Filmes e séries

Selena Gomez tenta escapar do perfil de menina da Disney em "Getaway"

Divulgação
Selena Gomez ao lado do veterano Ethan Hawke no filme "Getaway" Imagem: Divulgação

Emilio López Romero

21/08/2013 21h37

Ethan Hawke e Selena Gomez vivem uma frenética aventura contra o relógio em "Gateway", a nova aposta da Warner nos filmes de ação com um astro consolidado em Hollywood e uma jovem cantora e atriz que pede "uma oportunidade" para demonstrar que pode ser diferente.

"Agora queria fazer um filme de ação, pedi que me dessem oportunidade para ser alguém diferente", disse Selena nessa quarta-feira (21) durante a apresentação de "Gateway" (ainda sem título em português) para a imprensa em Nova York, acompanhada de Hawke e do diretor Courtney Solomon.

Após mostrar seu lado mais sensual em "Garotas Perigosas" (2012), outra tentativa de tirar a carinha de menina da Disney, a atriz de origem mexicana entra agora na pele de uma jovem hacker que precisa ajudar um antigo piloto de corridas a salvar a sua esposa sequestrada.

Para recuperar sua mulher, Brent Magna (Hawke) não tem outra opção que assumir o volante de um Ford Mustang Shelby Super Snake lotado de câmeras de segurança e seguir as instruções de uma misteriosa voz (Jon Voight) e embarcar em uma desesperada perseguição na qual a "hacker" será sua única aliada.

TRAILER DE "GETAWAY", COM SELENA GOMEZ E ETHAN HAWKE

O longa estreia nos Estados Unidos no dia 30 de agosto. "Acho que não nos deixariam gravar este filme em nenhuma cidade dos Estados Unidos", reconheceu o ator americano quando os jornalistas perguntaram o porquê de a filmagem ter sido feita na Bulgária.

A dramática perseguição pelas ruas de Sófia não economizou em tiros nem em efeitos especiais e utilizou 130 veículos durante a filmagem. O diretor se propôs a fazer num filme fácil, mas divertido, no qual o espectador "não tenha muito que pensar".

Hawke, indicado ao Oscar, disse que sempre quis fazer um filme de perseguições e foi fisgado pelo roteiro de Gregg Maxwell Parker porque conseguiu fazer algo "muito simples" em um gênero, o de ação, em que costumam importar mais os disparos e as explosões que os protagonistas. "Mas em 'Gateway' há algo diferente", garantiu.

Ao volante de um emblemático Ford Mustang, segundo Hawke seu carro favorito, conta que seu primeiro automóvel foi um Toyota que herdou aos 19 anos, enquanto Selena lembrou que o primeiro que teve foi um presente de sua mãe quando tinha 16 anos, mas foi preciso esperar dois anos para poder dirigi-lo porque "não tinha carteira de motorista".

Quando perguntada sobre qual seria seu carro dos sonhos e quem levaria na carona, a ex de Justin Bieber reconhece não entender muito de automóveis, mas que agora tem um BMW que estreou com seus avós, enquanto o protagonista de "Antes do Amanhecer" disse que ficaria encantado em pilotar um caça F-16 e levaria seu filho.

Com 21 anos recém completados, Selena espera que "Gateway" abra as portas para outros filmes. "Estou na metade da turnê (de Star Dance), mas sou mulher e gosto de mudar constantemente. Às vezes me concentro na música e outras no cinema. Agora quero um longo período de atuação".

A atriz relembrou o nervosismo que sentiu ao rodar as cenas de ação, e mesmo assim não usou dublês, além de ter ficado muito confortável com Hawke e Solomon. "Ambos foram fantásticos", elogiou a jovem, que lembrou que um de seus primeiros momentos de rebeldia foi quando roubou um lápis de boca quando tinha sete anos.

E quando perguntam sobre a transformação que está vivendo de menina Disney a mulher adulta, a intérprete de filmes como "Pequenos Espiões 3" (2003), " Ramona and Beezus Ramona and Beezus " (2010) e "Monte Carlo" (2011) fica encabulada e responde com um sorriso algo forçado que espera continuar sendo jovem ainda.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
Reuters
do UOL
Reuters
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
Chico Barney
UOL Cinema - Imagens
UOL Entretenimento
Cinema
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
Cinema
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
Chico Barney
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski

Roberto Sadovski

As 25 melhores histórias em quadrinhos da Liga da Justiça

Pincelar as melhores histórias da Liga da Justiça é um trabalho complexo. Não pela falta de qualidade, mas pelo contraste: muita coisa entre os primórdios da equipe e o final dos anos 80 tem mais valor por sua inegável importância histórica do que por seus predicados artísticos. O gibi da Liga, afinal, viveu por anos na sombra da animação Superamigos, e isso deixou o tom das histórias mais ingênuo e infantil até a reformulação pós-Crise nas Infinitas Terras. Mas garimpar todas as fases em décadas de aventuras trouxe boas surpresas e ótimas descobertas - além do perceber que, em boas, mãos, a Liga pode ser incrível! A leitura rendeu algumas conclusões. Primeiro, não há absolutamente nada errado em usar histórias de super-heróis para fazer humor! Segundo, o horrendo período dos Novos 52, que privilegiou forma, ignorou substância e fez um flashback sinistro dos primórdios da Image Comics nos anos 90 (urgh), não foi tão cruel com a Liga. Terceiro, pouca gente escreve e entende os herói tão bem quanto Grant Morrisson e Mark Waid. No mais, a Liga da Justiça, em usas diversas encarnações, ainda é aposta certeira quando o assunto é entretenimento - afinal, só uma equipe criativa muito canhestra poderia melar uma mistura de personagens e personalidades e superpoderes tão diversa e tão bacana! Acredite, se os super-heróis mais lendários do mundo sobreviveram a Extreme Justice, nada é capaz de derrotá-los!

Cinema
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Reuters
do UOL
Topo