Filmes e séries

Depois de "Os Vingadores", Joss Whedon ataca com Shakespeare moderno e em preto e branco

Divulgação
Cena de "Much Ado About Nothing", de Joss Whedon Imagem: Divulgação

Mariane Morisawa

Especial para o UOL, de Toronto

12/09/2012 18h12

Joss Whedon é campeão de bilheteria neste ano com “Os Vingadores”. Mas, no Festival de Toronto, ele comparece com uma produção de orçamento bem menor e rodado em apenas 12 dias, entre a filmagem e a pós-produção do blockbuster: uma versão da peça “Much Ado About Nothing” ("Muito Barulho Por Nada"), de William Shakespeare. O diretor costuma promover leituras do dramaturgo entre amigos e juntou atores para filmar uma adaptação contemporânea, caseira, em preto e branco.

O texto fala de uma série de mal-entendidos e tramoias no jogo amoroso. Uma trupe liderada pelo nobre Don Pedro (Reed Diamond) chega à casa do governador de Messina, Leonato (Clark Gregg, o Agente Coulson de “Os Vingadores”). Lá estão sua sobrinha Beatrice (Amy Acker) e sua filha Hero (Jillian Morgese), que vão ser o centro da trama. A primeira é feminista, pouco preocupada em se casar, mas está apaixonada pelo oficial Benedick (Alexis Denisof), sem saber.

É pelo vaivém de palavras supostamente duras que se percebe. Ele, igualmente, não nota seu amor por Beatrice. Já a doce Hero encanta-se de cara por outro oficial da tropa de Don Pedro, Claudio (Fran Kranz), que retribui sua atenção. De casamento marcado, são vítimas de uma traição bolada pelo irmão do príncipe, o malvado Don John (Sean Maher).

Tudo se passa numa casa, como no original, só que numa casa moderna. Os personagens usam roupas contemporâneas, mas falam em grande parte o texto original de Shakespeare. Whedon carrega no humor que já existe na peça, uma comédia. Há momentos de puro pastelão, como a conversa de Claudio e Benedick num quarto de meninas, cheio de bichos de pelúcia. Mas o filme sai um pouco prejudicado porque seus protagonistas masculinos – Alexis Denisof e Fran Kranz – não seguram a onda. Melhor é a participação de Nathan Fillion (de “Castle”) como um policial whilário.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

UOL Cinema - Imagens
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
TV e Famosos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cinema
Roberto Sadovski
Cinema
Colunas - Flavio Ricco
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo