Cinema

Vince Vaughn vive doador de esperma pai de 533 filhos em "Delivery Man"

Divulgação
Os atores Chris Pratt e Vince Vaughn em cena do filme "Delivery Man", remake de uma comédia canadense imagem: Divulgação

De Los Angeles

"Delivery Man", remake americano de uma bem-sucedida comédia canadense sobre um doador de esperma que descobre ser pai de 533 filhos, estreia nesta sexta-feira (22) na América do Norte, com produção de Steven Spielberg e com Vince Vaughn no papel principal.

O diretor do filme original, intitulado "Starbuck", Ken Scott, dirige esta produção dos estúdios DreamWorks, depois que a primeira versão, em 2011, teve uma recepção calorosa no Festival de Toronto e foi eleita o filme canadense mais popular do ano no Festival de Vancouver.

Ainda sem título em português, o remake é a mais nova versão de uma história inspirada numa história real, também levada ao cinema na Índia sob o título de "Vicky Donor" (2012) e na França como "Fonzy".

Mas, diferentemente destas, em "Delivery Man" (ainda sem título em português) Scott voltou para trás das câmeras para contar a história do extravagante David Wozniak, um doador de esperma que, de um dia para o outro, descobre que tem 533 filhos.

Além de Vaughn como Wozniak, Chris Pratt interpreta um advogado que é seu melhor amigo, cuja atuação mereceu elogios na revista especializada Variety.

"Só vi (Starbuck) uma vez", declarou Pratt à AFP. "Fiquei encantado, me pareceu excelente. 'Me surpreendeu, o filme dava guinadas completamente inesperadas. Tinha um ponto de vista verdadeiro".

No entanto, o ator, que saltou à fama graças à serie de televisão americana "Parks and Recreation", prefere se esquecer do filme canadense para se concentrar em seu próprio trabalho e em seu papel no remake.

"É a mesma receita, mas com ingredientes diferentes, e eu queria estar certo de servir ao filme que estávamos fazendo, e não de tentar fazer uma réplica do primeiro. O filme também é diferente do primeiro", declarou.

Comédia sobre a paternidade inspirada em casos reais

Embora alguns detalhes tenham sido modificados em comparação com "Starbuck", David Wozniak continua sendo um indeciso, um preguiçoso de grande coração que não pode deixar de ir conhecer - incógnito - seus muitos descendentes.

O papel do advogado, esgotado por quatro filhos que cria sozinho e sem deixar de proferir horrores sobre a paternidade, também compartilha muitas semelhanças com o personagem original.

"Os dois dizem coisas bastante desprezíveis: nunca deve se tornar pai, os filhos custam dinheiro, te fazem perder tempo. Mas, apesar disso, ambos continuam sendo simpáticos, e isso é importante", comentou Pratt.

"Foi responsabilidade do diretor garantir que existissem momentos suficientes no filme nos quais se vê que esta pessoa não acredita realmente no que diz. A verdade é que ele ama seus filhos", observou Pratt, que em breve estará no filme de super-heróis "Guardiões da Galáxia", da Marvel-Disney.

"Delivery Man" é uma comédia sobre a paternidade e a família que coloca em evidência um problema real: o uso em excesso do mesmo doador de sêmen. O caso surpreendente do documentarista de Toronto Barry Stevens, que não é o único sobre este tema, confirma a situação.

Stevens, nascido na Grã-Bretanha há 61 anos graças a um doador, descobriu anos atrás que tem dezenas de meios-irmãos e irmãs no Canadá, nos Estados Unidos e na Europa. E considera que esta irmandade conta com entre 500 e 1.000 integrantes em todo o mundo.

$!$render-component.split('/')[$math.sub($render-component.split('/').size(), 1)]
Topo