Cinema

Festival de Berlim terá estreia de filme com James Franco como ativista gay

Reprodução/Instagram/@jamesfrancotv
James Franco com os cabelos loiros para interpretar o ativista gay Michael Glatze no cinema imagem: Reprodução/Instagram/@jamesfrancotv

De Berlim

Salma Hayek, Zachary Quinto, James Franco e Hal Hartley são alguns dos nomes que estarão presentes na seção Panorama do Festival de Berlim, que é a segunda mais importante da mostra.

A lista ainda provisória foi anunciada nesta terça-feira (16). Por enquanto, ela reúne 11 filmes de ficção e oito documentários em uma mostra não competitiva e que começa em 5 de fevereiroa capital alemã.

Dos trabalhos de ficção que serão projetados na seção Panorama, o destaque é "54: The Diretor's Cut", a versão final de "Studio 54", o filme de Mark Christopher sobre a mítica boate nova-iorquina, lançado em 1998 e protagonizado por Ryan Phillippe, Salma Hayek, Mike Myers, Sela Ward e Mark Ruffalo.

Também será a estreia de "I Am Michael", com James Franco interpretando o ativista gay Michael  Glatze, da década de 1980. Esse é o primeiro longa de Justin Kelly como diretor e conta com a produção de Gus Van Sant e a participação de Zachary Quinto e Emma Roberts.

Já "Ned Rifle" é o trabalho com o qual o diretor "cult" do cinema independente Hal Hartley fecha sua trilogia iniciada com "Henry Fool" (1997) e que  teve "Fay Grim" (2006) como segundo filme. O longa é protagonizado por Martin Donovan, um dos queridinhos do diretor, e Parker Posey.

O canadense "Chorus", de François Delisle; o austríaco "Derletzte Sommer der Reichen" ("The Last Summer of the Rich"), de Peter Kern; a coprodução helvécio-alemã "Dora Oder die Sexuellen Neurosen Unserer Eltern" ("Dora or the Sexual Neuroses of Our Parents"), de Stina Werenfels; e o sueco "Dyke Hard", de Bitte Andersson, também fazem parte da Panorama.

Junto a elas, produções da Coreia do Sul, de Taiwan, da França e da Noruega completam a parte de ficção da seção.

Já no estilo documentário será projetado "El Hombre Nuevo", uma coprodução de Uruguai, Chile e Nicarágua, que narra a história de uma travesti que, quando criança, viveu a revolução sandinista e, adolescente, foi um jovem modelo, comprometido e revolucionário. Hoje, 26 anos depois, superada sua dependência de drogas e, depois de deixar a prostituição, ganha a vida cuidando de carros.

O filme apresenta o dia a dia de Estefanía, seu trabalho na rua, os humildes quartos onde vive e a necessidade do protagonista de recompor seu vínculo com a família que deixou na Nicarágua e de voltar a seu país natal, assim como seu desejo de ser aceito como a mulher que é agora.

O documentário uruguaio aborda, da mesma forma que outros trabalhos presentes em Panorama, o abuso de menores, o que "evidencia que chegou a hora de tratar novamente deste difícil tema e com uma maior disposição a se arriscar", explica o comunicado da organização.

Junto a este documentário, será possível ver outros como "Fassbinder - To Love without Demands", dedicado ao diretor alemão Rainer Werner Fassbinder e dirigido pelo documentarista dinamarquês Christian Braad Thomsen; e "Iraqi Odyssey", do suíço-iraquiano Samir.

A tcheca Veronika Liskova apresentará "Danieluv Svet" ("Daniel's World"), centrada no abuso infantil; e o queniano Jim Chuchu participará da seção com "Stories of Our Lives", com uma história sobre o ódio contra os homossexuais, impulsionado em seu país por organizações evangélicas americanas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 
Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Topo