Cinema

Nicolas Cage viverá operário que tenta capturar Bin Laden em nova comédia

Divulgação
A ator Nicolas Cage em cena de "Fúria" imagem: Divulgação

De Los Angeles

O ator Nicolas Cage será o protagonista da comédia "Army of One" (ainda sem título em português), filme inspirado na história real de um trabalhador da construção civil que se propõe a capturar a Osama bin Laden por conta própria.

O longa será dirigido por Larry Charles, de "Borat: o Segundo Melhor Repórter do Glorioso País Cazaquistão Viaja à América" (2006), "Bruno" (2009) e "O Ditador", (2011), e será produzida pela Weinstein Company.

A ideia do filme nasceu de um artigo publicado na revista "GQ" que narrava as desventuras de Gary Faulkner, um operário do estado do Colorado, nos Estados Unidos, que viajou até o Paquistão para tentar matar o líder da Al Qaeda.

Faulkner terminou detido em 2010 pela polícia do país asiático, onde apreenderam uma pistola, um espada samurai, uma faca, óculos de visão noturna e literatura cristã.

O sujeito, um ex-presidiário, foi deportado para os Estados Unidos, onde se tornou uma celebridade da noite para o dia, e em 2011 voltou a ser preso após atirar durante uma briga com vizinhos.

Cage está desde 2008 tentando resolver seus sérios problemas fiscais após anos de grandes despesas e uma má gestão financeira, aguçada pela crise econômica que somaram uma dívida de US$ 14 milhões em impostos.

Só nos últimos cinco anos ele estrelou 20 filmes, quase o dobro que nos cinco anos anteriores.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 
Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Topo