Cinema

"Estou em êxtase", diz diretor brasileiro que ganhou prêmio na Espanha

Gabriel Mestieri

Do UOL, em São Paulo

O cineasta brasileiro Fernando Coimbra, que ganhou neste sábado (28) a mostra Horizontes Latinos do Festival de Cinema de San Sebastián com seu primeiro longa-metragem de ficção, "O Lobo Atrás da Porta", disse estar "em êxtase" com o prêmio. "Isso representa muito para o filme e para o cinema brasileiro, que tanto se sente diminuído e inferior ao cinema argentino e mexicano", afirmou ao UOL, por e-mail, da Espanha. "Não é uma questão de competição, mas de autoestima", completou.

De acordo com Coimbra, "tudo muda" para o filme após o prêmio. "Sei que agora o filme terá distribuição na Espanha. Sei que tudo muda enquanto distribuição na Europa. E isso é o que mais importa, que o filme seja visto. Estou muito feliz", declarou o cineasta.

O diretor disse, ainda, esperar que o "novo cinema brasileiro que emerge seja reconhecido". Além do filme de Coimbra, "De Menor", da brasileira Caru Alves de Souza, também foi selecionado para a Horizontes Latinos.

Antes mesmo do prêmio, a Mundial, empresa dedicada a vendas internacionais de filmes fundada por Gael Garcia Bernal, Diego Luna e Pablo Cruz, já havia adquirido os direitos de "O Lobo Atrás da Porta". É a primeira vez que a empresa trabalha com um filme brasileiro.

Além do prêmio em San Sebastián, o filme também já havia sido exibido no Festival de Cinema de Toronto.

"O Lobo Atrás da Porta" conta a história do desespero de um casal, vivido por Milhem Cortaz e Fabíula Nascimento, ao ter o filho sequestrado em um subúrbio do Rio de Janeiro. O longa também tem Leandra Leal no elenco.

Segundo Coimbra, "O Lobo Atrás da Porta" "tem uma história contada a partir de dois pontos de vista". "Nunca sabemos se o que os personagens estão falando é verdade ou mentira", afirma.

De acordo com o diretor, o filme é um "drama que faz mergulho na intimidade dos personagens e flerta também com o suspense". "A história pede isso", afirma Coimbra, que vê no fenômeno uma tendência atual do cinema brasileiro. "Filmes como 'O Som Ao Redor', do Kleber Mendonça e 'Trabalhar Cansa', de Juliana Rojas e Marco Dutra, flertam com o terror e suspense para contar histórias que tocam em questões humanas e sociais que um filme de gênero normalmente não tocaria", opina.

Sobre o título do filme, o diretor afirma que o "lobo" representa o "lado selvagem, brutal, que pode ser despertado em qualquer um de nós, dependendo da situação extrema a que chegamos". "Ele está ali, atrás da porta, podendo ou não ser despertado", completa.

$!$render-component.split('/')[$math.sub($render-component.split('/').size(), 1)]

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 
Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Topo