Cinema

Atualizada em 11.02.2012 21h29

Em Berlim, "Xingu" atrai interesse do publico e é bastante aplaudido ao final da primeira sessão

Divulgação
Cao Hamburger (de frente) discute com o diretor de arte Cássio Amarante, o diretor de fotografia Adriano Goldman e o ator Caio Blat detalhes de "Xingu" imagem: Divulgação

Alessandro Giannini

Do UOL, em Berlim

Com a sala parcialmente cheia, "Xingu" teve neste sábado sua primeira exibição no Festival de Berlim 2012, dentro da mostra Panorama. O filme de Cao Hamburger sobre os irmãos Villas-Boas e a história da formação do Parque Nacional do Xingu atraiu o interesse do público berlinense e foi bastante aplaudido ao final da sessão. Nem o diretor ou os atores estavam presentes. A primeira projeção para a imprensa será realizada apenas na quarta (15).

O filme, que tem produção de Fernando Meirelles, acompanha a aventura dos irmãos Villas-Bôas. Na década de 1940, Orlando, Cláudio e Leonardo Villas-Bôas (Felipe Camargo, João Miguel e Caio Blat, respectivamente) juntaram-se às expedições organizadas pelo governo brasileiro para desbravar o interior do país. Suas vidas foram transformadas pelo contato com tribos indígenas que encontraram pelo caminho e tiverem papel importante na criação do Parque Nacional do Xingu, em 1961.

Quase todo rodado na região do Parque, com participação de cerca de 200 índios, o filme mostra como a aventura de três irmãos entediados com a vida urbana transformou-os pela experiência de descobrir culturas que jamais haviam tido contato com o homem branco. Mostra também, às vezes de maneira excessivamente didática, como contornaram os próprios erros e negociaram com os sucessivos governos em favor da manutenção das culturas indígenas.

A química entre Camargo, Miguel e Blat sustenta a dramaturgia linear de "Xingu". Os papéis masculinos e femininos dos índios também são dignos de nota. O que não se explica são participações como os de Maria Flor, que apontam para uma subtrama que nunca se revela na tela. Com muitos altos e alguns pontos discutíveis, o filme tem consistência o suficiente para seguir uma carreira promissora nos cinemas.

Em entrevista ao UOL, no fim de 2010, durante as filmagens de "Xingu", Hamburger disse esperar que o filme provocasse debate e discussões em torno do tema das políticas indígenas. "Acho que vai ser um filme polêmico, no sentido das políticas indígenas", disse ele. "Tem muitas vertentes de pensamento, e elas mudam sempre. É essa coisa do desenvolvimento versus a preservação. Eu espero que seja [polêmico]. Acho importante a discussão em cima de fatos. Se o filme conseguir trazer a história desses caras para uma discussão do futuro e do presente seria muito legal."

TRAILER DE "XINGU"

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 
Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Topo