Cinema

Irã suspende proibição de viagem do cineasta Mohamad Rasulof a Cannes

TEERÃ, Irã - O governo do Irã suspendeu a proibição de viagem ao exterior do diretor iraniano Mohamad Rasulof, que está em prisão domiciliar por propaganda hostil ao regime, anunciou o advogado Iman Mirza Zadeh.

Rasulof, de 37 anos, cujo longa mais recente, "Bé omid é didar", está no Festival de Cannes, foi condenado a seis anos de prisão em dezembro de 2010, no mesmo julgamento que condenou o também cineasta Jafa Panahi, 50 anos.

A justiça iraniana o proibiu de produzir filmes por 20 anos. Rasulof e Panahi, que apelaram das sentenças, foram liberados da prisão, mas proibidos de deixar o Irã.

O advogado de Rasulof, Iman Mirza Zadeh, declarou à agência Isna que recebeu a confirmação oficial de que as autoridades suspenderam a proibição de deixar o país.

"Felizmente as autoridades culturais e oficiais decidiram retirar os obstáculos que o impediam de viajar e assistir o Festival de Cannes", disse Mirza Zadeh. Mas o advogado afirmou que não é certo que Rasulof viaje, pois o filme já foi apresentado em Cannes.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 
Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Topo