Cinema

Empresa brasileira entra no mercado de produção em 3D

EDU FERNANDES

Colaboração para o UOL

O Brasil é o maior mercado exibidor de filmes em 3D da América Latina, com quase 300 salas que trabalham com este tipo de projeção. De olho na popularidade da tecnologia, a empresa brasileira BossaNovaFilms uniu-se à Skycube, sediada no Uruguai, para criar a BossaNova3D, uma produtora especializada em conteúdo audiovisual em 3D.

Em evento de apresentação para a imprensa, os sócios Edu Tibiriçá, Michael Kronenberg, Juan Barbé e Irma "Jimmy" Palma  explicaram que a produtora cuidará de conteúdos 3D para salas de cinema, mas também para TV e outros aparelhos, como computadores e celulares. "Queremos atuar no mercado de comunicação como um todo, seja entretenimento ou publicidade", disse Jimmy Palma.

Custos altos?

Quando se fala de novas tecnologias o custo é uma preocupação constante. Juan Barbé disse que um dos desafios da BossaNova3D está exatamente neste aspecto: "Acredita-se que o custo seja dobrado quando o produto é 3D, mas isto é um mito que precisa ser derrubado". Juan explicou que, com o planejamento correto, o custo é aumentado em apenas 20% do que do seria gasto para o mesmo produto em 2D.

A princípio, a empresa oferecerá três tipos de serviços: produções originais em animação, os chamados enhancement clips (quando elementos 3D são adicionados em um filme em 2D) e na conversão total de filmes para 3D. Para o futuro, os sócios prometem entrar na captação de imagens em 3D, algo que ainda é muito custoso para os clientes.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 
Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Topo