Cinema

Ator Ricardo Darín é indicado ao prêmio Goya por "Relatos Selvagens"

Divulgação
O ator Ricardo Darín em cena do filme "Relatos Selvagens" imagem: Divulgação

De Buenos Aires

O ator argentino Ricardo Darín disse nesta quarta-feira (7) estar orgulhoso, mas surpreso, com sua indicação a melhor ator no prêmio Goya do cinema espanhol por seu papel no filme "Relatos Selvagens". Dirigido por Damián Szifrón, o longa concorre a nove estatuetas.

Em entrevista à televisão argentina, Darín afirmou que não se surpreendeu com as muitas indicações de "Relatos Selvagens", com exceção da sua.

"Sério, todas as indicações me parecem muito justas, avaliaram muito o filme lá, ele teve quase 800 mil espectadores na Espanha, o que é um número realmente muito alto", declarou Darín ao canal "Todo Noticias".

"Considero que dentro do filme há trabalhos masculinos mais importantes que o meu, que têm um nível de risco muito mais elevado, como o caso de Leo Sbaraglia. Me surpreendeu, não desagradou, mas surpreendeu", continuou.

O ator, que já foi indicado duplamente ao Goya em 2010 por seus papéis em "O Segredo dos Seus Olhos" e "O Baile da Vitória" (como ator coadjuvante neste segundo), disse também que o reconhecimento o "enche de orgulho basicamente porque vem de onde vem" e sabe quem são as pessoas que decidem isso, muitos deles "colegas" seus.

Darín não poderá comparecer à cerimônia, que será realizada no dia 7 de fevereiro em Madri, porque coincide com as apresentações na Argentina do espetáculo "Cenas da vida conjugal".

Ele também agradeceu pelas indicações de Hugo Sigman, da produtora argentina Kramer & Sigman, encarregada do filme junto com a espanhola "El Deseo", dos irmãos Almodóvar.

"Nove indicações é fantástico, ainda mais de um prêmio tão importante como os Goya. Esperávamos algo, mas não tanto", disse Sigman à agência Efe.

"É um filme que vive nos dando satisfações", continuou o produtor do filme, que também está entre os finalistas da pré-seleção do Oscar na categoria de melhor filme estrangeiro.

Sigman atribuiu o sucesso do filme ao "boca a boca", à "grande fatura industrial" e ao grande roteiro de Szifrón, que atraiu o público porque permite sublimar esses pequenos ataques de fúria que na vida real não são permitidos.

"É o princípio do que Damián (Szifrón) viverá em sua carreira", destacou Darín, que afirmou também que grandes nomes do cinema como Tarantino viram e elogiaram o filme.

Sigman apontou que todos os filmes que concorrem com "Relatos Selvagens" a melhor filme nos Goya "são excelentes", assim como na categoria de melhor filme ibero-americano.

"Isso foi a maior surpresa. Melhor filme ibero-americano nós esperávamos, mas melhor filme foi um sonho", disse Sigman, embora tenha destacado não se veem como favoritos e que a cubana "Conduta" é o grande rival.

"Relatos Selvagens" disputa o Goya de melhor filme com "A ilha mínima", "El Niño", "Loreak" e "Magical Girl".

Na categoria de melhor filme ibero-americano, a co-produção hispânico argentina concorrerá com trabalhos de Cuba ("Conduta"), Uruguai ("Kaplan") e Venezuela ("A distância mais longa").

Junto destas duas indicações e a de Darín, "Relatos Selvagens" também disputa nas categorias de melhor direção (Szifrón); montagem (Szifrón e Pablo Barbieri); trilha sonora (Gustavo Santaolalla); direção de produção (Esther García); roteiro original (Szifrón) e maquiagem.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 
Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Topo