Filmes e séries

"O Homem de Aço" abre caminho para reunião de heróis da DC Comics no cinema; entenda

Roberto Sadovski

Do UOL, em São Paulo

16/07/2013 07h00

A Warner precisa de um plano. Enquanto o cinema do século 21 foi dominado pelos super-heróis da Marvel, sua concorrente, a DC, apostou (com sucesso, diga-se) no cavalo de sempre: o Batman. A trilogia "O Cavaleiro das Trevas", de Christopher Nolan, é um sucesso de bilhões de dólares. Mas ficou só nisso.

Os executivos do estúdio assistiram, impassíveis, um desfile de heróis uniformizados do lado B da Marvel, que se tornaram ícones do cinemão, como o Homem de Ferro, além do triunfo das franquias "X-Men", "Homem-Aranha" e, agora, "Os Vingadores". O "Homem de Aço", que marca o retorno de um dos principais heróis da DC Comics aos cinemas, com seus US$ 620 milhões em caixa (e contando), mudou o jogo. A balança pode ser equilibrada. E a Warner precisa de um plano.

A nova aventura do Superman pode ser o marco zero de um Universo Cinematográfico DC. A temporada do verão de 2015 é a época provável para a continuação de "O Homem de Aço" chegar aos cinemas, mas o estúdio ainda não fechou uma data. Na verdade, se há planos para expandir o mundo revelado no filme de Zack Snyder, ele continua um mistério guardado pelos executivos da Warner. Enquanto isso, a Marvel já assegurou datas de seus filmes (ainda sequer apontados, o que deve acontecer este fim de semana na Comic-Con, em San Diego) até pelo menos 2017. Aos poucos, porém, o véu começa a ser desvendado.

TRAILER LEGENDADO DE "O HOMEM DE AÇO"

Um dos projetos do diretor mexicano Guillermo Del Toro interfere diretamente no universo compartilhado de "O Homem de Aço". Ao divulgar a aventura "Círculo de Fogo", Del Toro disse que seu "Dark Universe" está em desenvolvimento e, certamente, divide o mesmo mundo do Superman. "Dark Universe" é, na verdade, a Liga da Justiça Dark, série da DC que reúne, de maneira orgânica e sensacional, seus personagens que lidam com magia e ocultismo. Reúne sob a mesma tenda, entre outros, John Constantine (que foi interpretado por Keanu Reeves em 2005, mas aqui deve recuperar sua herança britânica, loiro e com a cara do Sting), o Monstro do Pântano, a ilusionista Zatanna, o demônio Etrigan, o Homem-Animal e o Desafiador. "Dark Universe", porém, continua sem data.

Destino similar ao de "Liga da Justiça". A superequipe do universo DC, que reúne seus maiores pesos-pesados (Superman, Batman, Mulher-Maravilha, Flash, Lanterna Verde, Aquaman, Caçador de Marte, a lista é longa), quase saiu do papel em 2007, mas foi vítima da crise mundial. O diretor George Miller (Mad Max) trabalhou com seu elenco por seis meses antes de o estúdio desligar da tomada. Armie Hammer (em cartaz com "O Cavaleiro Solitário") seria o Batman; D.J. Cotrona, o Superman: um dia com certeza desenhos de produção e imagens dos uniformes surgirão nos meios online.

Recentemente o roteirista Will Beall ("Caça aos Gângsters") escreveu uma nova versão de Liga da Justiça, que foi sistematicamente rejeitada por uma série de diretores. Dá calafrios imaginar as atrocidades que Beall cometeu com os heróis no papel, mas sua versão da Liga foi para o vinagre. Zack Snyder, em alta com "O Homem de Aço", achou que o melhor é deixar a idéia de ter uma Liga da Justiça no cinema amadurecer com uma segunda aventura-solo do Superman surgindo nas telas antes. Por essas contas, porém, a reunião não sairia do papel antes de 2017 -- e é bem difícil o estúdio sentar na janelinha enquanto a Marvel/Disney enche os cofres até com Guardiões da Galáxia.

VEJA COMO O UNIFORME DO
SUPERMAN MUDOU COM O TEMPO

A demora para um filme com a superequipe da DC também prejudica qualquer aventura-solo com os heróis da editora. Chris Nolan deixou claro que seu Batman pertence a um universo único, e que o Homem-Morcego precisa ser (mais uma vez) reinventado para o cinema -- seja em um filme só seu, seja reintroduzido em Liga da Justiça. David Goyer, roteirista de "O Homem de Aço" e dos Batman de Nolan, tem um filme do Flash, o homem mais veloz do mundo, escrito e na gaveta há alguns anos. Quem sabe agora com o novo sucesso -- e com a demanda -- o corredor escarlate não ganhe sua vez?

Depois de "Lanterna Verde" não chegar perto do resultado esperado pelo estúdio, é muito difícil o estúdio apostar em uma nova aventura do gladiador esmeralda, mas não seria difícil ver Ryan Reynolds reprisando o papel em Liga da Justiça. A Mulher-Maravilha também ganhou um tratamento rejeitado – este das mãos de Joss Whedon, que fez de Os Vingadores a terceira maior bilheteria da história para a concorrente. Nenhum destes filmes está ativamente em deselvolvimento. Não há datas. A Warner precisa de um plano.

"O Homem de Aço", por sinal, dá dezenas de pistas do que pode estar a caminho -- mas boa parte não passa de empolgação de fãs. Snyder confirma que Bruce Wayner existe neste novo universo, mas não é o mesmo dos filmes de Christopher Nolan. Goyer já revelou sua vontade de ver um filme com Batman e Superman juntos, antes de explorar personagens como Mulher-Maravilha e Flash para finalmente juntar todos em uma aventura.

Mas nem Snyder, nem Nolan e nem Goyer são Avi Arad ou Kevin Feige. Os produtores tinham uma visão com a Marvel e acreditaram que ela funcionaria. Quando Arad se afastou do estúdio para tocar "Homem-Aranha" com a Sony, Feige assumiu o manto e tocou o plano. "Homem de Ferro" foi o marco zero, com Samuel Jackson alinhavando os filmes como o espião Nick Fury. Foi uma idéia que precisou de paciência e muito sangue frio, além da total confiança de quem pagava a conta. Funcionou.

Mas Arad e Feige não trabalham com a DC. A vaga está aberta. E enquanto não surgir um produtor apontados pelos executivos como o sujeito com paixão para entender os personagens, e carta branca para adaptá-los da maneira correta, filmes como "O Homem de Aço" serão a exceção de uma regra que conta com Jonah Hex e Lanterna Verde.

"Não tenha medo dos conceitos inerentemente tolos de seus personagens”, disse Kevin Feige. “Abrace-os como eles são. E os filmes vão funcionar.” O mundo perfeito? O Homem de Aço 2, seguido de Batman & Superman: Os Melhores do Mundo e Liga da Justiça. A partir daí, filmes-solo com os personagens mais bacanas (Mulher-Maravilha e Flash, de preferência) e apostas fora da caixinha, como Novos Deuses ou Esquadrão Suicida. Se este for o plano, lembre-se: você leu aqui primeiro.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
Da Redação
do UOL
do UOL
Cinema
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
Reuters
Roberto Sadovski
do UOL
Cinema
EFE
do UOL
UOL Jogos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
Cinema
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Jogos
Cinema
EFE
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
Topo