Filmes e séries

"Eclipse" é o grande vencedor do MTV Movie Awards 2011

Da Redação

06/06/2011 00h54

A "Saga Crepúsculo: Eclipse" foi o grande vencedor do MTV Movie Awards 2011. O filme e seus atores levaram as "pipocas de ouro" por Melhor Filme, Melhor Ator (Robert Pattinson), Melhor Atriz (Kristen Stewart), Melhor Beijo (Kristen Stewart e Robert Pattinson) e Melhor Briga (Robert Pattinson, Bryce Dallas Howard e Xavier Samuel).

Pattinson, ao faturar a categoria Melhor Beijo, foi comemorar com o colega de trabalho Taylor Lautner, beijando-o na boca para surpresa de todos. Outro momento de destaque foi quando a atriz Reese Witherspoon ("Água para Elefantes") subiu ao palco para receber o prêmio Generation Award, uma homenagem pelo conjunto de sua obra.

  • Danny Moloshok/Reuters

    Selena Gomez foi uma das celebridades que causaram furor ao chegara no MTV Movie Awards 2011 (5/6/11)

O momento "sem surpresas" da noite ficou com Tom Felton, que venceu no ano passado como melhor vilão por "Harry Potter e o Enigma do Príncipe", e ganhou novamente em 2011, agora com o filme "Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 1". Já na categoria Melhor Cena de Cair o Queixo, para espanto de alguns presentes, Justin Bieber levou o prêmio por sua performance em "Justin Bieber: Never Say Never".

Neste ano, diferentemente de outras edições, a MTV brasileira não transmitiu o evento ao vivo. Por isso, os telespectadores brasileiros tiveram que apurar olhos e ouvidos para ver e ouvir no site da MTV americana a exibição da premiação ao vivo.

O apresentador Jason Sudeikis fez muitas gracinhas para entreter as centenas de convidados no evento, mas não conseguiu superar as risadas que Jim Carey angariou ao apresentar uma das atrações musicais da noite, o Foo Fighters -- que não tocava na festa desde 2005. O rapper Romeu também cantou na festa e fez o público presente dançar.

Veja a lista completa dos vencedores:

MELHOR FILME
"A Saga Crepúsculo: Eclipse"

MELHOR ATOR
Robert Pattinson ("A Saga Crepúsculo: Eclipse")

MELHOR ATRIZ
Kristen Stewart ("A Saga Crepúsculo: Eclipse")

MELHOR COMEDIANTE
Emma Stone ("A Mentira")

REVELAÇÃO
Chloë Grace Moretz ("Kick-Ass - Quebrando Tudo")

MELHOR FRASE
"Eu quero ficar chapada de chocolate!" (Alexys Nycole Sanchez em "Gente Grande")

MELHOR ATUAÇÃO ASSUSTADORA
Ellen Page ("A Origem")

ASTRO "DURÃO"
Chloë Grace Moretz ("Kick Ass - Quebrando Tudo" e "Deixe-me Entrar")

MELHOR MOMENTO DE CAIR O QUEIXO
Justin Bieber em "Justin Bieber: Never Say Never" - O cantor canadense dança no seu colo pelo preço de um ingresso de cinema.

MELHOR VILÃO
Tom Felton ("Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 1")

MELHOR LUTA
Robert Pattinson vs. Bryce Dallas Howard e Xavier Samuel ("A Saga Crepúsculo: Eclipse")

MELHOR BEIJO
Kristen Stewart e Robert Pattinson ("A Saga Crepúsculo: Eclipse")

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
do UOL
Roberto Sadovski

Roberto Sadovski

As 25 melhores histórias em quadrinhos da Liga da Justiça

Pincelar as melhores histórias da Liga da Justiça é um trabalho complexo. Não pela falta de qualidade, mas pelo contraste: muita coisa entre os primórdios da equipe e o final dos anos 80 tem mais valor por sua inegável importância histórica do que por seus predicados artísticos. O gibi da Liga, afinal, viveu por anos na sombra da animação Superamigos, e isso deixou o tom das histórias mais ingênuo e infantil até a reformulação pós-Crise nas Infinitas Terras. Mas garimpar todas as fases em décadas de aventuras trouxe boas surpresas e ótimas descobertas - além do perceber que, em boas, mãos, a Liga pode ser incrível! A leitura rendeu algumas conclusões. Primeiro, não há absolutamente nada errado em usar histórias de super-heróis para fazer humor! Segundo, o horrendo período dos Novos 52, que privilegiou forma, ignorou substância e fez um flashback sinistro dos primórdios da Image Comics nos anos 90 (urgh), não foi tão cruel com a Liga. Terceiro, pouca gente escreve e entende os herói tão bem quanto Grant Morrisson e Mark Waid. No mais, a Liga da Justiça, em usas diversas encarnações, ainda é aposta certeira quando o assunto é entretenimento - afinal, só uma equipe criativa muito canhestra poderia melar uma mistura de personagens e personalidades e superpoderes tão diversa e tão bacana! Acredite, se os super-heróis mais lendários do mundo sobreviveram a Extreme Justice, nada é capaz de derrotá-los!

Cinema
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
TV e Famosos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cinema
Roberto Sadovski
Cinema
Colunas - Flavio Ricco
Reuters
Topo