Filmes e séries

Sucesso de "Cidade de Deus" gerou disputa de autoria entre os diretores do filme

Anne-Christine Poujoulat/AFP
Kátia Lund e Fernando Meirelles no Festival de Cannes para o lançamento de "Cidade de Deus" (18/5/2002) Imagem: Anne-Christine Poujoulat/AFP

Daniel Solyszko

Do UOL, em São Paulo

30/08/2012 07h00

Depois da estreia internacional de “Cidade de Deus” em Cannes, em 2002, criou-se um clima de tensão entre os diretores do filme, que culminaria com Kátia Lund abrindo um processo judicial contra Fernando Meirelles e a produtora O2 para que seu nome aparecesse com maior destaque nos créditos do filme. Os dois deixaram de se falar na época e não voltaram a trabalhar juntos novamente.

Saiba mais

Divulgação
Em 30 de agosto de 2002, “Cidade de Deus” estreava nos cinemas brasileiros. Violência urbana e favelas já tinham sido mostradas inúmeras vezes no cinema nacional, mas o filme foi celebrado por trazer uma nova linguagem para as telas, deixando para trás tanto a pesada herança intelectual do cinema novo quanto o estilo mais apelativo do cinema popular dos anos 1970 e 1980.

Continue lendo

    O assunto acabou sendo esquecido, mas o filme até hoje é mais relacionado à filmografia de Meirelles do que à de Lund. Em entrevista ao UOL, a diretora preferiu não comentar o assunto, dizendo que a discussão já foi esquecida e que voltou a conversar com Meirelles recentemente. “Não me interessa falar sobre isso, é tão velho”, disse.

    Lund afirmou, depois do lançamento do filme, que poderia ter ficado com o crédito do roteiro, mas não quis. Segundo o roteirista Bráulio Mantovani, nos bastidores havia acontecido exatamente o contrário: a diretora teria pedido para seu nome ser incluso nos créditos.  “Ela de fato deu muitas ideias, mas não escreveu uma só linha. O crédito é para quem escreve. Ideias sem forma não valem nada. E quem dá forma às ideais, no roteiro, é quem senta a bunda na cadeira e escreve”, alfineta.  

    Segundo Mantovani, Lund passou cerca de um ano colaborando com o filme, e Meirelles teria passado quatro, entre a pré-produção e a edição final. A diretora teria entrado no filme como assistente. “Ela conhecia o universo das favelas cariocas muito mais que nós. Eu me lembro de nós três lendo o roteiro para trocar ideias. Quando fui ao set, para mim era evidente que Fernando era o diretor. A Kátia tinha uma proximidade muito grande com os atores, eles confiavam muito nela. Talvez isso explique por que o Fernando decidiu creditá-la como codiretora”, conta ele.

    Ainda assim Mantovani é categórico ao apoiar Meirelles na questão: “Ele foi generoso com a Kátia e acabou sendo processado por ela. Na época, ele costumava dizer que a culpa era do advogado americano, que estava envenenando a cabeça dela. Fernando é realmente um idealista”, diz.

    VEJA O TRAILER DO FILME "CIDADE DE DEUS"

    ID: {{comments.info.id}}
    URL: {{comments.info.url}}

    Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

    Por favor, tente novamente mais tarde.

    {{comments.total}} Comentário

    {{comments.total}} Comentários

    Seja o primeiro a comentar

    {{subtitle}}

    Essa discussão está encerrada

    Não é possivel enviar novos comentários.

    {{ user.alternativeText }}
    Avaliar:
     

    * Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

    Escolha do editor

    {{ user.alternativeText }}
    Escolha do editor

    Roberto Sadovski
    do UOL
    Cinema
    EFE
    do UOL
    UOL Jogos
    do UOL
    do UOL
    do UOL
    do UOL
    do UOL
    do UOL
    Colunas - Flavio Ricco
    do UOL
    do UOL
    UOL Entretenimento
    Cinema
    do UOL
    do UOL
    Roberto Sadovski
    UOL Entretenimento
    do UOL
    UOL Jogos
    Cinema
    EFE
    do UOL
    UOL Cinema - Imagens
    do UOL
    UOL Entretenimento
    do UOL
    do UOL
    do UOL
    do UOL
    do UOL
    do UOL
    do UOL
    do UOL
    do UOL
    do UOL
    Reuters
    EFE
    Da Redação
    do UOL
    do UOL
    do UOL
    do UOL
    do UOL
    do UOL
    do UOL
    do UOL
    EFE
    Topo