Filmes e séries

Filme "Hitchcock" é, na verdade, uma história sobre Alma Reville, a mulher do diretor

Divulgação
Helen Mirren e Anthony Hopkins em cena do filme "Hitchcock", de Sacha Gervasi Imagem: Divulgação

Alicia García de Francisco

31/01/2013 12h14

"Hitchcock", o filme, não é uma biografia do genial diretor. É um episódio de sua vida, importante, sim, mas não chega a ser um elogio às virtudes de Hitch, e sim às de sua mulher, a roteirista Alma Reville, e às de Helen Mirren, que a interpreta - mais que às de Anthony Hopkins.

Se a ideia era dar protagonismo a Alfred Hitchcock, - e a julgar pelo título, era essa a intenção - a produção teve efeito contrário ao que esperava o diretor Sacha Gervasi.

A excessiva caracterização de Anthony Hopkins como Hitchcock foi mais um empecilho que um benefício para o ator galês, cuja interpretação ficou muito condicionada pelo aspecto físico característico do diretor de "Psicose".

Sua voz impostada e a sensação que sempre se vê o ator acima do personagem fazem com que seja ainda mais evidente a sutileza da interpretação de Helen Mirren em seu papel de esposa à sombra - mas não abnegada, do grande diretor.

Alma Reville é sem dúvida a revelação do filme. Tanto pelo pouco que se sabe de sua pessoa como pela força de uma personalidade que, apesar de tudo, soube entender melhor que ninguém a grandeza e as fragilidades de Hitchcock.

O filme se concentra em um episódio central da vida profissional do diretor: seu empenho pessoal em levar ao cinema a história de "Psicose", um projeto em que ninguém parecia apostar na Hollywood de 1960.

Ninguém exceto Hitch e sua fiel escudeira, Alma, responsável por escrever e reescrever a maioria dos roteiros de seus filmes.

O filme não deixou de fora nenhum aspecto, abordando o prazer de Hitchcock pela comida, sua adoração por loiras de aspecto frio, a obsessão pelos detalhes, seu egocentrismo, seu gênio difícil e a dependência a sua mulher.



Scarlett Johansson interpreta Janet Leigh, a protagonista de "Psicose", e personifica todas as loiras que obcecavam o cineasta - de Tippi Hedren a Grace Kelly, passando por Kim Novak.

Mas além dos tópicos, o filme mostra o diretor pelos olhos de Alma, uma mulher equilibrada, inteligente, forte e que amava e respeitava profundamente o marido.

É esse personagem, de Helen Mirren, que prende o espectador e protagoniza os melhores momentos do filme que chega em março aos cinemas brasileiros, mas que não correspondeu em sua estreia nos Estados Unidos às expectativas que havia gerado.

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

UOL Cinema - Imagens
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
TV e Famosos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cinema
Roberto Sadovski
Cinema
Colunas - Flavio Ricco
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo