Filmes e séries

"Não sabia que ia ficar tão parecido com o Gonzaguinha", diz Julio Andrade

Fabíola Ortiz

Do UOL, no Rio de Janeiro

14/11/2013 05h49

“Não sabia que eu ia ficar tão parecido com o Gonzaguinha”, admitiu Julio Andrade ao viver o cantor filho de Luiz Gonzaga em “Gonzaga – De pai para filho” de Breno da Silveira. O artista venceu o troféu Grande Otelo de melhor ator no Grande Prêmio de Cinema Brasileiro, anunciado na noite desta quarta-feira (13), no Rio de Janeiro.

O longa foi considerado pela Academia Brasileira de Cinema como a melhor ficção de 2012. Breno da Silveira que não pôde comparecer ao evento também levou o troféu de melhor diretor. O cineasta está no Festival de Cinema de Madri apresentando o filme para o público espanhol.

“Foi uma grande surpresa, eu sempre tive quase lá muitas vezes e nunca aconteceu de eu ser reconhecido por um trabalho assim. Nunca tinha subido ao palco para agradecer. Hoje eu pude subir e foi maravilhoso”, disse Andrade após a cerimônia de anúncio dos prêmios.

Na categoria de melhor ator, Andrade disputou o Grande Otelo com Caio Blat e João Miguel de “Xingu”, Daniel de Oliveira de “Boca” e ainda com Rodrigo Santoro, protagonista de “Heleno”.

“A gente sempre cria uma expectativa porque as pessoas e os amigos acabam criando isso na gente. Quando vi o Rodrigo sentado ali, achei que ia dar ele. Breno falou que eu merecia esse prêmio. Se não ganhasse, ele disse que ia ficar muito bravo”, brincou. “Ele sabe o quanto me dediquei, o quanto eu amo esse personagem, o quanto me joguei nesse filme. Esse filme mudou a minha vida”, comentou.

Ao receber o troféu no palco, Andrade cantou a canção “E vamos à luta”, de Gonzaguinha. “Essa música tinha a ver. Eu cantava desde os meus 17 anos quando tocava MPB em barzinho e eu já cantava Gonzaguinha. Meu timbre foi ficando parecido com o dele. Desde meus 8 anos, meu pai me apresentou o Gonzaguinha e eu tive a sorte de me apaixonar pela música e poesia dele. Sempre fui fã e nem sabia que era parecido com ele”, destacou.

Além do prêmio de melhor ficção e direção, “Gonzaga – De pai para filho” levou ainda o de melhor ator coadjuvante, com João Miguel, e melhor som.

“Foi uma noite que a gente foi agraciado. Receber os cinco prêmios  é só uma constatação de todo o amor que se dedicou para esse filme”, definiu.

Minutos após o anúncio, Andrade recebeu uma ligação do diretor comovido ao saber da notícia. “Ele estava emocionado, chorando ao telefone. Me deu vontade de dar um abraço nele. Breno é um cara que me emociona muito, quem trabalha com ele sabe o quanto ele ama fazer cinema”, salientou. 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
Cinema
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
Cinema
do UOL
AFP
do UOL
Reuters
AFP
do UOL
Reuters
do UOL
Reuters
do UOL
BBC
do UOL
Chico Barney
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
UOL Entretenimento
Cinema
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
Cinema
Topo