Filmes e séries

Amazonas Film Festival abre com "Xingu", de Cao Hamburger, e homenagem a Fernando Meirelles

NATALIA ENGLER

Enviada especial a Manaus*

Começou na noite desta quinta-feira (3), com a pré-estreia do filme inédito “Xingu”, de Cao Hamburger, a oitava edição do Amazonas Film Festival. A cerimônia de abertura aconteceu no Teatro Amazonas, marco arquitetônico de Manaus, com a presença de parte da equipe do filme: o diretor Cao Hamburger, os produtores Fernando Meirelles e Andrea Barata Ribeiro, e os atores Felipe Camargo e João Miguel. Também estavam presentes os atores Max Fercondini, Thiago Martins, Tonico Pereira, Paloma Bernardi e Ingra Liberato, além da cineasta Tizuka Yamazaki, que preside o júri de longas-metragens do festival.
 

Antes da exibição de “Xingu”, o cineasta Fernando Meirelles, presidente de honra desta edição do evento, recebeu uma homenagem, com um pequeno vídeo que mostrava o diretor em diferentes momentos de sua carreira, em entrevistas e durante as filmagens. “Eu fico sempre meio com medo de ser homenageado, porque parece que você foi colocado ali em um lugar e acabou. Eu estou começando a aprender, eu acabei de começar minha carreira e eu não vou pra rede ainda”, brincou o diretor, em seu breve discurso.

“A Amazônia tem uma verdadeira diversidade de história e de conflitos que são muito pouco vistos no Brasil.  Esse filme do Cao Hamburger traz um pouquinho desses problemas e relações da região Amazônica”, completou Meirelles.
 

 

  • Divulgação

    Caio Blat, Felipe Camargo e João Miguel em cena de "Xingu", de Cao Hamburger

O filme
“Xingu”, filme inédito de Cao Hamburger apresentado na abertura do festival, é uma interpretação da história dos irmãos Orlando, Cláudio e Leonardo Villas-Bôas (Felipe Camargo, João Miguel e Caio Blat, respectivamente), que, na década de 1940, juntaram-se às expedições organizadas pelo governo para desbravar o interior do país e acabaram tendo suas vidas transformadas pelo contato com tribos indígenas que encontraram pelo caminho.

Tendo como cenário uma natureza grandiosa, o filme mostra três irmãos profundamente tocados pelo contato com os índios, que se tornam ferrenhos defensores desses povos, ainda que tenham que recorrer a vias “tortas” para fazê-lo. “Xingu” se concentra nesse aspecto da vida dos irmãos, com especial atenção à criação do Parque Nacional do Xingu, em abril de 1961.

Ao final da exibição, o público aplaudiu de pé a equipe do filme, que, bastante emocionada, recebeu os cumprimentos dos presentes.

* A jornalista viajou a convite da organização do festival

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Roberto Sadovski
UOL Cinema - Imagens
do UOL
redetv
do UOL
EFE
Colunas - Flavio Ricco
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
Cinema
redetv
redetv
redetv
redetv
Blog do Nilson Xavier
do UOL
Reuters
EFE
AFP
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
Da Redação
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Colunas - Flavio Ricco
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
Topo