studios.

O produtor, diretor e roteirista tem dois Oscar - melhor curta de animação por "Tin Toy" e um prêmio especial por "Toy Story". Um porta-voz da Disney disse ao site "The Wrap" que "estão comprometidos em manter um ambiente em que todos os funcionários são respeitados e habilitados a fazer o seu melhor".

A Lasseter é atribuído o resgate da Walt Disney Animation. Parece distante agora, com "Frozen" (2013) entre os 10 filmes de maior bilheteria da história, mas a Disney teve grandes fracassos como "Atlantis - O Reino Perdido" (2001), "Irmão Urso" (2003) e "O Galinho Chicken Little" (2005).

Assolada pela Pixar, a divisão de animação da Disney esteve a ponto de fechar, mas o estúdio recobrou a sua energia sob a direção de Lasseter e começou a produzir clássicos como "Enrolados" e "Detona Ralph" para voltar aos seus dias de glória.

"Cresci amando os filmes da Disney, tinham muito significado para mim, havia magia neles, beleza", diz o diretor de 60 anos em um encontro com a imprensa internacional durante a conferência D23, organizado pela empresa em julho deste ano.

A contribuição de Lasseter ao mundo não é pequena. Desde que em 1995 estreou "Toy Story", a Pixar ganhou 13 Oscars e US$11 bilhões nas bilheterias com 18 filmes. E ao entrar no Walt Disney Animation Studios, o tirou das ruínas, lucrou US$ 5 bilhões em oito filmes e venceu quatro prêmios da Academia.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
Cinema
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
Chico Barney
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski

Roberto Sadovski

As 25 melhores histórias em quadrinhos da Liga da Justiça

Pincelar as melhores histórias da Liga da Justiça é um trabalho complexo. Não pela falta de qualidade, mas pelo contraste: muita coisa entre os primórdios da equipe e o final dos anos 80 tem mais valor por sua inegável importância histórica do que por seus predicados artísticos. O gibi da Liga, afinal, viveu por anos na sombra da animação Superamigos, e isso deixou o tom das histórias mais ingênuo e infantil até a reformulação pós-Crise nas Infinitas Terras. Mas garimpar todas as fases em décadas de aventuras trouxe boas surpresas e ótimas descobertas - além do perceber que, em boas, mãos, a Liga pode ser incrível! A leitura rendeu algumas conclusões. Primeiro, não há absolutamente nada errado em usar histórias de super-heróis para fazer humor! Segundo, o horrendo período dos Novos 52, que privilegiou forma, ignorou substância e fez um flashback sinistro dos primórdios da Image Comics nos anos 90 (urgh), não foi tão cruel com a Liga. Terceiro, pouca gente escreve e entende os herói tão bem quanto Grant Morrisson e Mark Waid. No mais, a Liga da Justiça, em usas diversas encarnações, ainda é aposta certeira quando o assunto é entretenimento - afinal, só uma equipe criativa muito canhestra poderia melar uma mistura de personagens e personalidades e superpoderes tão diversa e tão bacana! Acredite, se os super-heróis mais lendários do mundo sobreviveram a Extreme Justice, nada é capaz de derrotá-los!

Cinema
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
TV e Famosos
do UOL
do UOL
Topo