Cinema

Apesar de ameaças, Bollywood lança filme sobre Osama bin Laden

Reprodução
No filme indiano "Tere Bin Laden", um terrorista fajudo concede entrevista imagem: Reprodução

NOVA DÉLHI, ÍNDIA (EFE) - Um Osama bin Laden de araque será o personagem central da mais nova produção do mundo do cinema indiano de Bollywood, com a polêmica história de um criador de frangos que finge ser o terrorista mais procurado do mundo, que estreará hoje, apesar de ameaças.

A história do filme "Tere Bin Laden" ("Sem você, Laden", na tradução livre) se passa na cidade de Karachi, no sul do Paquistão, e conta a história de um jornalista que tenta vender uma entrevista falsa com Bin Laden para conseguir entrar nos Estados Unidos.

"Não é uma biografia, mas uma sátira. Queria mostrar o mundo após o 11 de setembro da perspectiva das pessoas normais. E usei um símbolo do terrorismo, mas dando a ele uma nova cara. É hora de usar o humor", disse à Agência Efe, em Mumbai, o diretor do filme, Abhishek Sharma.

Cansado de ter seus pedidos de visto negados pelo EUA, o jornalista, interpretado pelo cantor paquistanês Ali Zafar, conhece por acaso um criador de frangos muito parecido fisicamente com Bin Laden. Os dois se juntam para montar uma entrevista sobre a suposta presença do terrorista mais procurado do mundo na cidade, para ser enviada depois a canais americanos com o objetivo de aproveitar sua segura notoriedade na mídia e conseguir, finalmente, ter acesso ao país.

"A ideia foi muito incomum. Me fez doer a cabeça e amarrei um lenço para que passasse. Como tinha barba, minha mulher fez piada e disse que eu me parecia com Bin Laden. E isso me fez pensar: por que não fazer algo?", afirmou Sharma, que reescreveu o roteiro várias vezes.

Bin Laden é objeto de contínuas sátiras durante o filme, que causou polêmica. A produtora WalkWater Media recebeu uma carta anônima com ameaças de "consequências" se o filme estreasse.

E no Paquistão, onde a produção foi obrigada a retirar a palavra "Laden" do título, um comitê de censura decidiu na terça-feira proibir o filme, como medo de que estimule ataques terroristas.

"Não acho que seja ofensivo. Não estamos glorificando ninguém. Com a sátira, você pode dizer certas coisas que não poderia dizer no cinema sério", se defendeu Sharma, que apresentou um recurso contra a decisão e espera que os paquistaneses "se divirtam".

"Sem você, Laden" estreia na Índia, no Reino Unido, na Austrália e em outros países com forte presença de emigrantes indianos, mas surpreende a ausência na lista dos Estados Unidos. "Primeiro queremos ver a resposta nessas outras regiões", afirmou o diretor.

Embora no cinema indiano predominem as histórias de amor e os filmes de ação, nos últimos anos vem tomando força o gênero da comédia, com enredos que buscam conectar com os gostos da nova classe média.

O trailer do filme mostra o Bin Laden de araque dedicando-se a criar frangos, tentando parecer convincente imitando os trejeitos do terrorista e aprendendo como manusear um fuzil Ak-47.

Além disso, a sátira é um exemplo dos novos caminhos que os produtores de Bollywood vêm tomando, cujos filmes são normalmente longos e sentimentais musicais. "A audiência está cansada das mesmas caras, da velha fórmula", disse o diretor.

A estreia do filme de Sharma coincide com o lançamento de "Lamhaa" ("Momento", na tradução livre), uma visão da violência na região da Caxemira que foi proibida em vários países do Oriente Médio. A pré-estreia de "Lamhaa" ia ser realizada na parte indiana da região da Caxemira, disputada entre Índia e Paquistão desde sua divisão, em 1947, mas os produtores mudaram de ideia para não causar polêmica entre a população.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 
Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Topo