Filmes e séries

Atualizada em 11.04.2012 14h36

"Área Q" não é "nem ficção científica nem espírita", explica diretor Gerson Sanginitto

Amauri Neh/AgNews
Gerson Sanginitto, diretor de "Área Q", falou sobre o longa nesta segunda-feira (9/4/2012) Imagem: Amauri Neh/AgNews

Ana Okada

Do UOL, em São Paulo

Apesar "Área Q" ser apresentado como um filme "espiritualista" e ter co-produção da Estação Luz Filmes, empresa que lançou os principais filmes espíritas do cinema nacional ("Chico Xavier", "Bezerra de Menezes" e outros), o diretor Gerson Sanginitto diz que o longa não é não é "nem ficção científica nem espírita".

"Por que fiz uma mistura de ficção científica com o gênero paranormal? Porque são coisas em que acredito, são a mesma coisa. Tenho uma preocupação muito grande que o filme seja rotulado como ficção científica e como espírita, porque não é nenhum dos dois. Ele traz elementos de ficção científica com uma abordagem bem leve, bem sutil espiritualista. De forma alguma essa palavra espírita pode ser usada, porque é tentar vender gato por lebre."

O filme conta a história de um jornalista norte-americano (Isaiah Washington) que vai fazer uma reportagem no nordeste brasileiro sobre fenômenos extraterrestres. Lá, ele conhece um homem misterioso, João Batista (Murilo Rosa), que dará a ele a explicação para o desaparecimento de seu filho, ocorrido antes da chegada de Mathews ao país.

Influenciado por Steven Spielberg e George Lucas, o diretor diz que sabia que seu trabalho estaria numa linha tênue entre "o crível e o risível". "Tive preocupação de ser sutil, leve, para abordar o assunto de forma verdadeira. Não queria criar nenhum estereótipo de alienígena, de nave espacial", diz.

Para elaborar o enredo, Sanginitto leu muitas histórias de moradores das regiões de Quixadá e Quixeramobim, no Ceará, lugar cheio de histórias de extraterrestres. Ao criar o personagem de Murilo Rosa, João Batista, ele se baseou num relato que seria o do primeiro homem que foi aposentado por abdução.

Como estudou nos Estados Unidos, o diretor diz que fez o filme com um ator norte-americano -- Isaiah Washington, conhecido por seu trabalho como "Dr. Burke" de Grey's Anatomy-- pensando em lançá-lo no mercado internacional. Ele diz que já tem na cabeça até uma continuação para o longa, mas tudo depende do desempenho de "Área Q" nos cinemas. O filme estreia no país nesta sexta-feira (13), em cerca de 80 salas.

TRAILER DE "ÁREA Q"

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
redetv
Reuters
do UOL
Da Redação
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
Roberto Sadovski
Blog do Matias
do UOL
AFP
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Roberto Sadovski
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
EFE
Colunas - Flavio Ricco
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
Cinema
Blog do Nilson Xavier
do UOL
Reuters
EFE
AFP
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
Da Redação
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Colunas - Flavio Ricco
Roberto Sadovski
Topo