Filmes e séries

Universal interrompe produção de "Velozes e Furiosos 7"

Do UOL, em São Paulo

04/12/2013 16h14

A Universal anunciou nesta quarta-feira (4) a interrupção da produção de "Velozes e Furiosos 7". O anúncio, feito pelo estúdio em nota, indica que a produção poderá ser retomada, mas não estipula prazos.

"No momento, todos aqui na Universal estão dedicados em dar suporte à família de Paul e às pessoas envolvidas na produção e suas famílias. Neste momento, sentimos que é nossa responsabilidade interromper a produção por um período de tempo para que possamos considerar todas as nossas opções para seguir adiante com a franquia", diz o comunicado.

"Estamos compromissados em manter os fãs de 'Velozes e Furiosos' informados e vamos fornecer informações adicionais assim que tivermos. Até lá, sabemos que eles se juntarão a nós no luto pela morte do nosso caro amigo Paul Walker", completa a nota.

Necrópsia

O Departamento de Perícia Criminal do Condado de Los Angeles anunciou nesta quarta (4) que Walker morreu devido a "lesões traumáticas e queimaduras". Já a causa da morte de Roger Rodas, amigo do ator, foi "lesões traumáticas múltiplas". As informações são do site da revista "Variety".

O relatório da necrópsia, que foi concluída nesta quarta, também confirma a identidade dos dois passageiros, que não pode ser feita visualmente devido ao estado dos corpos.

Segundo o relatório, Walker foi gravemente ferido quando o Porsche dirigido por Rodas bateu na lateral da estrada e morreu depois que o veículo pegou fogo.

Os resultados dos exames toxicológicos devem sair em até oito semanas. O legista classificou as duas mortes como acidentais.

Câmera registra acidente de Paul Walker

Acidente

acidente que matou Walker e seu amigo Roger Rodas, CEO de uma das empresas de Walker, aconteceu em Valencia, na Califórnia. Os dois participavam de um evento beneficente, chamado "Reach Out Worldwide", que tinha como objetivo arrecadar fundos para as vítimas do tufão Haiyan, nas Filipinas.

O Porsche Carrera GT 2005 em que o ator e o amigo estavam bateu em um poste de luz e em uma árvore, pegando fogo na hora e matando os dois. O evento, do qual Paul participou, aconteceu em uma loja de carros de corrida próxima ao local. Os participantes correram para apagar as chamas com extintores de incêndio, mas sem sucesso.

Segundo o departamento de polícia do condado de Los Angeles, o acidente aconteceu por volta das 15h30 do sábado no horário local (21h30 de Brasília). A polícia de Santa Clarita, onde ocorreu o acidente, acredita que a velocidade foi um dos fatores do acidente.

Causas

Enquanto a polícia foca suas investigações na velocidade do carro, depois de ter descartado a possibilidade de racha, fontes ouvidas pelo TMZ afirmam que o carro sofreu uma falha mecânica. A publicação ouviu fontes que trabalham na loja em que o veículo estava guardado e pela qual era mantido.

Segundo o TMZ, é possível que o problema tenha sido um vazamento de fluido na maquinaria próxima à direção do veículo. Para as fontes, uma das evidências de que Roger Rodas, que dirigia o carro, não perdeu o controle, é que não há marcas de desvio de derrapagem na pista - as marcas na pista estão em uma linha reta.

Além disso, eles também apontam o comportamento do fogo após a explosão. Segundo o site, o fogo deveria acontecer antes na parte traseira do carro, onde o motor está. O fato de o incêndio ter acontecido na parte dianteira reforça a teoria de que houve realmente algum tipo de vazamento de fluído próximo à direção.

Porsche

Porsche já foi processada no passado por duas mortes que ocorreram com o mesmo modelo da marca que matou Walker. As informações também são do TMZ.

Em 2005, segundo o processo, um veículo que disputava um racha perdeu o controle e e se chocou contra um muro. Os familiares receberam US$ 4,5 milhões, dos quais US$ 350 mil foram pagos pela empresa.

De acordo com a publicação, um dos advogados desses familiares afirmou que uma das grandes falhas do Porsche Carrera GT, modelo envolvido no processo e no qual estava Walker, é justamente o PSMS (Porsche Stability Management System), o sistema de gerenciamento de estabilidade.

160 km/h

De acordo com informações de uma fonte da polícia ao site Radar Online, o Porsche que bateu provocando a morte do ator Paul Walker estava a mais de 160 km/h segundos antes do acidente. Walker morreu após o carro bater em um poste na cidade de Santa Clarita, na Califórnia, no último sábado (30). Ele tinha 40 anos.

De acordo com o site, o limite de velocidade no local é de 72 km/h.

Walker e o motorista do carro, Roger Rodas, morreram na hora. Segundo os investigadores, citados anonimamente pelo Radar Online, tanto o motorista quanto o passageiro usavam cinto de segurança.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski

Roberto Sadovski

As 25 melhores histórias em quadrinhos da Liga da Justiça

Pincelar as melhores histórias da Liga da Justiça é um trabalho complexo. Não pela falta de qualidade, mas pelo contraste: muita coisa entre os primórdios da equipe e o final dos anos 80 tem mais valor por sua inegável importância histórica do que por seus predicados artísticos. O gibi da Liga, afinal, viveu por anos na sombra da animação Superamigos, e isso deixou o tom das histórias mais ingênuo e infantil até a reformulação pós-Crise nas Infinitas Terras. Mas garimpar todas as fases em décadas de aventuras trouxe boas surpresas e ótimas descobertas - além do perceber que, em boas, mãos, a Liga pode ser incrível! A leitura rendeu algumas conclusões. Primeiro, não há absolutamente nada errado em usar histórias de super-heróis para fazer humor! Segundo, o horrendo período dos Novos 52, que privilegiou forma, ignorou substância e fez um flashback sinistro dos primórdios da Image Comics nos anos 90 (urgh), não foi tão cruel com a Liga. Terceiro, pouca gente escreve e entende os herói tão bem quanto Grant Morrisson e Mark Waid. No mais, a Liga da Justiça, em usas diversas encarnações, ainda é aposta certeira quando o assunto é entretenimento - afinal, só uma equipe criativa muito canhestra poderia melar uma mistura de personagens e personalidades e superpoderes tão diversa e tão bacana! Acredite, se os super-heróis mais lendários do mundo sobreviveram a Extreme Justice, nada é capaz de derrotá-los!

Cinema
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
TV e Famosos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cinema
Roberto Sadovski
Cinema
Colunas - Flavio Ricco
Topo