Filmes e séries

Sequência de "Aviões" terá combate a incêndios e inspiração em stand-up

Divulgação
Cena da sequência do filme "Aviões", "Planes: Fire and Rescue" ("Aviões: Fogo e Resgate", em tradução livre) Imagem: Divulgação

Mário Barra

Do UOL, em Anaheim (EUA)*

09/08/2013 19h09

O estúdio DisneyToon, divisão do setor de animação da Disney, revelou trechos da sequência do filme "Aviões" durante a D23 Expo, convenção sobre o universo da companhia de Walt Disney voltada a fãs, nesta sexta-feira (9). Em inglês, o filme vai se chamar "Planes: Fire and Rescue" (aviões: fogo e resgate, em tradução livre).

Com o ator Dane Cook no palco -- o responsável pela voz do avião Dusty na primeira versão do filme, que será exibido também nesta sexta-feira em Anaheim, nos Estados Unidos --, o diretor Bob Gannaway mostrou cenas nas quais o protagonista aparece aterrissando em uma pista de pouso e interagindo com novos personagens, entre eles uma equipe de tratores que apaga incêndios.

Cook comentou que utilizou elementos de suas apresentações de comédia stand-up para incrementar a personalidade de Dusty.

O ator brincou quando Gannaway perguntou se o ator gostava de voar. Citando sua experiência como comediante de stand-up, função que exerce há quase duas décadas, Cook contou que voa bastante a trabalho. "Você realmente queria me perguntar isso?", brincou o humorista.

Sobre a personalidade de Dusty, Cook citou ter identificado traços no aviãozinho que lembram de sua infância como um garoto ansioso, que tinha medo de falar em público e era muito tímido. A descrição parece casar com o que foi visto na tela. No trecho exibido da sequência de "Aviões", Dusty recebe com certa timidez o assédio de uma personagem feminina, que admira seu fama como "corredor".

Em outro trecho ainda com partes incompletas, Dusty é levado até uma floresta em chamas. Lá ele ajuda outros aviões a apagar o fogo. Como trilha sonora da missão, a produção do filme colocou "Thunderstuck", sucesso do AC/DC.

A previsão de lançamento do filme nos EUA é para 18 de julho de 2014.

Mundo humano a partir da visão de animais
A Disney apresentou oficialmente também a animação "Zootopia", prevista para 2016. Revelada em julho de 2013, a animação trará animais enxergando montanhas e palmeiras como se fossem edifícios para serem habitados.

  • Divulgação

    Cena da animação "Zootopia"

Para o diretor Byron Howard, que subiu ao palco em Anaheim para comentar sobre a produção, a ideia por trás do filme é fazer com que animais sejam retratados de acordo com a personalidade que eles têm. Para que isso fosse possível, a equipe do longa consultou especialistas no comportamento animal, que sugeriram mudanças em alguns personagens.

Há casos em que um personagem foi imaginado de terno e gravata pela equipe de criadores, mas que precisou ser remodelado quando um consultor revelou que o comportamento do animal retratado era a de um animal desengonçado, algo diferente do look corporativo inicialmente idealizado.

O filme vai contar com voz do ator Jason Bateman, que deverá ficar com a voz de uma raposa, uma das protagonistas do filme ao lado de um coelho. A previsão de lançamento no mercado norte-americano é março de 2016.

Curta recriado
A Disney exibiu ainda o curta "Mickey Mouse: Get a Horse!", inspirado em um desenho do próprio Walt Disney feito em 1928, cinco anos depois da criação da companhia que leva o seu nome. O episódio, que envolve Mickey Mouse, é inédito.

  • Divulgação

    O curta "Mickey Mouse: Get a Horse!", inspirado em um desenho do próprio Walt Disney feito em 1928, cinco anos depois da criação da companhia que leva o seu nome.

Encontrados recentemente, os restos do curta foram analisados por uma equipe de 14 pessoas, coordenada pela diretora Lauren MacMullan, que utilizou o conceito para recontar a história, misturando o traço original do desenho com efeitos em 3D. Apenas a voz de Walt Disney foi mantida sem retoques.

A trama mostra Mickey Mouse no comando de um veículo, que conta com a amada Minnie a bordo. Após o encontro com João Bafo de Onça, uma série de confusões se sucede, com quase tudo desenhado a mão com fidelidade ao traço original de 1928.

Personagens como Horário e Clarabela também são mostrados no vídeo, que será exibido durante sessões de "Frozen", nova animação da Disney prevista para o final de 2013 nos Estados Unidos.

*O jornalista viajou a convite da Disney

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Roberto Sadovski

Roberto Sadovski

As 25 melhores histórias em quadrinhos da Liga da Justiça

Pincelar as melhores histórias da Liga da Justiça é um trabalho complexo. Não pela falta de qualidade, mas pelo contraste: muita coisa entre os primórdios da equipe e o final dos anos 80 tem mais valor por sua inegável importância histórica do que por seus predicados artísticos. O gibi da Liga, afinal, viveu por anos na sombra da animação Superamigos, e isso deixou o tom das histórias mais ingênuo e infantil até a reformulação pós-Crise nas Infinitas Terras. Mas garimpar todas as fases em décadas de aventuras trouxe boas surpresas e ótimas descobertas - além do perceber que, em boas, mãos, a Liga pode ser incrível! A leitura rendeu algumas conclusões. Primeiro, não há absolutamente nada errado em usar histórias de super-heróis para fazer humor! Segundo, o horrendo período dos Novos 52, que privilegiou forma, ignorou substância e fez um flashback sinistro dos primórdios da Image Comics nos anos 90 (urgh), não foi tão cruel com a Liga. Terceiro, pouca gente escreve e entende os herói tão bem quanto Grant Morrisson e Mark Waid. No mais, a Liga da Justiça, em usas diversas encarnações, ainda é aposta certeira quando o assunto é entretenimento - afinal, só uma equipe criativa muito canhestra poderia melar uma mistura de personagens e personalidades e superpoderes tão diversa e tão bacana! Acredite, se os super-heróis mais lendários do mundo sobreviveram a Extreme Justice, nada é capaz de derrotá-los!

Cinema
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
TV e Famosos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cinema
Roberto Sadovski
Cinema
Colunas - Flavio Ricco
Reuters
do UOL
do UOL
Topo