Filmes e séries

Dinheiro foi o problema para concluir "Anita e Garibaldi", diz produtor

Gisele Alquas

Do UOL, em São Paulo

Oito anos de espera e finalmente o filme “Anita e Garibadi” estreia nas telonas, nesta sexta-feira (6). Com Ana Paula Arósio e Gabriel Braga Nunes como protagonistas, o longa iniciou as filmagens em 2005, mas por falta de verba e logística na época, os produtores foram obrigados a ficar um longo período parados, retomando as gravações em 2010.

O produtor executivo Rubens Gennaro admitiu que não foi fácil concluir o projeto. Segundo ele, além de dinheiro e problemas com locações, houve falhas na produção. "Começamos em 2005, mas além da falta de dinheiro, choveu muito naquela época, impedindo de filmar em determinados locais. Retomamos em 2010 e graças a Deus deu certo de trazer todo mundo envolvido de volta”, explicou.

Baseado no diário de Giuseppe Garibaldi, “Anita e Garibaldi”, do diretor italiano Alberto Rondalli, narra a história do revolucionário, de 32 anos, comandante dos rebeldes republicanos que invadem Laguna (SC) durante a Guerra dos Farrapos (1835 - 1845). Lá ele encontra sua alma gêmea em Anita, de 18 anos, mulher do sapateiro local. A partir do momento em que eles se encontram, suas vidas tomam outro rumo e ambos vão influenciar a revolução.

Estrear o longa é uma vitória para a equipe, que manteve os patrocinadores desde o início do projeto e conquistou novos ao longo das filmagens. “É um somatório de esforços. As pessoas envolvidas amadureceram ao longo desta pausa de cinco anos. Agradeço a várias pessoas, entre elas o Paulo Betti (coprodutor do filme), que não nos abandonou nos momentos de dificuldades e tirou dinheiro do próprio bolso para ajudar”, enfatizou Rubens Gennaro.

  • Gabriel Braga Nunes, o produtor executivo do filme Rubens Gennaro e o diretor Alberto Rondalli na pré-estreia de "Anita e Garibaldi"

Para o produtor, o cinema brasileiro precisa ser mais valorizado. “Nós batalhamos pelo cinema brasileiro, que precisa aparecer mais. Temos belíssimos filmes no Brasil e não tem espaço para a comercialização. Isso tem que mudar”, desabafou.

O diretor de “Anita e Garibaldi”, o italiano Alberto Rondalli, não conhecia nada do Brasil, mas aceitou o desafio de dirigir o filme pela a história do revolucionário. “O Garibaldi é um personagem muito reconhecido na Itália. Eu quis contar a história dele fora do estereótipo, de quando chegou ao Brasil fugido da Itália, suas primeiras experiências como combatente, seu carisma, sua paixão pelas mulheres”, explicou.

Sobre a escolha dos protagonistas, Rondalli contou que, assim como outros atores, Gabriel Braga Nunes e Ana Paula Arósio se submeteram a testes para os papeis.  Segundo o diretor, os dois foram aprovados “pela entrega que demonstraram aos personagens”. “Não conhecia o trabalho de nenhum deles, mas foram ótimos. Vi muito do Garibaldi no Gabriel", ressaltou o diretor.

“A Ana faz muita falta”

Como era de se esperar, Ana Paula Arósio não compareceu à pré-estreia de “Anita e Garibaldi”, na noite da última terça-feira (3), no shopping Frei Caneca, em São Paulo. Reclusa desde que desistiu de integrar a novela “Insensato Coração”, em 2011, Arósio evita dar entrevistas e aparecer em público.

Gabriel Braga Nunes lamentou a ausência da atriz: “Ela é sensacional, fez um trabalho lindo no filme, faz muita falta. Já havia trabalhado com a Ana em 'Terra Nostra' (1999) e só tenho elogios para fazer”.

Sobre gravar o filme em etapas, o ator admitiu que foi complicado. “Foi um processo grande e intenso, pois estávamos muito ansiosos para estrear. Foi tanta energia, trabalho e empenho neste filme que estar aqui hoje é muito especial”, afirmou

Para Rubens Gennaro, Ana Paula Arósio foi a atriz que mais demonstrou interesse pelo longa. “Agradeço  pelos melhores momentos que ela proporcionou ao filme. A Ana fez belíssimo trabalho e espero que não seja o último. Mas na minha opinião, é o melhor que ela fez até agora”, afirmou Gennaro.

Na semana passada, em entrevista a colunista da Folha de S.Paulo Mônica Bergamo, Gennaro contou que Arósio sequer assistiu a versão final do longa. Ainda segundo a nota da colunista, o produtor admitiu que chegou a perder dinheiro com a ausência da atriz na divulgação do filme.

“Apesar de ela fazer falta, apesar das perdas e tormentas que tivemos nesses oito anos até a estreia, o fundamental é que estamos muito orgulhosos com o resultado que obtivemos”, enfatizou Gabriel Braga Nunes.

Veja o trailer de "Anita e Garibaldi", com Ana Paula Arósio

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Jogos
Reuters
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
AFP
Reuters
do UOL
Reuters
do UOL
Da Redação
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
Roberto Sadovski
Blog do Matias
do UOL
AFP
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Roberto Sadovski
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
EFE
Colunas - Flavio Ricco
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
Cinema
Blog do Nilson Xavier
do UOL
Reuters
EFE
AFP
Topo