Cinema

Após atritos, diretora de "Cinquenta Tons" desiste de dirigir segundo filme

A britânica Sam Taylor-Johnson, diretora de "Cinquenta Tons de Cinza", anunciou que não estará atrás das câmeras na segunda parte da adaptação do best-seller erótico.

"Ter dirigido 'Cinquenta Tons de Cinza' foi uma viagem intensa e incrível pela qual sou muito grata. Gostaria de agradecer ao estúdio Universal por isso", disse Taylor-Johnson em comunicado enviado ao site especializado "Deadline".

Segundo a imprensa especializada, Taylor-Johnson teve vários problemas com o estúdio e com a autora da trilogia sobre o controle criativo e o rumo da adaptação cinematográfica. Após a estreia, a diretora apenas comentou: "Nós discordamos em várias coisas".

A diretora destacou que durante a filmagem fez "amizades próximas e duradouras com o elenco, os produtores, a equipe e, especialmente, com Dakota (Johnson) e Jamie (Dornan)".

"Embora não retorne para dirigir as sequências, desejo o maior dos sucessos a quem se encarregue dos excitantes desafios da segunda e da terceira parte", acrescentou Taylor-Johnson.

A adaptação cinematográfica do primeiro dos livros de E.L. James arrecadou mais de US$ 500 milhões no mundo todo.

Embora não se saiba ainda quem tomará as rédeas do projeto, está confirmado que Dakota Johnson voltará a encarnar a jovem Anastasia Steele e que Jamie Dornan interpretará outra vez o multimilionário Christian Grey.


Em fevereiro, Johnson desabafou em entrevista à Variety. "Eu sinto como se nunca mais quisesse fazer outro filme".

Topo