Filmes e séries

Sindicato de Produtores dá sequência à temporada de premiações pré-Oscar neste sábado (21)

AP Photo/The Weinstein Company
Cena do filme "O Artista", que concorre ao prêmio do Sindicato de Produtores Imagem: AP Photo/The Weinstein Company

Do UOL, em São Paulo

21/01/2012 10h00

O PGA Awards abre neste sábado (21) a temporada de premiações ligadas a sindicatos cinematográficos dos Estados Unidos.

Realizado pelo Sindicato de Produtores Norte-Americanos, o PGA distribui prêmios a produções de cinema e TV e é considerado um termômetro para o Oscar de melhor filme.

Entre os filmes indicados está "O Artista", produção francesa que levou três Globos de Ouro e vem se consolidando como favoritos ao prêmio da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

A premiação será realizada em Los Angeles, no Beverly Hilton Hotel, às 19h30, horário local (1h30 de domingo no horário brasileiro de verão).

Além de distribuir os prêmios entre os melhore filmes e produções de TV, o Sindicato dos Produtores também vai homenagear o cineasta Steven Spielberg e o quadrinista Stan Lee por suas carreiras.

Veja a lista de indicados nas principais categorias.

Prêmio Darryl F. Zanuck de produtor do ano em cinema:
"O Artista"
"Missão Madrinha de Casamento"
"Os Descendentes"
"Millenium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres"
"Histórias Cruzadas"
"A Invenção de Hugo Cabret"
"Tudo pelo Poder"
"Meia-Noite em Paris"
"Moneyball"
"Cavalo de Guerra"

Produtor do ano em cinema de animação:
"As Aventuras de Tintim"
"Carros 2"
"Kung Fu Panda 2"
"Gato de Botas"
"Rango"

Prêmio David L. Wolper de produtor do ano por longa-metragem de televisão:
"Cinema Verite" (HBO)
"Downton Abbey" (PBS)
"Os Kennedys" (Reelzchannel)
"Mildred Pierce" (HBO)
"Too Big To Fail" (HBO)

Produtor do ano em documentário cinematográfico:
"Beats, Rhymes & Life: The Travels Of A Tribe Called Quest"
"Bill Cunningham New York"
"Project Nim"
"Senna"
"The Union"

Prêmio Danny Thomas de melhor produtor de série televisiva de comédia:
"30 Rock" (NBC)
"The Big Bang Theory" (CBS)
"Glee" (Fox)
"Modern Family" (ABC)
"Parks And Recreation" (NBC)

Prêmio Norman Felton Award de melhor produtor de série televisiva de drama:
"Boardwalk Empire" (HBO)
"Dexter" (Showtime)
"Game Of Thrones" (HBO)
"The Good Wife" (CBS)
"Mad Men" (AMC)

Melhor produtor de competição televisiva:
“The Amazing Race” (CBS)
“American Idol” (Fox)
“Dancing With The Stars” (Abc)
“Project Runway” (Lifetime)
“Top Chef”(Bravo)

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Chico Barney
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski

Roberto Sadovski

As 25 melhores histórias em quadrinhos da Liga da Justiça

Pincelar as melhores histórias da Liga da Justiça é um trabalho complexo. Não pela falta de qualidade, mas pelo contraste: muita coisa entre os primórdios da equipe e o final dos anos 80 tem mais valor por sua inegável importância histórica do que por seus predicados artísticos. O gibi da Liga, afinal, viveu por anos na sombra da animação Superamigos, e isso deixou o tom das histórias mais ingênuo e infantil até a reformulação pós-Crise nas Infinitas Terras. Mas garimpar todas as fases em décadas de aventuras trouxe boas surpresas e ótimas descobertas - além do perceber que, em boas, mãos, a Liga pode ser incrível! A leitura rendeu algumas conclusões. Primeiro, não há absolutamente nada errado em usar histórias de super-heróis para fazer humor! Segundo, o horrendo período dos Novos 52, que privilegiou forma, ignorou substância e fez um flashback sinistro dos primórdios da Image Comics nos anos 90 (urgh), não foi tão cruel com a Liga. Terceiro, pouca gente escreve e entende os herói tão bem quanto Grant Morrisson e Mark Waid. No mais, a Liga da Justiça, em usas diversas encarnações, ainda é aposta certeira quando o assunto é entretenimento - afinal, só uma equipe criativa muito canhestra poderia melar uma mistura de personagens e personalidades e superpoderes tão diversa e tão bacana! Acredite, se os super-heróis mais lendários do mundo sobreviveram a Extreme Justice, nada é capaz de derrotá-los!

Cinema
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
TV e Famosos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cinema
Topo