Filmes e séries

Christopher Plummer é premiado como melhor ator coadjuvante por "Toda Forma de Amor"

Gary Hershorn/Reuters
Christopher Plummer recebe o Oscar de melhor ator coadjuvante por seu trabalho em "Toda Forma de Amor" (26/2/12) Imagem: Gary Hershorn/Reuters

Do UOL, em São Paulo

27/02/2012 00h01

Confirmando as expectativas, Christopher Plummer ficou com o prêmio de melhor ator coadjuvante por "Toda Forma de Amor". Foi o primeiro Oscar do ator de 82 anos. A estatueta foi entregue pela atriz Melissa Leo, vencedora do Oscar de atriz coadjuvante em 2011, como manda a tradição dos prêmios da Academia.

"Você é apenas dois anos mais velho que eu, querida, onde você tem andado toda a minha vida?", brincou o ator em seu discurso de aceitação. "Eu tenho uma confissão a fazer. Quando eu saí do ventre da minha mãe eu já estava ensaiando o meu discurso de agradecimento da Academia. Mas foi há muito tempo. Felizmente para vocês, eu esqueci", completou.

Plummer, que ganhou o Oscar pelo papel de um patriarca que se assume gay já na velhice, comentou a questão da homossexualidade no cinema e na vida artística durante entrevista nos bastidores, depois de receber a estatueta. "Eu vejo atores como sendo universalmente iguais, gays ou hetero. Somos todos atores, e um ator gay pode interpretar um homem hetero muito bem, e vice-versa. É maravilhoso, porque anula todas as diferenças sexuais e todo o tipo de mal-entendidos preconcebidos sobre uma existência sexual".

Apresentação
A cerimônia começou neste domingo, às 22h30, com vídeos que parodiavam os filmes concorrentes, estrelados pelo anfitrião da noite, o comediante Billy Crystal.

"Nada melhor para levar as preocupações para longe da crise econômica do que milionários entregando estátuas de ouro a milionários", foi uma das piadas de abertura de Crystal, antes de começar um número musical sobre cada um dos indicados a melhor filme. Depois de apresentar os dois primeiros prêmios, o comediante fez piadas sobre o nome do teatro que recebe o Oscar, que deixou de ser Kodak Theatre recentemente, e comentou que as pessoas não vão mais ao cinema.

Depois do prêmio de melhor atriz coadjuvante, Billy Crystal ironizou os testes de audiência que os estúdios fazem para ver como o público responderá a um filme e mostrou o "primeiro teste de audiência" da história, do clássico "O Mágico de Oz". As sugestões incluíam "cortar a música "Somewhere over the Rainbow" e eliminar o personagem de Dorothy.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

EFE
do UOL
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
EFE
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
AFP
Cinema
do UOL
do UOL
Cinema
BBC
do UOL
EFE
Cinema
do UOL
do UOL
AFP
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
Topo