PUBLICIDADE
Topo

Personagens de "Freddy vs Jason" foram inspirados em gente de verdade

Cena do filme americano "Freddy vs. Jason", dirigido por Ronny Yu - Divulgação
Cena do filme americano "Freddy vs. Jason", dirigido por Ronny Yu Imagem: Divulgação

James Cimino

Do UOL, em San Diego (EUA)

25/07/2014 05h47

Durante a Comic-Con, tudo é motivo de discussão, até mesmo o perfil psicológico de personagens fictícios como Jason, Freddy Krueger e Michael Myers, os assassinos dos filmes "Sexta-feira 13", "A Hora do Pesadelo" e "Halloween" respectivamente.

Em uma mesa redonda, que reuniu dois psiquiatras, um dos dois roteiristas do filme "Freddy vs Jason" (2003), Mark Swift, contou que todos os personagens do filme, exceto os protagonistas, foram inspirados em pessoas reais.

"Todos aqueles personagens eu conheci na minha adolescência. Obviamente que eu mudei os nomes para não ser processado, mas eles existiram", revelou.

O encontro serviu para que os fãs dessas séries de terror tivessem um parecer profissional sobre o estado mental que levou seus ídolos a cometerem diversos assassinatos nessas três clássicas séries.

No entanto, o favorito do público era Michael Myers, classificado pelo doutor H. Eric Bender como um "sorocida" (assassino da irmã) sem remorso e sem empatia. Esta última foi apontadas pelos fãs como sua maior qualidade, além da frieza e do fato de "não morrer nunca".

Essas características, segundo o médico, podem ter sido fruto de abuso e negligência na infância.

Já Freddy Krueger, segundo o doutor Praveen R. Kambam, é um sádico assassino de crianças, cujo método foi resumido a: encontrar uma criança na rua Elmo [locação do filme], descobrir seu pior medo, matá-la em seus sonhos repetidas vezes, divertir-se com isso.

Por fim, Jason é tido pelos médicos como uma vítima psicótica, cuja obsessão pela mãe o leva a matar pessoas.

No meio do debate, um menino pregou uma peça nos médicos dizendo que sofria abuso da irmã e que pensava o tempo todo em cortar sua cabeça. "O que devo fazer?" Mark Swift recomendou: "nunca assista a nenhum dos meus filmes".