Filmes e séries

Christian Bale despede-se de Batman e diz que "é como dar adeus a um velho amigo"

Darla Khazei/AP
Christian Bale mostra o set de "Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge", na 5ª Avenida, em Nova York, EUA (18/11/11) Imagem: Darla Khazei/AP

ANA MARIA BAHIANA

Do UOL, em Los Angeles

18/11/2011 09h50

"Eu não sei o quanto eu posso falar…",  diz Christian Bale com uma cara um pouco apreensiva. “Em geral Chris Nolan fica aborrecido se os atores falam demais, ele gosta de dar ele mesmo as informações…”

O ator esteve rapidamente em Los Angeles para a divulgação do filme "Flowers of War", de Zhang Yimou, onde faz o papel principal, de um americano perdido em meio à batalha entre chineses e japoneses em Nanquim, em 1937.

Cinco dias antes, Bale havia encerrado sua participação em "Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge", terceira e última parte da trilogia dirigida por Christopher Nolan. “É como dar adeus a um velho amigo”, ele admite. "Quando você tem a oportunidade de ser um personagem tantas vezes, você desenvolve um outro relacionamento com ele, mais profundo."

Para o ator, sua interpretação de Batman sempre se baseou num conceito que elaborou juntamente com Nolan: "Durante quanto tempo você vai deixar a dor e a perda definirem sua vida? Andar por aí caçando bandidos é muito heroico e chama atenção, mas no fim das contas tudo começa como um meio de lidar com a dor de uma perda enorme."

Bale diz que ele e Nolan também trabalharam em outra dimensão do personagem , especialmente importante no último filme. “Nós combinamos que Bruce Wayne é absolutamente sincero como Bruce Wayne, e absolutamente sincero como Batman. Mas Bruce Wayne, o playboy, é pura fachada, é uma mentira que ele mantém, de certa forma, para controlar um lado de sua alma que realmente não está sob controle.  Na verdade, só Alfred sabe mesmo quem ele é.”

Trailer com "Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge"

O "Cavaleiro das Trevas Ressurge" marca a hora da decisão para esse dilema, diz Bale. "É a hora de Bruce Wayne realmente enfrentar a dor mais antiga que sempre atormentou sua vida”. Rodar o mundo nas sete diferentes locações escolhidas por Nolan foi “um prazer à parte, garante Bale. "É mesmo um privilégio ter um trabalho assim, ainda mais com a extraordinária trupe de atores que Chris consegue sempre reunir em seus filmes.”

A data de estreia no Brasil prevista para "Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge" é 27 de julho de 2012.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
do UOL
Roberto Sadovski

Roberto Sadovski

As 25 melhores histórias em quadrinhos da Liga da Justiça

Pincelar as melhores histórias da Liga da Justiça é um trabalho complexo. Não pela falta de qualidade, mas pelo contraste: muita coisa entre os primórdios da equipe e o final dos anos 80 tem mais valor por sua inegável importância histórica do que por seus predicados artísticos. O gibi da Liga, afinal, viveu por anos na sombra da animação Superamigos, e isso deixou o tom das histórias mais ingênuo e infantil até a reformulação pós-Crise nas Infinitas Terras. Mas garimpar todas as fases em décadas de aventuras trouxe boas surpresas e ótimas descobertas - além do perceber que, em boas, mãos, a Liga pode ser incrível! A leitura rendeu algumas conclusões. Primeiro, não há absolutamente nada errado em usar histórias de super-heróis para fazer humor! Segundo, o horrendo período dos Novos 52, que privilegiou forma, ignorou substância e fez um flashback sinistro dos primórdios da Image Comics nos anos 90 (urgh), não foi tão cruel com a Liga. Terceiro, pouca gente escreve e entende os herói tão bem quanto Grant Morrisson e Mark Waid. No mais, a Liga da Justiça, em usas diversas encarnações, ainda é aposta certeira quando o assunto é entretenimento - afinal, só uma equipe criativa muito canhestra poderia melar uma mistura de personagens e personalidades e superpoderes tão diversa e tão bacana! Acredite, se os super-heróis mais lendários do mundo sobreviveram a Extreme Justice, nada é capaz de derrotá-los!

Cinema
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
TV e Famosos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cinema
Roberto Sadovski
Cinema
Colunas - Flavio Ricco
Reuters
Topo