Filmes e séries

Espanha faz mostra de filmes no Brasil voltada a distribuidores

A Espanha levou ao Brasil nesta quinta-feira (7) uma mostra cinematográfica com um amplo leque de gêneros, voltada para os distribuidores, com o objetivo de inserir os filmes produzidos por cineastas espanhóis nos circuitos comerciais da América Latina.

O ciclo, chamado "Constelaciones", está composto por 17 filmes espanhóis, foi organizado pela Fundación SGAE (Sociedad General de Autores de España), encerrou ontem uma semana de exibições em Buenos Aires e começou hoje outra no Rio de Janeiro.

O presidente da Fundación SGAE, Antonio Onetti, explicou à Agência Efe que a mostra pretende "divulgar" na América Latina cineastas que na Espanha "são muito importantes e conhecidos" e que podem fazer sucesso nesses países.

"O público mais especializado conhece Isabel Coixet, Gracia Querejeta e (Enrique) Urbizu, mas o grande público não. Para isso, os distribuidores têm que apostar neles. Esta mostra é atualmente nosso carro-chefe", disse Onetti.

A programação do ciclo foi elaborada com a ajuda de distribuidores locais, que contribuíram para escolher filmes com "mais possibilidades" de "subir esse degrau", o que significa passar de um festival para a distribuição comercial, segundo o presidente da Fundación SGAE.

A exposição inclui filmes que têm uma aceitação "muito mais difícil" para um público comercial na América Latina, entre os quais Onetti citou "Sueño y silencio", de Jaime Rosales, e "Mapa de los sonidos de Tokyo", de Isabel Coixet.

Também foi levado à mostra nesses países filmes que o responsável da SGAE acredita "que podem chegar a um público mais amplo", como as fitas de ação "Cela 211", de Daniel Monzón, e "No habrá paz para los malvados", de Enrique Urbizu.

O presidente da Fundación SGAE explicou que alguns cineastas espanhóis são muito conhecidos em alguns países latino-americanos e praticamente desconhecidos em outros mercados, o que acontece por causa dos distribuidores, além das preferências e tendências nacionais.

"Alex de la Iglesia, com o qual encerramos a mostra na Argentina, é muito conhecido por lá, uma figura importantíssima, por outro lado a (o hispano-chileno Alejandro) Amenábar praticamente não é conhecido", exemplificou.

Onetti afirmou que, no próximo ano, a SGAE "com certeza" gostaria de levar a mostra para o México e disse estar "pensando" em também levá-la para a Colômbia e o sul dos Estados Unidos.

"Este trabalho não tem efeitos imediatos, queremos estabelecer contatos a médio prazo, gerar interesse no distribuidor pelo autor e, talvez, da próxima vez eles decidam comprá-lo", concluiu.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
AFP
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Roberto Sadovski
UOL Cinema - Imagens
do UOL
redetv
do UOL
EFE
Colunas - Flavio Ricco
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
Cinema
redetv
redetv
redetv
redetv
Blog do Nilson Xavier
do UOL
Reuters
EFE
AFP
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
Da Redação
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Colunas - Flavio Ricco
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo