Filmes e séries

O Oscar deveria reconhecer a comédia, diz Ben Stiller após receber premiação inglesa

Chris Pizzello/AP
O ator Ben Stiller durante pré-estreia de "30 Minutes or Less" em Los Angeles (8/8/2011) Imagem: Chris Pizzello/AP

Da Redação

01/12/2011 14h23

Depois de ganhar o prêmio "Charlie Chaplin de Excelência em Comédia" no Bafta Los Angeles pelo conjunto da obra, o ator Ben Stiller comentou que o gênero poderia ser mais reconhecido na maior premiação do cinema mundial, o Oscar. "Em termos de Oscar, é muito ruim que comédias não tenham o reconhecmento devido", disse, segundo o site Huffington Post.

Para Stiller, o fato de as comédias ficarem de fora é um "grande buraco": "Parece que é como se houvesse um grande buraco, em que não há reconhecimento para pessoas que, em muitos e muitos anos, fizeram um grande trabalho. Não sei se a solução seria a criação de uma nova categoria. É ótimo que o Globo de Ouro exista, nesse sentido, é uma abertura para que a comédia seja reconhecida... Vale a pena pensar nisso, porque há muita gente boa nessa área", diz.

O ator fala não só em causa própria, mas em nome de muitos colegas que ajudou a promover em diversos filmes e programas de televisão. O comentário se junta ao de Judd Apatow que, em novembro, também comentou que o Oscar deveria criar uma categoria separada para comédias. "Parece que comédias ganharam cinco vezes em zilhões de anos o Oscar de melhor filme; se elas tivessem sua categoria, não ficaria parecendo que 'Se Beber, Não Case' iria ferrar um 'A Lista de Schindler'", disse Apatow, acrescentando que a categoria animação entrou somente em 2001.

Na última década, somente seis filmes de comédia foram nomeados para a categoria de melhor filme. "Minhas Mães e Meu Pai" foi nomeado em 2010; "Juno", em 2007; "Little Miss Sunshine", em 2006; e filmes um pouco mais sérios, como "Amor sem Escalas", em 2009; "Sideways - Entre Umas e Outras", em 2004; e "Encontros e Desencontros", em 2003.

"Missão Madrinha de Casamento" tem boas chances de entrar na competição do próximo ano, assim como "The Descendants", com George Clooney, e "Beginners", com Christopher Plummer.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
Chico Barney
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski

Roberto Sadovski

As 25 melhores histórias em quadrinhos da Liga da Justiça

Pincelar as melhores histórias da Liga da Justiça é um trabalho complexo. Não pela falta de qualidade, mas pelo contraste: muita coisa entre os primórdios da equipe e o final dos anos 80 tem mais valor por sua inegável importância histórica do que por seus predicados artísticos. O gibi da Liga, afinal, viveu por anos na sombra da animação Superamigos, e isso deixou o tom das histórias mais ingênuo e infantil até a reformulação pós-Crise nas Infinitas Terras. Mas garimpar todas as fases em décadas de aventuras trouxe boas surpresas e ótimas descobertas - além do perceber que, em boas, mãos, a Liga pode ser incrível! A leitura rendeu algumas conclusões. Primeiro, não há absolutamente nada errado em usar histórias de super-heróis para fazer humor! Segundo, o horrendo período dos Novos 52, que privilegiou forma, ignorou substância e fez um flashback sinistro dos primórdios da Image Comics nos anos 90 (urgh), não foi tão cruel com a Liga. Terceiro, pouca gente escreve e entende os herói tão bem quanto Grant Morrisson e Mark Waid. No mais, a Liga da Justiça, em usas diversas encarnações, ainda é aposta certeira quando o assunto é entretenimento - afinal, só uma equipe criativa muito canhestra poderia melar uma mistura de personagens e personalidades e superpoderes tão diversa e tão bacana! Acredite, se os super-heróis mais lendários do mundo sobreviveram a Extreme Justice, nada é capaz de derrotá-los!

Cinema
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
TV e Famosos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo