Cinema

Mostra de Tiradentes faz 15 anos com homenagem a Selton Mello

Sérgio Alpendre

Do UOL, em São Paulo

Inicia-se nesta sexta-feira (20) a 15ª Mostra de Cinema de Tiradentes, realizada anualmente na conhecida cidade histórica de Minas Gerais. O tema central desta vez é "O ator em expansão".

"Qual o lugar desse novo ator?" - pergunta o curador Cléber Eduardo no texto de apresentação da nova edição deste que é um dos festivais mais interessantes do calendário brasileiro. A resposta teremos durante os nove dias de programação.

O homenageado é o ator, diretor e produtor Selton Mello, que no ano passado lançou seu segundo longa-metragem como cineasta, a comédia "O Palhaço", que será exibida dentro do evento. A mostra terá também a exibição de filmes protagonizados por Mello, como "Lavoura Arcaica", de Luiz Fernando Carvalho, "O Cheiro do Ralo", de Heitor Dhalia, e "A Erva do Rato", de Júlio Bressane, além do recente "Billi Pig", de José Eduardo Belmonte, programado para a abertura.


Mas o que dá cara à Mostra de Cinema de Tiradentes é mesmo a Mostra Aurora, composta por filmes de diretores iniciantes, com no máximo dois longas na carreira. Criada na 11ª edição, tem atraído olhares de cinéfilos de todo o Brasil, ansiosos pela novidade no cinema brasileiro.

Dentro da Mostra Aurora serão exibidos sete longas, que concorrem ao prêmio de melhor filme concedido por dois júris, o da crítica e o júri jovem: "Strovengah - Amor Torto", de André Sampaio, "HU", de Pedro Urano e Joana Traub Cseko, "Entorno da Beleza", de Dácia Ibiapina, "A Cidade é Nossa?", de Adirley Queirós, "Balança Mas Não Cai", de Leonardo Barcelos, "As Horas Vulgares", de Rodrigo de Oliveira e Vitor Graize, e "Corpo Presente", de Marcelo Toledo e Paolo Gregori.

Outras mostras que atraem a atenção dos espectadores que lotam a pequena cidade histórica são as conceituadas Olhares e Vertentes, que mostram longas novos de diretores já premiados, ou mesmo de diretores que não filmavam há anos, como o recém-falecido Alberto Salvá, representado por seu "Na Carne e na Alma" (quem viu disse que é um OVNI dentro da produção atual, o que já garante o interesse).


Outros destaques dentro dessas duas mostras são "Hoje", de Tata Amaral, "Augustas", de Francisco Cesar Filho, "Estradeiro", de Sérgio Oliveira e Renata Pinheiro, "Girimunho", de Helvécio Marins Jr. e Clarissa Campolina, "Djalioh", de Ricardo Miranda, e "O Homem que Não Dormia", de Edgard Navarro.

A Mostra de Cinema de Tiradentes ainda oferece debates e seminários, que geralmente fazem encher a sala do espaço central do evento, além de mostrinhas e diversas oficinas (de direção de fotografia, assistência de direção, produção executiva, direção de longas e curtas, entre outras).

Graças à programação sempre instigante e reveladora, a mostra tem se tornado, com justiça, o principal evento cinematográfico de janeiro para quem quer ficar antenado com a produção brasileira recente.


15ª MOSTRA DE CINEMA DE TIRADENTES
Quando:
de 20 a 28 de janeiro
Onde: Tiradentes (MG)
Programação: pode ser consultada no site do festival

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 
Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Topo