Filmes e séries

Filme austríaco sobre pedofilia causa novo choque no Festival de Cannes

Getty Images
O diretor do filme "Michael" Markus Schleinzer (no centro) no Festival de Cannes, acompanhado dos atores Viktor Tremmel, Ursula Strauss, Michael Fuith, David Rauchenberger, Christine Kain e Gisella Salcher Imagem: Getty Images

THIAGO STIVALETTI

Colaboração para o UOL, de Cannes

14/05/2011 13h27

Depois do britânico "Precisamos Falar Sobre Kevin", com um adolescente que promove um massacre em sua escola, foi a vez de um filme sobre pedofilia chocar o Festival de Cannes neste sábado. O austríaco "Michael", primeiro filme de Markus Schleinzer, mostra os últimos meses na vida do personagem-título, um homem aparentemente comum de 35 anos que mantém um menino de 10 anos em cativeiro em sua casa.

"Michael" talvez seja o melhor filme sobre a pedofilia até hoje, por abordar o tema de forma fria e distanciada, sem simpatizar nem condenar o personagem. A rotina de Michael com Wolfgang, o menino, é mostrada no seu dia-a-dia: lavam o banheiro juntos, montam um quebra-cabeça, às vezes saem para algum passeio de fim de semana. O menino às vezes vê TV. Nenhuma cena mais explícita é mostrada.

"A pedofilia é quase sempre tema dos jornais sensacionalistas. Essa constatação me assustou e quis tentar buscar novas respostas e abordar o tema de maneira franca, o que a ficção no cinema permite", explicou o diretor. "Reconhecer a existência do pedófilo no meu filme não significa nem perdoar, nem condenar. Isso é tarefa da justiça".

Doutor Fritzl

"Michael" remete imediatamente à história do austríaco Joseph Fritzl, preso em 2008 por manter a filha presa por 24 anos em sua própria casa e ter tido sete filhos com ela. Mas Schleinzer nega que tenha se inspirado nesse caso ou em qualquer outro.

O estilo seco e cortante do filme remete diretamente ao mais célebre diretor austríaco, Michael Haneke, para o qual Schleinzer trabalhou como diretor de elenco em filmes como "A Professora de Piano". Foi ele também o responsável pela preparação impecável das crianças do filme "A Fita Branca", de Haneke, que venceu a Palma de Ouro em Cannes em 2009.

 Seu primeiro filme é uma grande estreia e deve marcar seu batismo de fogo nas trilhas negras e tortuosas do cinema austríaco.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
AFP
do UOL
do UOL
Chico Barney
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cinema
do UOL
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
do UOL
Da Redação
EFE
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
EFE
do UOL
EFE
do UOL
TV e Famosos
Topo