PUBLICIDADE
Topo

Família Barreto homenageia Glória Pires em Gramado

Mariane Zendron

Do UOL, em Gramado

09/08/2013 23h50

A família Barreto compareceu em peso à abertura do Festival de Gramado, na noite desta sexta-feira (9). Lucy e os filhos Paula e Bruno subiram ao palco para apresentar "Flores Raras", filme dirigido por Bruno, produzido por mãe e filha e que abriu o evento. Minutos depois, Lucy e o marido Luis Carlos Barreto voltaram ao palco do festival, desta vez para entregar o troféu Oscarito para Glória Pires, estrela de "Flores Raras" e homenageada no evento pela sua contribuição à dramaturgia brasileira.

No palco, a atriz ainda agradeceu mais um membro da família Barreto, Fabio, que dirigiu Glória em seu primeiro papel no cinema, em "Índia, a Filha do Sol". Com o mesmo diretor ainda atuou em "O Quatrilho" (1995) e "Lula, o Filho do Brasil" (2009), no qual viveu Dona Lindu, mãe do ex-presidente. Fabio está longe dos cinemas desde 2009, quando sofreu um acidente de carro. "Lucy e Luiz Carlos são meu pais no cinema e agora Bruno é meu novo irmão".

Luiz Carlos, que dirigiu o documentário "Isto é Pelé" (1974), brincou que gostaria de ter dirigido um filme com o nome "Isto é Glória". "Os papeis de Glória são tão diversificados quanto o cinema brasileiro". Citando a música "Luz do Sol"  de Caetano Veloso, Luiz Carlos disse que a atriz é a "Gloria da Vida".

Carreira de Glória Pires

A atriz atuou também no clássico "Memórias do Cárcere" (1984), de Nélson Pereira dos Santos. A atriz também participou das comédias sucessos de bilheteria "Seu Eu Fosse Você" (2006) e "Se Eu Fosse Você 2 (2008), ambos de Daniel Filho. Com "É Proibido Fumar" (2009), de Anna Muylaert, ganhou o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Brasília.

Filha da empresária Elsa Marques Pires e do comediante Antônio Carlos Pires (1927-2005), Pires fez sua primeira aparição na TV aos cinco anos de idade na abertura de "A Pequena Órfã", na TV Excelsior. Fez sua estreia na Globo em 1972, aos oito anos de idade em "Selva de Pedra".