Filmes e séries

"Queríamos um modo de expandir", diz produtor de "O Legado Bourne" sobre universo do agente

Ana Maria Bahiana

Do UOL, em São Paulo

06/09/2012 07h07

O filme "O Legado Bourne" representa uma ampliação do universo criado pelo escritor Robert Ludlum em sua trilogia sobre o agente Jason Bourne, segundo o produtor Frank Marshall. "Queríamos um modo de expandir o universo do personagem", disse em entrevista ao UOL o veterano de filmes como "O Sexto Sentido", "O Curioso Caso de Benjamin Button" e da franquia "Indiana Jones".

Principal responsável pelo que viria a ser "O Legado Bourne", Marshall elogiou as opções adotadas na produção por Tony Gilroy, diretor e roteirista de todos os longas da franquia. “Era um mundo que ainda tinha Bourne, para onde ele poderia retornar, mas com possibilidades muito mais amplas", explica. "Uma das ideias mais geniais é colocar a história de 'O Legado Bourne' em paralelo com o que está acontecendo nos outros filmes da série."

No novo mundo imaginado por Gilroy, a Operação Outcome, um novo programa clandestino de espionagem, está correndo em paralelo ao projeto Blackbriar, que gerou Jason Bourne.  Enquanto a dupla Blackbriar-Treadstone criava agentes por meio de seu rigoroso (e sádico) treinamento, a Outcome usa um sofisticado sistema de drogas para dar a seus agentes verdadeiros super-poderes físicos e mentais. 

Quando a campanha de Bourne para revelar os segredos de Blackbriar-Treadstone começa a dar certo, seus dirigentes imediatamente decidem eliminar os agentes da Outcome. A operação queima-de-arquivo é um  sucesso, mas Aaron Cros, o agente “Número Cinco”, escapa e, como Bourne, torna-se ao mesmo tempo alvo de perseguição e espoleta de denúncia. 

Veja trailer de "O Legado Bourne"

“Não estou incorporando Jason Bourne –Jason Bourne é Matt Damon, e ele é brilhante no papel.”, diz Jeremy Renner. “Aaron é uma outra criatura. Para mim, o desafio foram aspectos específicos do personagem, principalmente a fisicalidade extrema dele, ampliada pelas drogas."

"A essência da franquia Bourne é a veracidade física da ação, como ela se traduz de um modo autêntico, visceral", continua o ator. "Não há CGI que possa passar isso – minha preocupação era cumprir esse objetivo.”

Já para Gilroy, o papel de Aaron Cross exigia três coisas. “ Alguém que estivesse fisicamente à altura das cenas que escrevi, um atleta, que pudesse manter a realidade de um agente de força e inteligência extraordinárias. Alguém que estivesse à altura do padrão estabelecido por Matt Damon como Bourne. E alguém que fosse um grande ator. Tinha que ser a pessoa certa", disse. "Pensamos em muita gente, mas Jeremy foi o que mais perfeitamente se adaptou a esses exigências.”

Gilroy fez também testes para escalar um outro personagem essencial nos filmes Bourne: a locação. Desde o início ele e Frank Marshall imaginavam um local asiático e tropical para a maior parte da ação – quando Cross, determinado a expor a manipulação química dos agentes da Outcome, vai em busca do laboratório que fabrica as super-drogas. “Vimos lugares no Vietnã, na Tailândia, na Malásia”, diz Marshall. “Mas acabamos escolhendo as Filipinas porque, além do ambiente, nos proporcionava uma boa infra-estrutura.”

“Nós invadimos Manila, e o povo foi extremamente paciente e generoso”, diz Gilroy – que, entre outras coisas, orquestrou uma complicadíssima sequência de perseguição de moto pelas ruas da capital das Filipinas. “As locações são tão importantes nos filmes Bourne, e as Filipinas foram uma das experiências mais agradáveis que um realizador poderia ter.” 

Não estou incorporando Jason Bourne. Jason Bourne é Matt Damon, e ele é brilhante no papel

Jeremy Renner, ator de "O Legado Bourne"

Segundo Gilroy, A ideia da manipulação química de corpo e mente não é inteiramente fruto da sua imaginação. “E isso é muito assustador”, ele elabora. “Eu tinha uma história e fui encontrando mais e mais elementos de realidade nela, à medida em que eu pesquisava. A maior parte do que coloquei no filme já existe, hoje.”

Na verdade existe uma outra coisa quase tão preocupante: a tensão entre Matt Damon e Tony Gilroy. Os dois brigaram muito publicamente três anos atrás, quando o projeto de "O Legado Bourne" foi anunciado. "São águas passadas", disse Marshall. "Tony tem um tremendo respeito por Matt. Ele leu o roteiro e nos deu autorização para usar a imagem dele numa cena. E está cheio de vontade de voltar ao universo Bourne.”

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
Da Redação
do UOL
do UOL
Cinema
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
Reuters
Roberto Sadovski
do UOL
Cinema
EFE
do UOL
UOL Jogos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
Cinema
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Jogos
Cinema
EFE
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
Topo