PUBLICIDADE
Topo

Após academia, Sindicato de Produtores também expulsará Harvey Weinstein

O produtor e "poderoso chefão" de Hollywood Harvey Weinstein - VALERY HACHE/AFP
O produtor e "poderoso chefão" de Hollywood Harvey Weinstein Imagem: VALERY HACHE/AFP

Los Angeles (EUA)

16/10/2017 19h08

O sindicato de produtores cinematográficos dos Estados Unidos abriu nesta segunda (16) um processo para expulsar Harvey Weinstein, alvo de inúmeras denúncias de assédio e abuso sexual, dias depois de ser retirado da Academia.

A diretoria do sindicato (PGA, em inglês) decidiu "por unanimidade iniciar o procedimento para acabar com a participação" do outrora magnata de Hollywood.

"O senhor Weinstein terá a oportunidade de responder (às acusações) antes que o sindicato tome uma decisão em 6 de novembro", indicou em comunicado.

O produtor de 65 anos caiu em desgraça quando o jornal The New York Times publicou em 5 de outubro um explosivo artigo sobre o seu assédio contra atrizes e outras mulheres. Desde então foram feitas acusações públicas, que incluem cinco de estupro.

"O assédio sexual de qualquer tipo é completamente inaceitável. Esse é um problema sistêmico e generalizado que requer a imediata atenção da indústria", acrescentou a PGA, que criou uma comissão para investigar e propor soluções sobre a questão.

A junta diretora do sindicato é composta por 20 mulheres e 18 homens.

A Academia das Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos expulsou Weinstein no último sábado (14).