Cinema

Johnny English é "muito mais realista que James Bond", diz "Mr. Bean" sobre novo personagem

Getty Images
Ator Rowan Atkinson divulga o filme "O Retorno de Johnny English", em Madri, na Espanha (26/9/11) imagem: Getty Images

LOS ANGELES, EUA, 19 Out 2011 (AFP) -O ator britânico Rowan Atkinson, que ficou famoso em todo o mundo graças ao personagem "Mr. Bean", volta a entrar no terreno de James Bond ao vestir pela segunda vez as roupas de Johnny English, o espião mais incompetente a serviço de Sua Majestade.

"O retorno de Johnny English", do diretor britânico Oliver Parker, estreia na sexta-feira nos Estados Unidos. O primeiro filme da série, de 2003, arrecadou quase 150 milhões de dólares em todo o mundo.

No novo filme, Johnny deve neutralizar um grupo de criminosos que pretende eliminar o primeiro-ministro chinês, em uma missão do serviço secreto britânico, dirigido pela bela Pamela (Gillian Anderson, a agente Scully de "Arquivo X").

Rowan Atkinson volta a combinar maravilhosamente um ar de suficiência, torpeza e colossal incompetência.

"É um personagem agradável de interpretar, é divertido e humano", disse o ator à imprensa na apresentação do filme em Los Angeles.

"É um personagem bem mais realista. Muito mais realista que James Bond, que no fim das contas é uma espécie Superman", completou.

O célebre espião com autorização para matar continua sendo a principal referência da paródia, apesar da equipe do filme ter pensado por algum tempo em inspirar-se na trilogia do agente "Bourne", com Matt Damon.

"Mas a marca da série 'Bourne' é sua montagem e estilo, que é trepidante, entrecortada e espetacular. E sempre pensei que isto não se encaixava na comédia, que precisa oxigênio, tempo e espaço", disse. Atkinson

Assista ao trailer de "O Retorno de Johnny English"

"Meus James Bond preferidos são sem dúvida Sean Connery, Pierce Brosnan e Daniel Craig. Mas aquele em que Johnny English mais se inspira é no de Roger Moore", destacou.

"Porque o James Bond de Roger Moore tem uma atitude levemente mais suficiente. Sempre pensei que o primeiro 'Johnny English' era um pouco como um James Bond de Roger Moore, com mais humor".

Como muitos comediantes, Rowan Atkinson não se considera uma pessoa muito divertida.

"Não posso ser divertido até me transformar em outra pessoa. Preciso interpretar um papel para ser divertido. Posso ser razoavelmente leve quando estou na companhia de amigos, mas tenho mais a tendência de ser sério", admitiu.

Uma seriedade que também está presente no trabalho, segundo Oliver Parker.

"Atkinson precisa ter um universo absolutamente autêntico para o personagem. Ele quer saber os detalhes que o levam a fazer as coisas de uma maneira e não de outra. A atitude de Rowan se resume a: é crível?"

Também é um perfeccionista, afirma o diretor.

"Quer que tudo seja absolutamente perfeito", disse o diretor. Por isso desconfia do improviso. Acredito que ele poderia fazer mais, mas isto provoca nele uma sensação de insegurança. Ele sabe que ele é quem leva o filme nas costas e é uma pessoa muito responsável".

O cineasta atribui o grande sucesso mundial do ator à "precisão extraordinária de seu pensamento".

"Ele mostra exatamente o que tem na cabeça. E também tem um dom particular para encarnar fragilidades humanas", observou Parker.

Rowan Atkinson afirma que interpreta Johnny como se fosse alguém sério.

"É preciso interpretá-lo de forma realista, como se fosse um drama muito sério. É graças a isto - e não apesar disto - que o humor avança", concluiu.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 
Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Topo