Filmes e séries

Conheça dez fatos curiosos sobre o ator Robin Williams

Do UOL, em São Paulo

11/08/2014 21h06

O ator norte-americano Robin Williams, famoso por papéis em filmes como "Patch Adams - O Amor é Contagioso" e "Sociedade dos Poetas Mortos", morreu nesta segunda-feira (11), aos 63 anos. O corpo dele foi encontrado em sua casa, em Tiburon, na Califórnia, sem sinais vitais. A suspeita das autoridades é que a morte tenha sido causada por asfixia.

Vencedor do Oscar de ator coadjuvante por "Gênio Indomável" (1997), ele atuou em mais de 60 filmes e desfrutou de sucesso enorme em Hollywood. Conheça dez curiosidades sobre a vida do ator.

Dez curiosidades sobre o ator Robin Williams

  • 1

    Robin McLaurin Williams nasceu em 21 de julho de 1951, em Chicago. Tinha 1,73m de altura e começou a estudar ciências políticas antes de ir estudar teatro na escola Juilliard. Por ser uma criança gordinha, dizia que ninguém queria brincar com ele; foi então que começou a inventar vozes diferentes para se divertir.

  • 2

    Durante as filmagens do seriado "Mork & Mindy" (1978), Williams começou a improvisar tanto e tão bem em cima do roteiro, que os produtores pararam de pedir para ele se manter fiel ao script. Nos textos seguintes, eles começaram a deixar em branco a parte do personagem do ator, apenas indicando onde ele aparecia.

  • 3

    Williams estudou na Juilliard com o ator Christopher Reeve, de quem foi grande amigo. Uma semana após o ator sofrer o acidente de cavalo que o deixou tetraplégico, em 1995, Robin foi ao hospital vestido com trapos, com um sotaque russo e uma máscara cirúrgica, agindo como se fosse um médico. Depois que ele tirou a máscara, Reeve disse que aquela foi a primeira vez que ele riu desde o acidente

  • 4

    Depois de ganhar o Oscar de ator coadjuvante por "Gênio Indomável", ele mandou uma miniatura da estatueta do Oscar ao dublador alemão Peer Augustinski. Junto com o mimo, havia a seguinte nota: "Obrigado por me fazer famoso na Alemanha".

  • 5

    Em uma votação no colégio em que estudou, na Califórnia, ele foi escolhido por seus colegas como aquele que tinha a menor probabilidade de ter sucesso na vida. A previsão dos jovens californianos falhou, pelo visto.

  • 6

    O ator foi cotado para fazer Joe Miller, o advogado do protagonista portador de aids de "Philadelphia" (1993), de Jonathan Demme. No fim, Denzel Washington acabou sendo o escolhido.

  • 7

    Em 1996, Williams atingiu a difícil marca de ter atuado em dois filmes que alcançaram arrecadação de US$ 100 milhões na mesma semana: "Jumanji" (1995) e "The Birdcage - A Gaiola das Loucas".

  • 8

    O ator era fã da série de comédias "Monty Python's Flying Circus" (1969), que originaram os posteriores filmes do grupo.

  • 9

    Williams gostava de andar de bicicleta e, de vez em quando, treinava com o ciclista Lance Armstrong, que já venceu o Tour de France por sete vezes consecutivas (1999-2005).

  • 10

    Foi oferecido a ele o papel de Charada em "Batman Eternamente" (1995), que viria a ser feito por Jim Carrey.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
AFP
do UOL
Reuters
AFP
do UOL
Reuters
do UOL
Reuters
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
Chico Barney
UOL Cinema - Imagens
UOL Entretenimento
Cinema
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
Cinema
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
Chico Barney
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski

Roberto Sadovski

As 25 melhores histórias em quadrinhos da Liga da Justiça

Pincelar as melhores histórias da Liga da Justiça é um trabalho complexo. Não pela falta de qualidade, mas pelo contraste: muita coisa entre os primórdios da equipe e o final dos anos 80 tem mais valor por sua inegável importância histórica do que por seus predicados artísticos. O gibi da Liga, afinal, viveu por anos na sombra da animação Superamigos, e isso deixou o tom das histórias mais ingênuo e infantil até a reformulação pós-Crise nas Infinitas Terras. Mas garimpar todas as fases em décadas de aventuras trouxe boas surpresas e ótimas descobertas - além do perceber que, em boas, mãos, a Liga pode ser incrível! A leitura rendeu algumas conclusões. Primeiro, não há absolutamente nada errado em usar histórias de super-heróis para fazer humor! Segundo, o horrendo período dos Novos 52, que privilegiou forma, ignorou substância e fez um flashback sinistro dos primórdios da Image Comics nos anos 90 (urgh), não foi tão cruel com a Liga. Terceiro, pouca gente escreve e entende os herói tão bem quanto Grant Morrisson e Mark Waid. No mais, a Liga da Justiça, em usas diversas encarnações, ainda é aposta certeira quando o assunto é entretenimento - afinal, só uma equipe criativa muito canhestra poderia melar uma mistura de personagens e personalidades e superpoderes tão diversa e tão bacana! Acredite, se os super-heróis mais lendários do mundo sobreviveram a Extreme Justice, nada é capaz de derrotá-los!

Cinema
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
Topo