PUBLICIDADE
Topo

"É a música que dá o tom", diz produtor de "O Iluminado" na Mostra

Mariane Zendron

Do UOL, em São Paulo

18/10/2013 21h01

Os espectadores da primeira sessão do filme "O Iluminado" na Mostra de São Paulo, nesta sexta (18), foram surpreendidos com a presença de Jan Harlan, produtor executivo de Stanley Kubrick e cunhado do cineasta. A exibição aconteceu no Cinesesc, na rua Augusta,

"Acho estranho falar sobre o filme porque ele deve falar por si só. Mas o que posso dizer é que os primeiros minutos são muito importantes e Kubrick planejava o começo do longa com muito cuidado. Você pode pensar que se trata de um filme da 'National Geographic' sobre uma montanha, mas é a música que dá o tom".

Contando com a ajuda de um tradutor, Harlan ainda brincou com a plateia e disse que seu português é inexistente. "Vocês vão ver que o personagem principal está se candidatando para um trabalho que ele sempre teve. Não se esqueçam: esse é um filme de terror", concluiu o produtor sob muitos aplausos do público.

A sessão do terror de Kubrick estava cheia e com público variado. A estudante de artes cênicas Rhaissa Rosa de Jesus Cardoso, de 20 anos, assistiu ao filme pela primeira vez. Antes da sessão, ela contou que quando morava nos Estados Unidos, chegou a alugar o livro de Stephen King (que inspirou o filme) no colégio, mas ficou com medo e desistiu da leitura.

Fã dos outros filmes do cineasta, Rhaissa decidiu dar mais uma chance para a trama. Ao final da sessão, a estudante disse que gostou muito do filme, mas que era difícil dizer mais porque ainda estava anestesiada. "Nossa, fiquei tensa. E o que é aquele menininho? Muito bom. E o Nicholson está incrível", disse ela.

Na plateia ainda havia a espectadora que teve a oportunidade de ver o filme na sua estreia na Califórnia, em 1980. Dora Soares mora nos Estados Unidos e disse que se lembra da reação da plateia quando viu a produção pela primeira vez. "A plateia era intensa. Estou no Brasil para visitar minha família e não podia perder a oportunidade de rever o filme".

O cineasta Rafael Gomes já viu a produção muitas vezes, mas nunca na telona. "Todo filme é construído com a imagem, mas nesse a imagem é o filme e ele ganha muito na tela grande. Todo sentido dele está na imagem, a loucura, o labirinto. Nunca tive essa oportunidade e achei demais. Quero ver todos os filmes do Kubrick na Mostra".

O filme ainda terá mais três sessões na Mostra de SP. Confira:

Dia 19/10
23:20 - Cine Sabesp

Dia 20/10
21:30 - Espaço Itaú de Cinema - Pompeia 1

Dia 22/10
21:00 - Cinemark - Shopping Cidade Jardim 6