! "12 Anos de Escravidão" e "Trapaça" lideram indicações no Globo de Ouro - 12/12/2013 - UOL Entretenimento

Filmes e séries

"12 Anos de Escravidão" e "Trapaça" lideram indicações no Globo de Ouro

Do UOL, em São Paulo

12/12/2013 11h38Atualizada em 12/12/2013 19h47

O drama "12 Anos de Escravidão" repetiu o bom desempenho no SAG Awards (o sindicato de atores dos EUA), divulgado na quarta-feira (11), e liderou também a lista de indicações ao Globo de Ouro 2014 com sete nomeações. "Trapaça", novo filme de David O. Russel, concorre ao mesmo total de prêmios.

O anúncio dos indicados ao Globo de Ouro foi feito nesta quinta-feira no Beverly Hilton Hotel, em Los Angeles, pelos atores Olivia Wilde, Zoe Saldana e Aziz Ansari. A premiação é um dos principais termômetros para o Oscar.

Indicados ao Globo de Ouro 2014

Baseada nas memórias de um negro livre que é vendido como escravo, "12 Anos de Escravidão" segue o homem em seu cotidiano com a família, até que, enganado por uma oferta de trabalho, é aprisionado e levado ilegalmente ao sul escravista. Do mesmo diretor de "O Lado Bom da Vida", "Trapaça" conta a história de trapaceiros forçados a colaborar com o FBI nos anos 1970 --foi escolhido no início de dezembro como o melhor filme pelo Círculo de Críticos de Cinema de Nova York. 

O Globo de Ouro também apresentou suas indicações na área de TV. Com quatro nomeações, a série do Netflix "House of Cards" lidera a disputa. A série concorre em série dramática, atriz em série dramática (Robin Wright), ator em série dramática (Kevin Spacey) e ator coadjuvante (Corey Stoll).

A premiação será em 12 de janeiro, também em Los Angeles, com apresentação de Tina Fey e Amy Poehler. As duas apresentadoras repetem a dobradinha da última edição, que substituiu o comediante inglês Ricky Gervais, à frente da premiação por três anos. 

Na cerimônia de janeiro, Woody Allen será homenageado com o prêmio especial Cecil B. DeMille por sua contribuição ao cinema. Ganhador do Oscar de melhor diretor e melhor roteiro original por "Noivo Neurótico, Noiva Nervosa" (1978), Allen fez cerca de 50 filmes em 58 anos de carreira, a maioria de comédia.

Na última edição do Globo de Ouro, "Argo" levou o prêmio de melhor filme de drama, enquanto "Os Miseráveis" saiu como vencedor de melhor filme de comédia ou musical. Em TV, a série "Homeland" levou a melhor.

Veja os indicados ao Globo de Ouro 2014: 

Melhor filme de drama
"12 Anos de Escravidão"
"Capitão Phillips"
"Gravidade"
"Philomena"
"Rush: No Limite da Emoção" 

Melhor filme de comédia/musical
"Trapaça" 
"Ela"
"Balada de um Homem Comum" 
"Nebraska"
"O Lobo de Wall Street"

Melhor direção
Alfonso Cuarón, por "Gravidade"
Paul Greengrass, por "Capitão Phillips"
Steve McQueen, por "12 Anos de Escravidão"
Alexander Payne, por "Nebraska"
David O. Russell, "Trapaça"

Melhor roteiro
John Ridley, por "12 Anos de Escravidão" 
Spike Jonze, por "Ela"
Bob Nelson, por "Nebraska"
Jeff Pope Steve, por "Philomena"
David O. Russell, por "Trapaça"

Melhor atriz de drama
Cate Blanchett, por "Blue Jasmine"
Sandra Bullock, por "Gravidade"
Judi Dench, por "Philomena"
Emma Thompson, por "Walt nos Bastidores de Mary Poppins"
Kate Winslet, Labour Day

Melhor atriz de comédia/musical
Amy Adams, por "Trapaça"
Julie Deply, por "Antes da Meia-Noite"
Greta Gerwig, por "Frances Ha"
Meryl Streep, por "Álbum de Família"
Julia Louis-Dreyfus, "À Procura do Amor"

Melhor ator de drama
Chiwetel Ejiofor, por "12 Anos de Escravidão"
Idris Elba, por "Mandela: Long Walk to Freedom"
Tom Hanks, por "Capitão Phillips"
Matthew McConaughey, por "Dallas Buyers Club"
Robert Redford, por "All Is Lost"

Melhor ator de comédia/musical
Christian Bale, por "Trapaça"
Bruce Dern, por "Nebraska"
Leonardo DiCaprio, por "O Lobo de Wall Street"
Oscar Isaac, por "Balada de um Homem Comum"
Joaquin Phoenix, por "Ela"

Melhor atriz coadjuvante
Sally Hawkins, "Blue Jasmine"
Jennifer Lawrence, por "Trapaça"
Lupita Nyong'o, por "12 Anos de Escravidão"
Julia Roberts - "Álbum de Família"
June Squibb, por "Nebraska"

Melhor ator coadjuvante
Barkhad Abi, por "Capitão Phillips"
Daniel Brühl, por "Rush"
Bradley Cooper, por "Trapaça"
Michael Fassbender, por "12 Anos de Escravidão"
Jared Leto, por "Dallas Buyers Club"

Melhor animação
"Os Croods"
"Frozen - Uma Aventura Congelante"
"Meu Malvado Favorito 2"

Melhor filme estrangeiro
"Vidas ao Vento" (Japão)
"Azul É a Cor Mais Quente" (França)
"A Grande Beleza" (Itália)
"O Passado" (Irã)
"A Caça" (Dinamarca)

Melhor trilha sonora
"All Is Lost"
"Mandela: Long Walk to Freedom"
"Gravidade"
"A Menina Que Roubava Livros"
"12 Anos de Escravidão"

Melhor canção original
"Please Mr. Kennedy", de Ed Rush, George Cromarty, T Bone Burnett, Justin Timberlake, Joel Coen e Ethan Coen ("Balada de Um Homem Comum")
"Let It Go", de Kristen Anderson Lopez e Robert Lopez ("Frozen - Uma Aventura Congelante")
"Atlas", de Chris Martin/Coldplay ("Jogos Vorazes: Em Chamas")
"Ordinary Love", de U2 ("Mandela: Long Walk to Freedom")
"Sweeter Then Fiction", de Taylor Swift ("One Chance")

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski

Roberto Sadovski

As 25 melhores histórias em quadrinhos da Liga da Justiça

Pincelar as melhores histórias da Liga da Justiça é um trabalho complexo. Não pela falta de qualidade, mas pelo contraste: muita coisa entre os primórdios da equipe e o final dos anos 80 tem mais valor por sua inegável importância histórica do que por seus predicados artísticos. O gibi da Liga, afinal, viveu por anos na sombra da animação Superamigos, e isso deixou o tom das histórias mais ingênuo e infantil até a reformulação pós-Crise nas Infinitas Terras. Mas garimpar todas as fases em décadas de aventuras trouxe boas surpresas e ótimas descobertas - além do perceber que, em boas, mãos, a Liga pode ser incrível! A leitura rendeu algumas conclusões. Primeiro, não há absolutamente nada errado em usar histórias de super-heróis para fazer humor! Segundo, o horrendo período dos Novos 52, que privilegiou forma, ignorou substância e fez um flashback sinistro dos primórdios da Image Comics nos anos 90 (urgh), não foi tão cruel com a Liga. Terceiro, pouca gente escreve e entende os herói tão bem quanto Grant Morrisson e Mark Waid. No mais, a Liga da Justiça, em usas diversas encarnações, ainda é aposta certeira quando o assunto é entretenimento - afinal, só uma equipe criativa muito canhestra poderia melar uma mistura de personagens e personalidades e superpoderes tão diversa e tão bacana! Acredite, se os super-heróis mais lendários do mundo sobreviveram a Extreme Justice, nada é capaz de derrotá-los!

Cinema
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
TV e Famosos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cinema
Roberto Sadovski
Cinema
Topo