Filmes e séries

Outro caso em Hollywood: Diretor é acusado de assédio por 38 mulheres

AFP / Tiziana FABI
O diretor James Toback Imagem: AFP / Tiziana FABI

Do UOL, em São Paulo

22/10/2017 14h10

O roteirista e diretor James Toback é acusado de assédio sexual por 38 mulheres em reportagem divulgada neste domingo (22) no "Los Angeles Times". 

Segundo o site, o indicado ao Oscar de melhor roteiro por "Bugsy" usou seu status na indústria para marcar reuniões, entrevistas e audições com intenções sexuais.

Veja também

Toback negou as alegações, disse que nunca encontrou nenhuma dessas mulheres e, caso tenho encontrado, "não foi mais do que 5 minutos". Ele ainda completou que esse comportamento seria "biologicamente impossível", já que ele tem diabetes e problema no coração que precisam de medicamentos.

Os relatos são parecidos. O diretor atraia jovens atrizes que sonhavam em trabalhar em Hollywood e começava a usar uma linguagem de conotação sexual sob disfarce de um papel em um de seus filmes. Em seguida, ele começava a se masturbar na frente delas.

"O jeito como ele se apresentou foi tipo, 'as coisas funcionam assim'", disse a atriz Adrienne LaValley. O encontro que ele teve com Toback em 2008 teve o cineasta esfregando a genitália em sua perna e ejaculando nas próprias calças. "Me senti como uma prostituta, um grande desapontamento comigo mesmo, meus pais e meus amigos. Eu eu merecia não falar para ninguém".

O "Los Angeles Times" aponta que as quase 40 mulheres que se levantaram para falar sobre este caso se sentiram corajosas com os casos de assédio e estupro que o magnata Harvey Weinstein vem sendo acusado desde o início de outubro.

A professora de atuação Karen Sklaire, uma das vítimas de Toback, disse que quando mencionava sobre a humilhação que havia passado, as pessoas achavam normal. O último filme do diretor, The Private Life of a Modern Woman, estreou em setembro e traz Sienna Miller e Alec Baldwin.

Escândalo em Hollywood

As acusações contra Toback vêm na esteira de um grande escândalo envolvendo Harvey Weinstein. Um dos produtores mais poderosos de Hollywood, que levou ao Oscar filmes como "Shakespeare Apaixonado" e produziu clássicos modernos como "Cães de Aluguel", Weinstein, 65, tem sido alvo de acusações desde que o jornal The New York Times e a revista New Yorker publicaram reportagens com relatos das vítimas do executivo. As acusações incluem assédio, abuso sexual e estupro.

Responsável por algumas das campanhas mais agressivas em busca de estatuetas do Oscar, com mais de 300 indicações, desde a revelação dos casos Harvey foi expulso da Academia de Hollywood, do Bafta e do Sindicato dos Produtores, foi demitido de sua própria produtora e se tornou alvo de investigações policiais.

Entre as vítimas do produtor que vieram a público depois das reportagens estão nomes como Mira Sorvino, Rosana Arquette, Gwyneth Paltrow, Angelina Jolie e Léa Seydoux. Depois das denúncias, a vencedora do Oscar Lupita Nyong'o também dividiu um relato de quando foi assediada pelo produtor, no início da carreira.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
EFE
UOL Cinema - Imagens
Cinema
Cinema
Cinema
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
UOL Cinema - Imagens
EFE
BBC
do UOL
do UOL
AFP
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
AFP
do UOL
AFP
EFE
do UOL
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo