Cinema

"O Som ao Redor" é escolhido para representar o Brasil no Oscar

Do UOL, em São Paulo*

"O Som ao Redor" foi escolhido para representar o Brasil na disputa pelo Oscar 2014. O Ministério da Cultura escolheu o longa como candidato brasileiro ao prêmio de filme estrangeiro. A última vez que um filme nacional disputou a estatueta foi em 1999 – quando “Central do Brasil”, de Walter Salles, foi finalista ao lado de “A Vida É Bela”, do diretor Roberto Benigni.

"A minha opinião é que independentemente de qualquer indicação o mais importante é o selo, que vai trazer mais curiosidade e valor para o filme. Estamos trabalhando nele [O Som ao Redor'] há um ano e nove meses e ele não me deixa em paz. Nos melhores dos sentidos", afirmou o diretor Kléber Mendonça Filho ao UOL, que lhe deu a notícia por telefone

Escolhido por uma comissão do Ministério da Cultura, o longa de Kléber Mendonça Filho será pré-indicado à Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos EUA, que receberá sugestões de vários países, e somente no dia 16 de janeiro revelará os cinco filmes finalistas ao prêmio.

$!$render-component.split('/')[$math.sub($render-component.split('/').size(), 1)]

Além de "O Som ao Redor", "Colegas" , "Faroeste Caboclo", a cinebiografia "Gonzaga - De Pai Para Filho", a animação "Uma História de Amor e Fúria" e o drama "Meu Pé de Laranja Lima" estavam na disputa para representar o país.

"O Som ao Redor" foi premiado na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo de 2012, no Festival de Nova York em 2013 e no Festival de Roterdã de 2012, além de ter sido apontado pelo jornal “The New York Times” como um dos dez melhores filmes do mundo em 2012.

O filme foi escolhido por Leopoldo Nunes da Silva Filho, secretário do Audiovisual; a secretária Sylvia Bahiense Naves; George Torquato Firmeza, ministro do Departamento Cultural do Itamaraty; Renata de Almeida, diretora da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e Vânia Catani, sócia da produtora Bananeira Filmes.

Em 2012, o indicado foi "O Palhaço", de Selton Mello, mas não foi escolhido pela academia. Para concorrer ao Oscar, o filme precisa ter sido lançado e indicado oficialmente por seu país de origem.

Cinema pernambucano

Não é de hoje que os filmes feitos em Pernambuco vêm chamando a atenção de público, crítica e dos outros países. "Baile Perfumado" (1996), de Paulo Caldas e Lírio Ferreira, ganhou três prêmios no Festival de Brasília e abriu caminho para outro filmes que ganharam notoriedade. Nos últimos 12 meses, as produções do estado ganharam mais destaque ao conquistar vários prêmios dos festivais mais importantes do Brasil.

"O Som ao Redor", de Kléber Mendonça Filho, foi o vencedor do Prêmio Redentor da Première Brasil, no Festival do Rio 2012, "Era uma vez eu, Verônica", de Marcelo Gomes, e "Eles Voltam", de Marcelo Lordello, dividiram o Candango de Melhor Filme no Festival de Brasília. A conquista mais recente foi de "Tatuagem", estreia de Hilton Lacerda na direção, que ficou com o Kikito de Melhor Filme no Festival de Gramado deste ano. O filme ainda conquistou o prêmio de Melhor Ator, para Irandhir Santos, e Melhor Trilha Sonora para Dj Dolores. 

*Amanda Serra

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 
Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Topo