Filmes e séries

Por que Woody Allen nunca foi julgado pelas acusações de abuso sexual

 REUTERS/Yves Herman
O diretor Woody Allen, acusado de abuso sexual pela filha Imagem: REUTERS/Yves Herman

Do UOL, em São Paulo

18/01/2018 12h06

A acusação de Dylan Farrow, filha adotiva do diretor Woody Allen e da atriz Mia Farrow, de que o pai a abusou sexualmente na infância, não é nova. O caso foi revelado nos anos 90, mas Allen nunca foi a julgamento. Nesta quinta, Dylan deu detalhes da sua versão do caso, dizendo que o diretor a tocava constantemente. Allen sempre negou o abuso.

A primeira acusação contra Allen surgiu em 1992, quando Mia Farrow denunciou o diretor por ter supostamente abusado de Dylan quando ela tinha sete anos. As alegações foram apresentadas no momento em que a atriz estava em uma disputa intensa com o cineasta depois de ter descoberto que ele mantinha uma relação com outra das filhas adotivas da atriz, Soon-Yi Previn, que na época tinha 20 anos.

Quase seis meses após o início das investigações, uma equipe do Hospital Haven Yale concluiu que Dylan não havia sido molestada. Meses depois, as autoridades abandonaram a investigação criminal, resultando em uma declaração incomum que rejeitou as acusações de abuso contra Allen, mas ainda manteve que havia "causa provável" para acreditar em Dylan.

As acusações então foram retiradas e o caso nunca foi julgado. Legalmente, o cineasta foi inocentado de tudo, mas continuava sendo suspeito do caso.

Embora não tenha conseguido levar adiante na Justiça a acusação de abuso sexual em 1992, Mia Farrow ganhou nos tribunais, à época, a custódia dos filhos adotados pelo casal. No processo de separação, Woody teve concedida visitação dos filhos supervisionada, mas o seu pedido de visitação imediato a Dylan foi negado até que a jovem passasse por um período de terapia, depois que uma nova revisão da visitação seria considerado.

No mesmo período, Woody Allen, então com mais de 50 anos, tornou pública sua relação amorosa com Soon-Yi Previn, de 19 anos e com a qual se casou em 1997. Ao contrário do que muito se fala, Soon-Yi não fora adotada por Allen, mas pelo antigo marido de Mia Farrow, André Previn.

Em 2014, Dylan Farrow publicou uma carta aberta reafirmando as acusações e rebatendo as insinuações do cineasta de que teria sido Mia quem "plantou" o episódio da violência sexual na mente da então garota de sete anos. Ela voltou a se pronunciar agora, na onda de revelações de casos de abusos sexuais envolvendo atores, diretores e produtores de Hollywood.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
AFP
AFP
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Da Redação
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
Topo