Filmes e séries

Abertura da Première Brasil com estreante premiado internacionalmente leva lágrimas ao público carioca

MICHELE GOMES

Colaboração para o UOL, do Rio

08/10/2011 10h39

A abertura da Première Brasil do Festival do Rio, na noite desta sexta-feira (7), ficou por conta de “Histórias que só existem quando lembradas”, da estreante Julia Murat. Apesar de iniciante, a diretora tem grandes chances na corrida pelo troféu Redentor, já que sua história foi bem recebida em importantes eventos internacionais, como o Festival de Veneza e no Festival de Cinema de San Sebastián, onde ganhou uma menção especial do prêmio Horizontes Latinos.

“Estou torcendo muito para que a reação no Brasil seja parecida com a do exterior. Lá fora, receberam meu filme muito bem. É mais difícil trabalhar em casa, porque você está muito próximo de quem pode criticar. Meu nervosismo é maior por apresentar aqui do que em festivais internacionais. O Festival do Rio é muito especial, porque é a minha casa; foi onde vi quase todos os filmes e onde me formei”, disse Julia ao UOL, pouco antes de seu filme ser apresentado no Cinema Odeon.

A sessão, prevista para 21h45, começou com um atraso de cerca de 30 minutos, mas ganhou justificativa de Julia: “Eu vou quebrar o protocolo que diz que as apresentações devem ser breves, porque é meu primeiro Festival do Rio”. A diretora convidou toda equipe e elenco ao palco e fez um discurso emocionado.

“Dedico este filme ao meu pai, que despertou em mim a curiosidade sobre a região de onde vem nossa família. E à minha mãe, Lucia (Murat), que é produtora executiva deste filme e me ensinou muito”, completou a diretora para uma plateia ansiosa por seu trabalho, que lotava o tradicional cinema carioca.

O elenco é composto por atores profissionais e moradores do Vale do Paraíba, onde a narrativa é desenhada. Os protagonistas Madalena (Sonia Guedes), Antonio (Luiz Serra) e Rita (Lisa Favero) contracenam com os personagens locais, mergulhados no contexto da região, como “Feijão”. É dele, aliás, a frase que mais provocou gargalhadas no público. Em determinado momento, ele oferece cachaça à jovem fotógrafa que está passando um tempo na deserta e melancólica cidade e complementa com um galanteio “Eu sou velho, mas ainda dou um caldo”.

Apesar das gargalhadas, o filme passa longe da comédia. Muito aplaudido ao fim da apresentação, foi possível ver gente de todas as idades enxugando algumas tímidas lágrimas em momentos determinantes da narrativa. Mas e qual a “história que só existe quando lembrada” preferida de Julia Murat? Com os olhos fixados no horizonte e um largo sorriso no rosto, ela responde:

“A minha memória da sessão apresentada em Toronto, porque o público era formado prioritariamente de idosos, que se emocionaram muito com a história. Foi uma das coisas mais bonitas que eu já vivi”.

Depois da calorosa recepção à história no Brasil e no mundo é importante seguir os passos desta jovem cineasta. Apesar de estar começando a trabalhar seu primeiro grande projeto, Julia já tem planos para um futuro próximo.

“Estou começando a tocar um projeto sobre o romance entre uma dançarina e um escritor. Quero trabalhar a ideia da pose com o movimento”, finalizou.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

EFE
Cinema
do UOL
do UOL
AFP
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Da Redação
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
Chico Barney
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cinema
do UOL
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
do UOL
Da Redação
Topo