Filmes e séries

Mostra de Tiradentes faz 15 anos com homenagem a Selton Mello

Sérgio Alpendre

Do UOL, em São Paulo

20/01/2012 07h00

Inicia-se nesta sexta-feira (20) a 15ª Mostra de Cinema de Tiradentes, realizada anualmente na conhecida cidade histórica de Minas Gerais. O tema central desta vez é "O ator em expansão".

"Qual o lugar desse novo ator?" - pergunta o curador Cléber Eduardo no texto de apresentação da nova edição deste que é um dos festivais mais interessantes do calendário brasileiro. A resposta teremos durante os nove dias de programação.

O homenageado é o ator, diretor e produtor Selton Mello, que no ano passado lançou seu segundo longa-metragem como cineasta, a comédia "O Palhaço", que será exibida dentro do evento. A mostra terá também a exibição de filmes protagonizados por Mello, como "Lavoura Arcaica", de Luiz Fernando Carvalho, "O Cheiro do Ralo", de Heitor Dhalia, e "A Erva do Rato", de Júlio Bressane, além do recente "Billi Pig", de José Eduardo Belmonte, programado para a abertura.

TRAILER DE "BILLI PIG"


Mas o que dá cara à Mostra de Cinema de Tiradentes é mesmo a Mostra Aurora, composta por filmes de diretores iniciantes, com no máximo dois longas na carreira. Criada na 11ª edição, tem atraído olhares de cinéfilos de todo o Brasil, ansiosos pela novidade no cinema brasileiro.

Dentro da Mostra Aurora serão exibidos sete longas, que concorrem ao prêmio de melhor filme concedido por dois júris, o da crítica e o júri jovem: "Strovengah - Amor Torto", de André Sampaio, "HU", de Pedro Urano e Joana Traub Cseko, "Entorno da Beleza", de Dácia Ibiapina, "A Cidade é Nossa?", de Adirley Queirós, "Balança Mas Não Cai", de Leonardo Barcelos, "As Horas Vulgares", de Rodrigo de Oliveira e Vitor Graize, e "Corpo Presente", de Marcelo Toledo e Paolo Gregori.

Outras mostras que atraem a atenção dos espectadores que lotam a pequena cidade histórica são as conceituadas Olhares e Vertentes, que mostram longas novos de diretores já premiados, ou mesmo de diretores que não filmavam há anos, como o recém-falecido Alberto Salvá, representado por seu "Na Carne e na Alma" (quem viu disse que é um OVNI dentro da produção atual, o que já garante o interesse).

BASTIDORES DE "AUGUSTAS"


Outros destaques dentro dessas duas mostras são "Hoje", de Tata Amaral, "Augustas", de Francisco Cesar Filho, "Estradeiro", de Sérgio Oliveira e Renata Pinheiro, "Girimunho", de Helvécio Marins Jr. e Clarissa Campolina, "Djalioh", de Ricardo Miranda, e "O Homem que Não Dormia", de Edgard Navarro.

A Mostra de Cinema de Tiradentes ainda oferece debates e seminários, que geralmente fazem encher a sala do espaço central do evento, além de mostrinhas e diversas oficinas (de direção de fotografia, assistência de direção, produção executiva, direção de longas e curtas, entre outras).

Graças à programação sempre instigante e reveladora, a mostra tem se tornado, com justiça, o principal evento cinematográfico de janeiro para quem quer ficar antenado com a produção brasileira recente.


15ª MOSTRA DE CINEMA DE TIRADENTES
Quando:
de 20 a 28 de janeiro
Onde: Tiradentes (MG)
Programação: pode ser consultada no site do festival

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
Chico Barney
do UOL
UOL Cinema - Imagens
UOL Entretenimento
Cinema
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
Cinema
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
Chico Barney
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski

Roberto Sadovski

As 25 melhores histórias em quadrinhos da Liga da Justiça

Pincelar as melhores histórias da Liga da Justiça é um trabalho complexo. Não pela falta de qualidade, mas pelo contraste: muita coisa entre os primórdios da equipe e o final dos anos 80 tem mais valor por sua inegável importância histórica do que por seus predicados artísticos. O gibi da Liga, afinal, viveu por anos na sombra da animação Superamigos, e isso deixou o tom das histórias mais ingênuo e infantil até a reformulação pós-Crise nas Infinitas Terras. Mas garimpar todas as fases em décadas de aventuras trouxe boas surpresas e ótimas descobertas - além do perceber que, em boas, mãos, a Liga pode ser incrível! A leitura rendeu algumas conclusões. Primeiro, não há absolutamente nada errado em usar histórias de super-heróis para fazer humor! Segundo, o horrendo período dos Novos 52, que privilegiou forma, ignorou substância e fez um flashback sinistro dos primórdios da Image Comics nos anos 90 (urgh), não foi tão cruel com a Liga. Terceiro, pouca gente escreve e entende os herói tão bem quanto Grant Morrisson e Mark Waid. No mais, a Liga da Justiça, em usas diversas encarnações, ainda é aposta certeira quando o assunto é entretenimento - afinal, só uma equipe criativa muito canhestra poderia melar uma mistura de personagens e personalidades e superpoderes tão diversa e tão bacana! Acredite, se os super-heróis mais lendários do mundo sobreviveram a Extreme Justice, nada é capaz de derrotá-los!

Cinema
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo