Cinema

"Wolverine - Imortal" antecipa trama de próximo filme dos X-Men

Roberto Sadovski

Do UOL, em São Paulo

"Wolverine - Imortal" foi mais um passo para recolocar a série cinematográfica dos X-Men, que já tem 13 anos de idade, nos trilhos. "X-Men: Primeira Classe", de 2011, foi decisivo para trazer Bryan Singer de volta à equipe, quando o cineasta atuou como produtor. Agora, a nova aventura do mutante interpretado por Hugh Jackman, em cartaz nos cinemas brasileiros, recuperou a credibilidade do herói junto aos fãs depois do malfadado "X-Men Origens: Wolverine", de 2009. Agora é hora de deixar a casa em ordem para o evento principal que chega ano que vem.

“X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido” é o título de uma história em duas partes das edições 141 e 142 do gibi "The Uncanny X-Men", lançado nos Estados Unidos em 1981. Marcando o fim da parceria do roteirista Chris Claremont com o desenhista John Byrne, a história introduziu viagens no tempo no universo dos mutantes e traçou duas tramas paralelas.

Uma em um futuro pós-apocalíptico, onde mutantes, sobreviventes de um holocausto que quase exterminou a raça (e dizimou a humanidade por tabela), vivem em campos de concentração. Outra, no "presente", mostra os esforços da equipe de Charles Xavier em impedir a morte de um senador, evento que desencadeia este futuro mórbido. O elo de ligação é a jovem Kitty Pryde: sobrevivente, ela tem sua mente enviada para seu corpo no passado, com a missão de alertar os X-Men do perigo imininte e tentar mudar o futuro.

TRAILER LEGENDADO DE "WOLVERINE - IMORTAL"

Quando o estúdio anunciou que Bryan Singer seria o diretor da nova aventura dos mutantes no cinema, os fãs aplaudiram. Quando Singer, por sua vez, revelou que "Dias de Um Futuro Esquecido" seria o nome do novo filme, os aplausos se tornaram eufóricos, ainda que cautelosos. Afinal, como adaptar uma série que envolve tantos personagens, do presente e do passado, e mais outros que não fazem parte do universo dos X-Men em um único filme?

Mais ainda: a função do novo filme seria tornar coesa a cronologia das cinco aventuras dos X-Men no cinema, unificando todos os eventos em uma única linha do tempo. A cereja no topo do bolo? O elenco dos filmes originais se juntaria ao de "X-Men: Primeira Classe", deixando claro que todos interagem no mesmíssimo universo.

A partir desta linha, o texto pode trazer alguns spoilers, tanto de "Wolverine - Imortal" como da trama de "X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido". Se você deseja permanecer virgem neste mundo, melhor ficar por aqui.

JACKMAN E MANGOLD COMENTAM O FILME AO UOL

O mistério começou a ser desvendado há algumas semanas durante a Comic-Con em San Diego. Singer subiu ao palco do evento de cultura pop com seu gigantesco elenco, unindo duas gerações de X-Men. Os clipes do filme apresentados aos 6 mil fãs que lotavam o local mostrou a idéia por trás de" Dias de Um Futuro Esquecido" -- e como, mais uma vez, é Wolverine o fio condutor da trama.

No filme, que chega aos cinemas ano que vem, as Indústrias Trask, empresa de desenvolvimento biotecnológico, aprimora o programa dos Sentinelas, inteligência artificial dedicada à erradicação do gene que causa a mutação. Em 2020, quase cinco décadas depois da criação do primeiro Sentinela em 1973, Trask lança a décima geração de sua criação -- mas o resultado é um exército de robôs gigantes soltos pelo mundo, determinados a exterminar a raça mutante.

VEJA A PÁGINA ESPECIAL DE
"WOLVERINE - IMORTAL"

É neste ponto que a história fica diferente em relação aos quadrinhos. No novo filme, Charles Xavier (Patrick Stewart), Magneto (Ian McKellen) e outros mutantes que enfrentam essa nova ameaça conseguem os meios para transferir a mente de um dos seus para seu corpo no passado -- mais especificamente para 1973. E Wolverine (Hugh Jackman), o mutante praticamente imortal, é a escolha lógica, já que ele praticamente não envelheceu neste tempo.

O canadense volta no tempo para encontrar Charles Xavier (James McAvoy) e Magneto (Michael Fassbender), tendo de convencê-los a trabalhar juntos e, claro, salvar o mundo. A cena pós-créditos de "Wolverine - Imortal" mostra justamente as encarnações mais velhas de Charles e Eric recrutando Wolverine e o alertando para esta nova ameaça que paira sobre sua raça -- na TV, um comercial das Indústrias Trask mostra o "plano" para garantir o futuro da humanidade.

Já o futuro dos X-Men no cinema entra agora, assegurado, em segunda marcha. "Wolverine - Imortal" e a aventura que estreia ano que vem são apenas o começo dos planos da Fox. Além do universo dos mutantes, o estúdio também tem os direitos do Quarteto Fantástico, e fundir estes dois mundos está nos planos.

"O universo dos X-Men é tão vasto quanto o do restante da Marvel", aponta Bryan Singer, mais uma vez o arquiteto de uma série que ameaçou perder o rumo, mas agora firme de volta em seu caminho. Se "Dias de Um Futuro Esquecido" serve como indicação, outras sagas consagradas dos mutantes nos quadrinhos podem ganhar versão para o cinema.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 
Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Topo