Filmes e séries

Trailer de "Ninfomaníaca" é exibido acidentalmente a plateia de crianças

Do UOL, em São Paulo

04/12/2013 08h35

O trailer do polêmico e explícito "Ninfomaníaca" foi acidentalmente exibido a uma plateia de crianças que esperava o início da animação Frozen, da Disney, em um cinema de Tampa, na Flórida, informou o canal Fox. 

Lynn Greene estava com seus netos na sala de cinema e relata que notou uma demora para o filme começar, que ela identificou como algum problema técnico. Na tela, começou a ser exibido um desenho antigo do Mickey, quando a projeção foi interrompida e outra começou no lugar, a do trailer do filme do Lars Von Trier. 

Procurados, os donos dos cinemas disseram que foi um acidente e que a projeção do trecho do filme que contém fortes cenas de sexo durou menos de dois minutos. "Parecia uma eternidade quando você está tentando, você sabe, cobrir os olhos das crianças. Eu não tive mãos suficientes para cobrir seus olhos e suas orelhas", disse Greene. 

As pessoas que estavam na sala não pagaram pelos ingressos, mas os responsáveis pelos pequenos dizem que isso não é suficiente. "Minha preocupação é que não há garantias de que isso não volte a acontecer", disse a avó.  

FOX 13 News

Sobre o filme 

"Ninfomaníaca" conta a história de uma mulher (interpretada por Charlotte Gainsbourg, de "Melancolia ) viciada em sexo. O elenco conta ainda com Uma Thurman ("Kill Bill") e Willem Dafoe ("Homem-Aranha").

O filme terá duas versões --a mais curta chegará às telas primeiro, começando pela Dinamarca no dia 25 de dezembro. No Brasil, a mesma versão está prevista para estrear no dia 10 de janeiro.

Alguns meses depois, chega aos cinemas uma versão maior, de cinco horas e meia, com mais sexo explícito e mais close nos genitais, segundo a produtora Louise Vesth.

"Lars me disse que está feliz que isso seja feito desta forma. Para ele, é muito importante ter uma versão mais longa por questões artísticas, mas ele entende as necessidades de distribuição. É de seu interesse que o filme possa ser visto em diferentes territórios", disse Vesth ao site Screen Daily.

Duas versões, duas partes

Conforme planejado desde o início do projeto, as duas versões serão divididas em duas partes --a versão de quatro horas será de duas peças de 2 horas e a versão de 5 horas e meia será dividida em 2 horas e meia para a primeira parte e 3 horas para a segunda.

A produtora também disse não saber como e onde a versão mais longa será exibida. Segundo ela, isso será definido no próximo ano. Ela, no entanto, garante que mesmo a versão mais curta terá cenas de sexo. Na Dianamarca, a versão mais branda terá classificação etária para maiores de 15 anos, e nos Estados Unidos, para maiores de 17.

Trailer para maiores

Divulgado no dia 22, o trailer do filme traz Charlotte Gainsbourg e Stacy Martin --que interpretam a protagonista adulta e jovem, respectivamente-- em cenas de sexo explícito. Estas cenas foram feitas combinando imagens dos atores com cenas de atores pornô fazendo sexo de verdade. Os atores Shia La Beouf, Uma Thurman, Willem Dafoe e  Stellan Skarsgard também aparecem no trailer. O UOL divulga, agora, a versão legendada do vídeo.

O vídeo abaixo contém conteúdo inapropriado para menores.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
do UOL
Chico Barney
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski

Roberto Sadovski

As 25 melhores histórias em quadrinhos da Liga da Justiça

Pincelar as melhores histórias da Liga da Justiça é um trabalho complexo. Não pela falta de qualidade, mas pelo contraste: muita coisa entre os primórdios da equipe e o final dos anos 80 tem mais valor por sua inegável importância histórica do que por seus predicados artísticos. O gibi da Liga, afinal, viveu por anos na sombra da animação Superamigos, e isso deixou o tom das histórias mais ingênuo e infantil até a reformulação pós-Crise nas Infinitas Terras. Mas garimpar todas as fases em décadas de aventuras trouxe boas surpresas e ótimas descobertas - além do perceber que, em boas, mãos, a Liga pode ser incrível! A leitura rendeu algumas conclusões. Primeiro, não há absolutamente nada errado em usar histórias de super-heróis para fazer humor! Segundo, o horrendo período dos Novos 52, que privilegiou forma, ignorou substância e fez um flashback sinistro dos primórdios da Image Comics nos anos 90 (urgh), não foi tão cruel com a Liga. Terceiro, pouca gente escreve e entende os herói tão bem quanto Grant Morrisson e Mark Waid. No mais, a Liga da Justiça, em usas diversas encarnações, ainda é aposta certeira quando o assunto é entretenimento - afinal, só uma equipe criativa muito canhestra poderia melar uma mistura de personagens e personalidades e superpoderes tão diversa e tão bacana! Acredite, se os super-heróis mais lendários do mundo sobreviveram a Extreme Justice, nada é capaz de derrotá-los!

Cinema
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
TV e Famosos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo